Shamisen: Canções do Mundo Flutuante

Guilherme Petreca & Tiago Minamisawa

A editora Pipoca & Nanquim orgulhosamente apresenta aos seus leitores mais uma publicação nacional de seu selo de obras originais, o novo trabalho do aclamado Guilherme Petreca (desenhista de Ogiva) que se uniu ao diretor e roteirista cinematográfico Tiago Minamisawa para narrar um fabuloso conto inspirado na cultura japonesa.

R$64,90

Em estoque

• Formato 15,5 x 22 cm
• 164 páginas
• Capa dura de papel linho com verniz localizado
• Lombada redonda
• Papel pólen de alta gramatura

Normalmente comprados juntos:

++
Preço total:   R$189,70
  • "Uma leitura leve, como um respiro no meio de tudo o que temos que lidar cotidianamente, Shamisen - Canções do Mundo Flutuante é uma carta de amor ao Japão e sua cultura e uma forma muito envolvente de apresentar tudo isso para os leitores brasileiros."
    Fora do Plástico
  • "O contato de uma cega com o mundo e suas divindades é belíssimo, de uma sensibilidade absoluta. Cada percepção do mundo por Haru lava a alma do leitor ao longo da história pacífica da vida da cantora que é carregada de xintoísmo ao longo do traço limpo e contemplativo que nos conduz do começo ao fim."
    Antonio Cazarine, Disparada
  • "A arte estonteante de Shamisen nos faz ver o belo até mesmo nas situações ruins, transmitindo uma beleza poética, para o espectador nas ilustrações, e também nos diálogos[...]."
    Rayana do Carmo, Lab Dicas Jornalismo
CONHEÇA MAIS

Traçando paralelos com a realidade e inserindo elementos do folclore e da mitologia nipônica, a HQ narra a história de Haru, uma musicista cega que sobrevive por meio de suas canções e talento para tocar o shamisen, um instrumento de corda com uma história tão peculiar quanto sua melodia. A protagonista foi inspirada na artista Haru Kobayashi (1900-2005), consagrada com uma das mais influentes gozes, mulheres cegas que ganhavam a vida com apresentações musicais. 

Com páginas ilustradas em um estilo influenciado pelo ukiyo-e e seu maior expoente, Katsushika Hokusai, a obra tem como objetivo ser uma leitura leve, prazerosa e reflexiva em tempos conturbados, e também apresentar ao público brasileiro aspectos históricos pouco comentados, mas que exercem forte influência na cultura oriental até os dias de hoje, como a tradicional música Min’yō. 

A edição tem 164 páginas em papel pólen de alta gramatura, capa dura de papel linho com verniz localizado e lombada redonda. Conta ainda com uma galeria de extras com textos complementares de Vinicius Sadao, Gabriela Itocazo e Ed Canto, que aprofundam os principais temas apresentados no quadrinho.

SOBRE OS AUTORES

Guilherme Petreca

Nascido em 1990, Guilherme Petreca começou a trabalhar com ilustração no exato dia em que fez 17 anos. Antes disso, durante a adolescência, participou de diversas bandas hardcore de garagem, mas resolveu focar sua energia criativa nos desenhos. Seu primeiro quadrinho, Galho Seco, foi publicado de forma independente em 2013, a partir daí, nunca mais parou. Em 2015, lançou Carnaval de Meus Demônios pela Balão Editorial, que foi finalista no prêmio Jabuti na categoria Ilustração. Já no ano de 2017, seu terceiro quadrinho, Ye, publicado pela editora Veneta no ano anterior, ganhou o Troféu HQMix de Melhor Desenhista Nacional e, em 2019, a medalha de prata no 13º Japan International Manga Award. Sua quarta obra, Superpunk, foi publicada de forma independente, e em 2020 lançou Ogiva, com roteiro de Bruno Zago.

Além dos quadrinhos, seu talento pode ser visto nas animações, como no longa-metragem Uma História de Amor e Fúria (2013) e na série Dino Aventuras (2015). Em 2019, suas ilustrações também alcançaram os livros; primeiro, A Roda da Vida, de Manuel Filho (Panda Books), depois, Um Conto de Natal, de Charles Dickens (editora Antofágica). Atualmente, ele divide seu tempo entre produzir histórias em quadrinhos e trabalhar como concept artist e diretor de arte em projetos de animação.


Tiago Minamisawa

Diretor, roteirista e produtor do curta-metragem Sangro, ganhador dos prêmios  “Silver Hugo de Melhor Filme de Animação” no Festival de Chicago 2019, “Melhor Curta-metragem Brasileiro” e “Melhor Documentário” no Anima Mundi 2019, do “Prêmio Itamaraty de Melhor Curta-metragem” no Festival Kinoforum 2019, “Melhor Filme do Juri Popular” no Festival de Vitória, do “Kikito” no Festival de Cinema de Gramado 2019, “Melhor Curta-metragem Brasileiro” no Festival Animage 2019. O filme também foi selecionado para mais de 70 festivais internacionais, entre eles o Festival de Animação de Annecy (considerado o mais importante do cinema de animação mundial), Festival de São Francisco, Interfilm Berlim e Nouveau Cinéma de Montreal. Produziu e roteirizou o curta-metragem Guida, de Rosana Urbes, ganhador do prêmio Jean-Luc Xiberras no “Festival Internacional de Animação de Annecy 2015” e de mais de 80 prêmios nacionais e internacionais. Produziu e roteirizou também o curta-metragem Um Lugar Comum, vencedor do grande prêmio do júri no “Festival internacional de Animação do Uruguai”.


Assista ao vídeo

Você também pode gostar de…