Luz que Fenece

Barbara Baldi

A premiada graphic novel de estreia da talentosa ilustradora e colorista Barbara Baldi, colaboradora frequente dos estúdios Disney. Em 1850, no período Vitoriano, uma tragédia se abate sobre a família de Clara, lançando-a em uma sucessão de graves acontecimentos. Para não fenecer, ela terá que ser um ponto de luz em meio à escuridão.

R$69,90

576 em estoque

• Formato 21 x 30 cm
• 124 páginas coloridas
• Capa dura com papel especial linho
• Miolo em papel pólen bold 90 g/m²

COMPLETE SUA COLEÇÃO

++
Price for all:   R$164,70
  • “Barbara Baldi trouxe lirismo e tensão nessa sua obra que ganha o leitor pela imersão e clima. Com uma trajetória construída com fluidez, a HQ leva a reflexões sobre resiliência, melancolia e superação.”
    Revista O Grito!, na lista de melhores HQs de 2019
  • “Sem almejar uma complexidade de conteúdo que talvez não lhe seja cabível, Luz que Fenece é uma pequena joia dos quadrinhos, que se concentra em sua força visual inquestionável para narrar uma história que não é inovadora, mas que consegue ser comovente em sua simplicidade.”
    Fumetto Logica
  • “Se a cor pudesse falar, é na graphic novel Luz que Fenece, de Barbara Baldi, que ela encontraria sua voz e sua gramática.”
    IlLibraio.it
  • “É no lado artístico que Luz que Fenece se destaca, provando ser uma obra feita com técnica e que presta atenção aos detalhes.”
    Lo Spazio Bianco
  • “O cuidado precioso de Barbara com a arte e a ambientação da obra fazem de Luz que Fenece uma leitura agradável e esteticamente deslumbrante.”
    Fora do Plástico
  • “Como se já não bastasse a narrativa sentimental profunda, a arte de Baldi é impressionante. Se você gosta de quadrinhos com sentimento, sacrifícios e redenção, esta obra vai certamente atender suas expectativas ou até superá-las.”
    Afro Nerd
CONHEÇA MAIS

Uma herança. Uma mansão em ruínas. Duas irmãs divididas. Em sua primeira graphic novel, a italiana Barbara Baldi convida o leitor a acompanhar uma história intensa, que combina ilustrações, ambientação e roteiro à perfeição.

Na Inglaterra Vitoriana, Clara e Olívia se veem em conflito após a súbita morte da avó. O abismo entre as irmãs faz com que Clara, uma jovem aristocrata apaixonada por música, precise lidar com os desafios de gerir sozinha a Mansão Flintham Hall e a propriedade adjacente. Em pouquíssimo tempo, a falta de dinheiro e a situação decadente em que foi lançada a obrigarão a tomar decisões difíceis e encarar uma luta contra um destino que se revela extremamente opressor.

Assim como nos contos de fadas, Luz que Fenece é uma trama marcada por renúncia, sacrifício e redenção. Clara precisa ser uma luz na escuridão se quiser resistir. Mas quanta dor uma luz pode aguentar antes de fenecer? A autora fez de sua personagem uma espécie de princesa que se vê costumeiramente em animações dos estúdios Disney, mas tendo à frente um mundo muito mais real e assustador do que aqueles que Cinderela ou Branca de Neve tiveram de enfrentar.

Duas vezes premiada na Itália por conta de sua arte, a obra está repleta de paisagens que poderiam ter saído de uma tela impressionista, e foi concebida com técnicas mistas. Apesar de se inspirar em nomes clássicos da pintura, Barbara Baldi utilizou o Photoshop para fazer grande parte dos quadros. Outras vezes, o processo era inverso, com aquarela, lápis e depois o refinamento digital. As referências da ilustradora também estão nos quadrinhos, em nomes como Gipi (A Terra dos Filhos), Manuele Fior (Cinco Mil Quilômetros por Segundo) e Pablo Auladell (O Paraíso Perdido).

História completa, impressa num volume luxuoso a altura de seu conteúdo, com capa dura revestida de papel especial linho, miolo em papel pólen bold de alta gramatura e formato europeu. A edição também conta com um prefácio da autora feito exclusivamente para os leitores brasileiros, relacionando os temas do quadrinho com suas experiências de vida.

SOBRE A AUTORA

Barbara Baldi

Luz que Fenece, lançada em 2017 pela Oblomov Edizioni, na Itália, consolidou o talento da colorista e ilustradora Barbara Baldi. Por esta sua estreia como contadora de histórias, ganhou os prêmios Michelluzzi, concedido na Napoli ComiCon, e o Gran Guinigi, na categoria Melhor Desenhista.

Antes de fazer este conto de superação, a italiana já havia colaborado com muitas publicações do mercado europeu e norte-americano. Como ilustradora e colorista já foi lançada por várias empresas, incluindo Pixar, Disney, Marvel, DeAgostini, Les Humanoïdes Associés e Norma Editorial.

Formada na Accademia Disney, uma instituição fundada em seu país de origem por Giovan Battista Carpi, o lendário artista que trabalhou por muitos anos para os estúdios Disney, e aluna do Walt Disney Studios, em Los Angeles, ela divide sua paixão pelo mundo editorial com outra atividade: o cinema. Para o estúdio de animação Rainbow CGI, trabalhou como color key artist em filmes da série Winx.

Em 2018, lançou seu segundo álbum, Ada, que narra a delicada história de uma garota, filha de um pai ignorante e autoritário, que encontra sua fuga por meio da pintura, praticada em segredo. A história é ambientada no interior da Áustria, durante a Primeira Guerra Mundial, e, tal qual Luz que Fenece, vem colhendo elogios de público e crítica por onde passa.


Assista ao vídeo

Você também pode gostar de…