Moby Dick

Chabouté

Aclamada como a mais impressionante adaptação para os quadrinhos desse clássico da literatura, Moby Dick é um verdadeiro triunfo do premiado quadrinista francês Christophe Chabouté. A epopeia do obcecado capitão Ahab em busca do cachalote branco é recontada de forma magistral pelas mãos de um mestre, que optou por conservar o texto original de Herman Melville, transformando-o numa primorosa narrativa gráfica.

R$120,00

1547 em estoque

• Formato 21,5 x 28,5 cm
• 256 páginas em preto e branco
• Capa dura com verniz localizado e lombada redonda
• Miolo em papel offset 120 g/m²

COMPLETE SUA COLEÇÃO

++
Price for all:   R$319,90
  • "Deixai que o mais distraído dos homens mergulhe no mais profundo devaneio, erguei-o sobre suas pernas, ponde seus pés em movimento e eles infalivelmente levá-lo-ão até a água."
    Trecho de Moby Dick
  • "O artista teve espaço o suficiente para trabalhar com os enormes silêncios da longa jornada pelo mar, sem precisar apelar para recordatórios explicativos. Muito do que a história nos conta se dá pelos olhos, expressões faciais e gestos dos personagens..."
    Romeu Martins, Universo HQ
  • "Logo no início de Moby Dick, o traço fino e bastante definido de Chabouté se faz notar, lembrando outro mestre francês, Moebius. A modulação da espessura do traço, embora tímida, está lá dando volume aos objetos e criando um dos mais belos efeitos marítimos dos quadrinhos."
    André Cáceres, O Estado de S.Paulo
  • "Coroando o texto centenário, o estilo de Chabouté garante uma arte sofisticada, diagramação eficiente e personagens marcantes. O que explica o motivo de eu não conseguir esquecer os olhos trincados de Ahab ao final da leitura."
    Gustavo Vícola, Mundo dos Super-Heróis
CONHEÇA MAIS

Christophe Chabouté conta com uma carreira sólida de mais de duas décadas de produção, mas seu maior desafio veio em 2014, quando se propôs a adaptar para os quadrinhos o cultuado romance Moby Dick, conservando o texto original e irretocável de Herman Melville. O resultado é uma graphic novel de tirar o fôlego, de visual singular, estruturação perfeita, dinâmica, cativante e extremamente fiel ao livro original. A reconstrução de época, o ritmo narrativo, a caracterização física e psicológica de todos os personagens… cada quadro desta obra foi cuidadosamente pensado para ser um componente de um todo tão belo quanto insondável, mas também para funcionar como uma pequena maravilha por si só.

Prepare-se para a emocionante caçada à maior das criaturas do mar, ao lado do narrador Ismael, do misterioso aborígene Queequeg e de uma tripulação que oferece o próprio sangue para seu capitão em troca da promessa de glória e ouro, sem saber que, na verdade, o que os aguarda é a desgraça e o infortúnio!

Em 2017 a obra foi publicada nos Estados Unidos em uma edição de luxo pela editora Gallery 13, onde recebeu uma indicação ao prêmio Eisner na categoria Melhor Adaptação. Aqui no Brasil, com a edição da editora Pipoca & Nanquim, ganhou o Troféu HQMix 2017 nas categorias Adaptação para os Quadrinhos e Edição Especial Estrangeira.

SOBRE O AUTOR

Chabouté

Nascido em 8 de fevereiro de 1967, o quadrinista francês Christophe Chabouté lançou seu primeiro trabalho na coletânea Les récits, em 1993, baseada na obra de Arthur Rimbaud. Publicou, em 1998, Sorcières e Quelques jours d’été, dois álbuns bastante aclamados por público e crítica, com o segundo sendo premiado no Festival de Angoulême. Pouco tempo depois, com os lançamentos de Zoé, em 1999, e Pleine lune, em 2000, ele atingiu sua maturidade como artista.

Em 2001, lançou Un îlot de bonheur, que recebeu menção especial do júri do Angoulême. No ano seguinte, colaborou com a coleção Léo Ferré en BD, publicou La bête e começou a trabalhar no primeiro livro da trilogia Purgatoire, concluída em 2005. Em 2006, decidiu contar em quadrinhos a história do assassino mais famoso da França e lançou Henri Désiré Landru. Menos de doze meses depois, publicou Construire un feu, adaptação do conto homônimo de Jack London. A seguir, Chabouté entregou a impressionante sequência de um álbum por ano: Solitário (2008), Terre-Neuvas (2009), Fables amères (2010), Les princesses aussi vont au petit coin (2011) e Um pedaço de madeira e aço (2012). Todos saíram pela Vents d’Ouest, sua principal casa editorial.

Em 2014, começou a publicar Moby Dick, sua adaptação do monumental romance de Herman Melville. O trabalho ímpar de Chabouté vem colecionando elogios e prêmios por todos os países onde é lançado, e o autor já se firmou como um dos maiores artistas europeus da atualidade.


Assista ao vídeo

Você também pode gostar de…