Lone Sloane

Philippe Druillet

Uma das maiores ficções científicas de todos os tempos, produzida ao longo de décadas pelas mãos de um visionário! Uma das primeiras obras a subverter e transcender todos os limites das histórias em quadrinhos, mudando os rumos da indústria. A seminal saga de Druillet finalmente chega ao Brasil.

R$129,90

560 em estoque

• Formato 21 x 28 cm
• 340 páginas coloridas
• Capa dura com acabamento metalizado
• Miolo em papel couché brilho 115 g/m²

COMPLETE SUA COLEÇÃO

++
Price for all:   R$309,70
  • “Druillet explodiu as histórias em quadrinhos e as libertou das delimitações de seus painéis estreitos.”
    – René Goscinny, Asterix
  • “[Druillet] dá aos quadrinhos uma dimensão a mais, que talvez seja 'simplesmente' a dimensão onírica; o que, em todo caso, é sensacional.”
    – Hergé, As Aventuras de Tintim
  • “Seja desenhada, pintada ou esculpida, a arte de Druillet é obsessiva.”
    – Enki Bilal, Trilogia Nikopol
  • "Uma das artes mais lindas que eu já vi em quadrinhos."
    Fernando Bedin, Central HQs
  • "A primeira coisa que impressiona um leitor que chega ao universo de Druillet é a sua arte. É como se estivéssemos vendo o casamento entre a perfeição cósmica de Jack Kirby e as viagens lisérgicas de Moebius, tendo como padrinho os pesadelos de H.P. Lovecraft."
    Luiz Santiago, Plano Crítico
  • "Um dos maiores gênios da ficção científica nos quadrinhos de que se tem conhecimento."
    Raphael Ranieri, Formiga Elétrica
  • "Trazer isso ao Brasil pela primeira vez foi um acerto miraculoso. Tipo alcançar 6,03 metros no salto com vara olímpico."
    Ciro Inácio Marcondes, Metrópoles.
CONHEÇA MAIS

O jogo cósmico começou! E Lone Sloane é a peça que todos querem na partida.

Viajando pelo cosmo, Sloane, um solitário explorador interestelar, foi imbuído de poderes místicos por tramoias de deuses ancestrais. Agora ele singra os mares galácticos à moda de um Ulisses cósmico, se enredando em uma trama que envolve tiranos despóticos, piratas espaciais, dragões e criaturas alienígenas, em mundos hostis e opressores, onde todos querem manipulá-lo e tomar seus poderes.

Criada pelo francês Philippe Druillet, um dos maiores gênios da nona arte, Lone Sloane é uma das ficções científicas mais importantes de todos os tempos; uma obra que não só subverte, como também transcende, todos os limites dos quadrinhos. Trata-se de uma saga seminal, produzida ao longo de cinco décadas pelas mãos de um visionário, com a colaboração de Jean-Paul Fernandez (La Voie du Sabre), Jacques Lob e Benjamin Legrand (O Perfuraneve).

Essa edição integral compila os cinco álbuns que compõem a história de Lone Sloane, Les 6 Voyages de Lone Sloane (1972), Delirius (1973), Gail (1978), Chaos (2000) e Delirius 2 (2012), além de diversos textos extras exclusivos.

SOBRE O AUTOR

Philippe Druillet

Nascido em 1944, na França, é um artista completo, precursor e referência em todos os meios aos quais se dedicou.

Em sua primeira publicação, Le Mystère des Abîmes, de 1966, apresentou seu recorrente herói Lone Sloane, que marca um ponto de ruptura no cenário das HQs mundiais.

Depois de se tornar um colaborador regular da revista em quadrinhos franco-belga Pilote em 1970, sua saga do Lone Sloane floresceu maravilhosamente conforme ele inovava o leiaute das páginas, as composições e o uso das cores, rompendo todos os limites que se conhecia na nona arte.

Em 1974, o artista se juntou a Moebius, Jean-Pierre Dionnet e Bernard Farkas para fundar a editora Les Humanoïdes Associés e lançar a paradigmática revista Métal Hurlant. Este foi o veículo perfeito para suas experimentações e um passo significativo no refinamento de suas habilidades como narrador visual.

No ano seguinte, devastado pela morte de sua esposa, Nicole, Philippe Druillet expôs todos seus sentimentos em La Nuit, uma história violenta e arrebatadora. Entre trabalhos de ilustração para capas de discos e livros, pin-ups e histórias curtas, em 1980, Druillet publicou outra de suas obras-primas: Salammbô, uma trilogia em quadrinhos baseada no livro de Gustave Flaubert.

Além do trabalho como quadrinista, ele também se dedicou à fotografia, arquitetura, música, pintura, escultura e computação gráfica. Foi designer de produção do filme O Comboio do Medo, de William Friedkin, em 1976. Jean-Jacques Annaus o convidou para fazer os pôsteres de A Guerra do Fogo e O Nome da Rosa. Sua arte teve forte influência em cineastas ao redor do mundo, como Ridley Scott, George Miller, John Landis e George Lucas, sendo que este inclusive agradeceu publicamente ao quadrinista pela constante inspiração para desenvolver Star Wars.


Assista ao vídeo

Você também pode gostar de…