Grama

Keum Suk Gendry-Kim

O belíssimo e premiado manhwa (quadrinho sul-coreano) que está emocionando o mundo, sobre a triste história real de Ok-sun Lee, mulher que sofreu como escrava sexual do Exército Imperial Japonês durante a Segunda Guerra Mundial.

R$79,90

1732 em estoque

• Formato 16 x 23 cm
• 488 páginas em preto e branco
• Capa dura com sobrecapa soft touch, verniz localizado e fitilho marcador
• Miolo em papel offset 90 g/m²
• Acompanha marcador de página exclusivo

COMPLETE SUA COLEÇÃO

++
Price for all:   R$244,80
  • “Este é um quadrinho sobre direitos humanos, um quadrinho sobre paz, que retrata com fidelidade a vida de uma ‘mulher de conforto’ vítima do Exército Imperial Japonês. Vamos ouvir com atenção a palavra dessa vovó que foi escravizada em uma ‘casa de conforto’, pois é a palavra que faz brotar a semente da paz.”
    Jae-sook Kang, ativista pela paz
  • “Aqui, vemos a pobreza sistematizada, as relações abusivas de poder e a falta dos direitos das mulheres. Só o que há de pior. A questão das ‘mulheres de conforto’ não se restringe a um acerto de contas com o passado; esta obra-prima prova que isso está diretamente ligado aos principais problemas da nossa sociedade atual.”
    Nak-ho Kim, estudioso de histórias em quadrinhos
  • “Livro que merece espaço entre as grandes obras sobre a Segunda Guerra Mundial e sobre as atrocidades que seres humanos cometem contra seus semelhantes.”
    Rodrigo Casarin, colunista do Uol
CONHEÇA MAIS

Grama é uma poderosa graphic novel antiguerra que narra a história real da sul-coreana Ok-sun Lee, vendida pela própria família na infância e forçada à escravidão sexual pelo Exército Imperial Japonês. Ela é uma das várias mulheres que foram capturadas para servir aos soldados nas chamadas “casas de conforto”, espalhadas pela China e pelos territórios ocupados pelo Japão durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa e a Segunda Guerra Mundial, em um dos episódios mais vergonhosos do passado da humanidade. Ok-sun Lee, hoje com mais de 90 anos, se tornou uma importante ativista pela indenização das “mulheres de conforto”, e é por meio de seus relatos à autora Keum Suk Gendry-Kim que acompanhamos sua triste história de vida.

A obra foi lançada na Coreia do Sul há apenas três anos, em 2017, mas já ganhou publicações em outros seis idiomas e tem colecionado prêmios e elogios da crítica no mundo todo. Venceu o Prêmio Especial Bulles d’Humanité, do tradicional diário francês L’Humanité; entrou para as listas de melhores histórias em quadrinhos de 2019 dos jornais The New York Times e The Guardian; venceu os prêmios The Cartoonist Studio Prize, Big Other Book Award e VLA Graphic Novel Diversity Award; e foi indicada em três categorias do célebre Prêmio Eisner em 2020, como Melhor escritor/artista, Melhor trabalho baseado em fatos e Melhor edição americana de material asiático.

O grande sucesso de Grama está em trazer à tona a questão desse gravíssimo crime de guerra em uma narrativa leve e chocante ao mesmo tempo, sempre com ênfase na força e determinação de sua protagonista para superar adversidades e manter-se viva.

A edição da editora Pipoca & Nanquim, traduzida diretamente do coreano, tem 492 páginas em papel offset 90g, capa dura com sobrecapa macia ao toque e com verniz localizado, lombada redonda e fitilho marcador de tecido.

SOBRE A AUTORA

Keum Suk Gendry-Kim

Ela nasceu em 1971, na Coreia do Sul, na região de Jeolla, no extremo sul do país. Estudou pintura na Universidade de Sejong e na École Supérieure Des Arts Décoratifs, em Estrasburgo, na França. Sua arte tem sido exposta em países da Europa e na Coreia de Sul desde 2012.

Ela entrou para o mercado de quadrinhos com as obras Le chant de mon père, uma história autobiográfica, e Jiseul, uma adaptação cinematográfica, lançadas em solo francês, respectivamente, em 2012 e 2015, pela Éditions Sarbacane.

Em seu país de origem, ganhou o prêmio Best Creative Manhwa Award pela história curta Sister Mija, sobre uma “mulher de conforto” que, depois, também veio a ser mostrada em Grama, seu quadrinho mais ovacionado até agora, publicado em 2017 pela Bori Publishing.

Para o ano de 2020, são aguardados os álbuns Jun, que será publicado pela Delcourt, L’tarbre nu, pela Les Arènes, e Alexandra Kim, la siberienne, pela Cambourakis.


Assista ao vídeo

Você também pode gostar de…