Fredric, William e a Amazona: Perseguição e Censura aos Quadrinhos

Jean-Marc Lainé & Thierry Olivier

Nesta sensacional graphic novel, os autores narram, por meio da trajetória de duas influentes personalidades da época, os bastidores do conturbado cenário que levou à criação do Comics Code Authority, em 1954, ferramenta de censura que passou a cercear o conteúdo dos quadrinhos e que, por pouco, não causou a ruína desse mercado.

R$59,90

Em estoque

• Formato 21 x 28 cm
• 116 páginas
• Capa dura com verniz localizado
• Papel couché de alta gramatura
• Tradução: Rafael Meire

Normalmente comprados juntos:

++
Preço total:   R$179,70
  • "Fredric, William e a Amazona é bastante eficiente em montar um panorama dos acontecimentos e personagens que levaram ao evento do Comics Code Authority, assim como suas imediatas consequências[...]"
    Larissa Camargo, Geek & Feminist
  • "A publicação no Brasil ganha ainda mais relevância graças às semelhanças com nosso momento político. A perseguição aos quadrinhos nos Estados Unidos se desenrolou em meio ao clima paranoico da inquisição anticomunista do macarthismo — o senador Joseph McCarthy e seu “gabinete do ódio” enxergavam comunistas por toda parte, mas principalmente na indústria de entretenimento, e desencadearam uma caça às bruxas do que consideravam uma corja de delinquentes subversivos."
    Carlos Minuano, Quatro Cinco Um
  • "Essa é uma obra de peso, com uma arte maravilhosa que casa muito bem com um texto bem claro e que tenta se despir de preconceitos, é uma ode aos quadrinhos daquela época, uma HQ indispensável para quem gosta da história dos quadrinhos como um todo."
    Fernando Furtado, Canal Metalinguagem
CONHEÇA MAIS

Dois homens com visões opostas sobre o efeito dos quadrinhos nos jovens leitores. Um deles escreveu um livro que quase acabou com os gibis nos Estados Unidos. O outro ajudou na expansão inicial da indústria trazendo milhões de garotas para o gênero dos super-heróis. O que os levou a pensarem de forma tão diferente e a trilharem caminhos tão opostos?

O primeiro é o psiquiatra Dr. Fredric Wertham, autor do infame Sedução do Inocente., onde sugeriu que os quadrinhos eram perigosos para as crianças. O segundo é o multifacetado William Moulton Marston, psicólogo criador da Mulher-Maravilha e estudioso do potencial educacional dos quadrinhos. Nesta sensacional graphic novel, os franceses Jean-Marc Lainé e Thierry Olivier narram, por meio da trajetória dessas duas influentes personalidades da época, os bastidores do conturbado cenário que levou à criação do Comics Code Authority em 1954, ferramenta de censura que passou a cercear o conteúdo dessas publicações e que por pouco não causou a ruína desse mercado.

Permeada pelo clima fervilhante e paranoico do Macarthismo, a obra mostra como Wertham, uma autoridade em psiquiatria forense, relacionou a delinquência juvenil às HQs e desencadeou um inquérito sobre elas no Congresso dos EUA, culminando em uma batalha jurídica e moral que obrigou os homens que estavam por trás das páginas de quadrinhos a readequarem seus títulos para poderem continuar trabalhando.

Fredric, William e a Amazona: Perseguição e Censura aos Quadrinhos é um registro histórico desse conturbado e fascinante período e chega no formato luxuoso habitual da editora Pipoca & Nanquim, com extras de produção e impresso em capa dura com verniz localizado e miolo em papel couché de alta gramatura.

SOBRE OS AUTORES

Jean-Marc Lainé

Nsceu em 1970. Em 1999, virou editor-chefe da editora Semic, na qual pôs em prática seu conhecimento sobre histórias em quadrinhos estadunidenses e italianas. Na Bamboo, supervisionou a coleção Angle Comics por dois anos. Professor e pedagogo, escreveu Manuels de la BD e, em seguida, La Méthode Largo Winch, pela Eyrolles. Roteirista de séries para as edições da Pockets Semic, escreveu a trilogia sci-fi Omnopolis, o segundo tomo da série 42 (Soleil) e o díptico Grands Anciens, que promove o encontro entre os universos de Herman Melville e Howard Phillips Lovecraft, pela Soleil. Na literatura, é autor das obras Superhéros: Lapuissance des masques, Nos Années Strange: 1970-1996, Frank Miller: Urbaine tragédie, Stan Lee: Homère du XX Siècle e Nos Années Temps X,.


Thierry Olivier

Nasceu em 1965, em Rouen, na França. Um brilhante percurso escolar, com consequências igualmente brilhantes, o encorajou a mergulhar no mundo do trabalho a partir dos 14 anos de idade, obtendo, em meio à alegria e ao entusiasmo gerais (após ter subornado os examinadores), um certificado técnico de mecânica de automóveis aos 18 anos. Em 2005, abandonou em definitivo a indústria para se dedicar exclusivamente a desenhar histórias em quadrinhos.


Assista ao vídeo

Você também pode gostar de…