O Rei Macaco

Milo Manara & Silverio Pisu

O primeiro quadrinho de destaque de Milo Manara, o mestre do erotismo. Ao lado do roteirista Silverio Pisu, e inspirado pelo estilo artístico de Moebius e Druillet, ele recriou a história do Rei Macaco, de Jornada ao Oeste, o romance mais importante da China, que inspirou até mesmo Dragon Ball.

R$59,90

99 em estoque

• Formato 21 x 28 cm
• 100 páginas em preto e branco com extras em cores
• Capa dura com verniz localizado
• Miolo em papel couché brilho 150 g/m²

Normalmente comprados juntos:

++
Preço total:   R$289,80
  • "É a chance dos fãs da nona arte conferirem um Manara na fase inicial de sua carreira (antes de se estabelecer como mestre do erotismo em Clic, obra que pavimentaria seu futuro), explorando outras narrativas gráficas de qualidade."
    Edipo Pereira, CosmoNerd
  • "O quadrinho toca em temas filosóficos, a busca por iluminação pessoal e como isso se confronta quando você se deixa levar pelos prazeres mundanos."
    Samir Naliato, Universo HQ
  • "Uma história muito instigante cheia de referências e simbolismos, que tem todo aquele ar mais abstrato de uma história muito fantástica."
    Fernando Bedin, Central HQs
CONHEÇA MAIS

O desenhista Milo Manara e roteirista Silverio Pisu reinventam o clássico da literatura chinesa Jornada ao Oeste, da autoria do monge Wu Cheng’en, transformando-o, ao mesmo tempo, numa escaldante epopeia e numa mordaz crítica política à Itália da década de 1970, carregada de temas filosóficos e existencialistas.

Publicada originalmente na revista Alter Linus, entre janeiro de 1976 e fevereiro de 1977, O Rei Macaco foi uma das primeiras obras de fôlego desenhada por Manara. Com ela, o cultuado artista italiano, mestre do erotismo, descobriu as infinitas possibilidades culturais e narrativas que existem nos quadrinhos, e teve a oportunidade de amadurecer seu próprio traço e estilo.

Nascido do ventre de uma pedra germinada pelos cinco elementos, Sun Wukong, o Rei Macaco, vive uma série de desventuras em sua ânsia de adquirir poderes máximos e de se tornar imortal. Em sua trajetória, acaba se tornando líder revolucionário e libertador de toda uma nação, e precisa enfrentar a tirania do Imperador de Jade, a sistematização das religiões, a burocracia da política e até o onipotente Buda.

O Rei Macaco ganhou o prêmio Yellow Kid na categoria Melhor Álbum de Quadrinhos do Festival de Lucca em 1976 e ajudou a promover o nome dos seus criadores internacionalmente.

SOBRE OS AUTORES

Milo Manara

Nascido Maurilio Manara em 12 de setembro de 1945, em Luson, na Itália, é celebrado como o maior expoente dos quadrinhos eróticos do mundo. Começou sua trajetória no ramo das histórias em quadrinhos em 1969, ao publicar o conto policial Genius, pela editora Furio Viano. Ao lado de Silverio Pisu, desenvolveu projetos que o ajudaram a consolidar seu nome e estilo.

Em 1983, com o lançamento do álbum Clic, o mundo foi apresentado ao erotismo que impregnaria suas obras vindouras. O sucesso de Clic concedeu a Manara fama internacional, gerou três sequências e uma adaptação cinematográfica, em 1985.

Logo, seu talento o colocou em contato com outros gênios do meio artístico, como o amigo e mentor Hugo Pratt, com quem lançou os álbuns Verão Índio e El Gaucho, o diretor italiano Federico Fellini, que cedeu dois roteiros de cinema que se transformaram em Viagem a Tulum e Il Viaggio di G. Mastorna Detto Fernet (incompleto em decorrência da morte de Fellini), o cineasta e escritor chileno Alejandro Jodorowsky, com quem criou a série em quatro volumes Bórgia, o escritor Neil Gaiman, com quem produziu Sandman: Noites Sem Fim, coletânea de histórias para a DC/Vertigo, e Chris Claremont, ao lado de quem deu projeção à edição X-Men: Mulheres em Fuga.

Em 1998, entrou para Jack Kirby Hall of Fame do prêmio Harvey, e, em 2004 e 2012, ganhou o prêmio Eisner, nas categorias Melhor Antologia e Melhor Edição Norte-americana de Material Estrangeiro. Desde 1970 está casado com Luisa Fedrigoli, com quem tem uma filha, Simona Manara.


Silverio Pisu

Nascido em 18 de novembro de 1937 em Roma, na Itália, Silverio Pisu dedicou-se à produção de teatro, TV, rádio, dublagem, música, livros e revistas, e sagrou-se como um dos primeiros profissionais multimídia da Itália. Até 1967, escreveu romances de ficção científica, mas foi só em 1971 que abraçou a carreira de roteirista de HQs na Il Giornalino, uma revista italiana semanal que publicava personagens famosos oriundos de vários países. Os personagens de maior sucesso de Pisu são a heroína sexy robótica Cosmine, o herói mascarado libertário Carrasco Negro, protagonista de Tom Boy, e o caçador de tesouros submersos Blu Max.

Além de O Rei Macaco, também produziu com Milo Manara as obras Alessio e Il Borghese Rivoluzionario. Outras obras pelas quais é lembrado são Doctor Salomon, Fantastoria e Dimmi Dammi Dommi. Silverio Pisu faleceu em 31 de janeiro de 2004, em Milão.


Assista ao vídeo

Você também pode gostar de…