Pipoca e Nanquim Visita a MSP – Dia 1

Bom, este é um texto de tietagem, mas quem não dá uma de tiete quando visita a maior fábrica de sonhos dos quadrinhos nacionais? Nossa história começa meses atrás, quando o Daniel começou a perturbar o grande Sidney Gusman no Twitter, mandando textos e links para apresentar nosso programa a esta lenda do mercado editorial brasileiro.

Pois bem, para nossa surpresa, o Sidney respondeu, mostrando-se simpático e acessível, sério e comprometido, e sempre disposto a ajudar a quem está fazendo um bom trabalho ao divulgar HQs. Bom, nosso relacionamento foi ficando cada vez mais estreito e a cada novo contato, nós do Pipoca vibrávamos, como quando fomos convidados para escrever críticas na comemoração dos 5.000 resenhas do Universo HQ, ou quando criamos coragem e o convidamos para fazer um elogio na contracapa do Quadrinhos no Cinema. Inevitavelmente, veio o convite para nos encontrarmos pessoalmente e conhecermos a MSP. Demorou meses, mas no dia 25/07/2011, lá estávamos nós, na Rua do Curtume em SP, de frente para um enorme prédio e embasbacados.

Bom, a visita estava marcada para as 11h. Precavidos que somos, saímos da casa da mãe do Alexandre (onde armamos acampamento) com mais de uma hora de antecedência, porém foi insuficiente. Sim, o trânsito de São Paulo é tão ruim (ou mais) quanto você escuta falar. O relógio marcava 11h20 quando estávamos no lobby, em uma fila, aguardando para sermos atendidos, quando Sidney ligou.

“Cadê vocês?”

“Estamos aqui embaixo, esperando para sermos atendidos.”

A entrada já é um show à parte. Há Turma da Mônica por todos os lados, nas paredes, no balcão, na catraca; você se sente literalmente entrando em outro universo. Naquele dia o prédio estava lotado e o segurança pegou apenas o RG do Alexandre e deixou o resto passar.

Fomos direto ao quinto andar, para a sala do Sidney. Cada andar é um pavilhão enorme, com poucas paredes de concreto e muitas áreas livres de circulação, repletas de… (adivinha) tudo o que você possa imaginar de Turma da Mônica. Sem brincadeira, tem momentos que você não sabe para onde olhar. Uma moça loira sorri para nós e aponta a sala do Sidão, que ao ver-nos chegar, levanta-se com um sorriso no rosto de orelha a orelha e nos dá um abraço.

Sobre sua mesa, duas artes espetaculares para a nova edição do MSP 50, que já nos deixam com água na boca. Mas o quente mesmo estava no computador. “Vai nos mostrar?”, perguntamos. E ele mostrou.

Galera, o que vimos naquele computador irá chocar até mesmo os mais otimistas. Se você acha que já viu algo com todos os previews que recebemos nas últimas sextas-feiras, aqui vai um aviso: você ainda não viu nada! O material que o Sidney recebeu para esta edição é literalmente de cair o queixo. De repente, em meio a toda empolgação, o Alexandre diz:

“Sidney, posso ser inconveniente e pedir um café?”

O cara não fica sem café de jeito nenhum e lá toca todo mundo para a copa. Próximo a ela, uma estátua do Jotalhão e milhares de fotos. Dentro da copa, o Daniel dá um sorriso: “Putz, até o saquinho de açúcar é da Monica!”. O Sidney ri.

De volta à sua sala, tornamos a ver mais alguns previews, quando o Sidney diz: “Ó o homem aí”.

Passa pela frente da sala um senhor bem-humorado, baixinho, com calça jeans e camisa xadrez. Ele passou reto, deixou algumas coisas em sua sala e retornou para nos cumprimentar. Somos apresentados e o Sidney explica sobre o que é nosso programa. Então o Mauricio nos convida para conhecer sua sala. Do lado direito, a tradicional imagem da Mônica como Mona Lisa chama a atenção. Sobre a mesa, dezenas de bonecos. Ao lado da porta, um quadro enorme e espetacular.

Percebemos que Mauricio está um pouco eufórico e logo entendemos o motivo: há uma equipe de filmagem esperando por ele em sua sala; em uma sala adjunta, alguns advogados também aguardam para fazer uma reunião; quando ele posa para foto conosco, deixa escapar em voz alta: “Vamos lá, pessoal, que hoje é dia de revisar roteiro. E roteiro tem prioridade”. O Sidney nos explica: “A MSP produz uma média de 1200 páginas por mês. E o Mauricio edita todas!”.

“Todas?”

“Sim, todas. Nada passa sem o seu crivo”.

'Quadrinhos no Cinema' na mesa do mestre!

'Quadrinhos no Cinema' na mesa do mestre!

E o homem tem 76 anos, galera. Que vitalidade. Antes de sair da sala, o Alexandre pede um autógrafo. Olhando para os advogados esperando, Mauricio diz: “Posso entregar depois?”. “Estamos indo daqui a pouco…”, apela Alexandre, com medo de ficar sem a assinatura. “Então eu te envio mais tarde!”, respondeu o mestre.

Uma pontinha de decepção para todos. É provável que jamais voltemos a encontrá-lo, então nada de autógrafo. Mas o Sidney nos garante: “Ele vai fazer um negócio legal para vocês, fiquem tranquilos”. Antes de sair da sala, um momento emocionante. O Bruno entrega uma cópia do Quadrinhos no Cinema autografada e diz: “Mauricio, todos aprendemos a ler com a Mônica, então, de certo modo, devemos este livro a você”. Ele folheia o exemplar e comenta: “Bonito, hem? Vamos usar como obra de referência para o que fazemos aqui!”. O coração bate forte.

Vamos almoçar com o Sidney. Comida boa e barata, do jeito que gostamos. Quando se está conversando com alguém com a experiência do Sidão, a verdade é uma só: você não fala. Cala a boca e escuta. E tenta aprender e absorver o que ele tem a passar. Uma observação legal que ele nos disse foi: “Quando fui convidado pelo Mauricio pra trabalhar aqui, saquei que já não tinha muito a aprender como editor de HQs importadas. É uma questão mais de adaptar os textos traduzidos, revisar e tal. Mas nos MSP 50, sim, eu efetivamente virei editor de quadrinhos. Além disso, se o cara souber aproveitar, o Mauricio tem muito a ensinar, em diversas áreas”.

De volta à MSP, começa a tour. O estúdio no sexto andar é impressionante. Algumas dezenas de pranchetas com o pessoal trabalhando, todas enfileiradas. A galera usa fones de ouvido, imersos em seu próprio universo. O Bruno pergunta: “E aquela história de que o estúdio recicla material antigo, como cenários?”

“Isso não existe!”, ele responde. E, conforme comprovamos ao vivo, todas HQs são desenhadas realmente do zero. Vemos o processo de arte-final e colorização. O cuidado com que uma moça escreve as letras, artesanalmente. “O Mauricio faz questão de ser assim!”, nos assegura Sidney.

Andamos mais um pouquinho e conhecemos duas personalidades. Outro cara também chamado Sidnei e o Sr. Graciano, ambos desenhistas. O Sidão pede que observemos o rosto do (quase) xará dele e pergunta: “Quem ele parece? Coloquem uns cabelos loiros espetados e tirem as rugas do rosto!”. Sim, estávamos de frente para o homem que inspirou o visual do Louco. Demos risadas e batemos muitas fotos. O Sr. Graciano é o funcionário mais antigo, 42 anos de casa, e o homem que criou o cabelo do Cascão. Filmamos o processo ao vivo. No final, ele assina o papel e entrega para o Pipoca.

Dizem que sou louco... Mas louco é quem me diz e não é feliz, eu sou feliz!

Seo Graciano, o homem que inventou o cabelo do Cascão.

"Para fazer o cabelo usei tecnologia de ponta...ponta de dedo" rsrs

Seguimos em frente, há tanto para ver, mas nosso horário está apertado. Fora isso, o Sidney já está conosco há quase 4 horas. Caramba, será que não estamos incomodando? “Que nada, venham ver o arquivo”. Esperávamos encontrar um arquivo com tudo o que já foi publicado da Mônica – e de fato encontramos, desde a época da Abril. Mas então um funcionário nos diz que o arquivo ocupa um andar e meio do prédio e nos questionamos: “Peraí, isso é espaço demais”.

O Alexandre se aproxima das caixas de arquivo e quase cai de costas com o que vê: Batman da Ebal, vários números. Revistas Veja, Manchete até Caras. Diário de S.Paulo, Folha de S.Paulo, formatinhos da Abril, de repente começamos a perceber uma verdadeira biblioteca lá sobre todos os assuntos. Sem brincadeira, tem de tudo!

“Sidney, isso está digitalizado?”.

“Não tudo, mas o processo está em andamento!”.

Respiramos aliviados. Aquele é um tesouro que não pode ser perdido.

Ele nos leva até o fundo da sala, onde há alguns arquivos de metal. Dentro, as tiras originais da Turma da Mônica, desenhadas à mão. Ele apanha uma e faz suspense, com um semissorriso no rosto. “Sabe o que é isso?”. Reconhecemos de imediato! Sim, tivemos oportunidade de segurar nas mãos a primeira aparição da Mônica! Histórico e inesquecível!

Sidney Gusman nos apresenta a arte original da tirinha com a primeira aparição da Mônica.

Sidney Gusman nos apresenta a arte original da tirinha com a primeira aparição da Mônica.

Nosso prazo já está para lá de explodido e nossos compromissos atrasados. Voltamos para a sala dele e logo recebemos a notícia de que o Mauricio ainda não assinou nossas coisas. O Sidney nos garante: “Podem pegar amanhã!”. Sabemos que temos que correr, mas antes ele nos faz assistir a algo que é segredo de estado. Uma animação do Penadinho em 3D. Espetacular, nível gringo. Ficou com água na boca? Pois espere e verá.

A visita acaba. Pelo menos o primeiro dia! Sim, nós não sabíamos, mas muito mais estava por vir no dia seguinte

Momento inesquecível! Foto para guardar a vida inteira. Obrigado, Mauricio!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. eu fiquei empolgado com essa visita de vocês,e tudo sendo feito a mão,isso é muito empenho na qualidade de material,eu ja vi varias revistas de outras editoras que não da nem para saber o que esta acontecendo direito nas paginas.O MSP 50 tambem é super interessante,varios artistas podendo mostrar como eles veem a turma da monica,muitas dessas artes que voces colocaram me surpreenderam ,tem algumas que parecem fotos,gostei muito de uma que tinha o astronauta e outra com o jotalhão.
    Obrigado pelo conteudo de qualidade.

  2. Existem pessoas com muita sorte, sortudíssimas, com sorte e o Alexandre Callari, Bruno Zago e Daniel Lopes xD.

    Parabéns!

  3. A visita dos sonhos! A visita de vocês me fez sentir no lugar de vocês! A observação na matéria foi excelente: “… todos aprendemos a ler com Mônica…”
    .
    Aguardo a segunda parte!

  4. Não tenho nem palavras pra dizer o quanto incrivel deve ser ver o lugar aonde é feito os quadrinhos da Turma da Monica.
    Vida longa a essa turminha que agora tambem já é adolescente.

  5. Nossa simplesmente nostálgico faz um tempo ja que estou sem comentar mas nesse post tinha que fazer questão de comentar.

    O motivo de eu ler quadrinhos e colecionar quadrinhos como da marvel,dc,vertigo entre outras marcas e editoras e autores são os quadrinhos da monica até hoje não abro a mão de nenhum deles nem mesmo os repetidos ainda compro quadrinhos da monica compro os dvds tenho mangas poster cards e até materias em revistas relacionadas a turma da monica.

    Só posso finalizar o comentario agradecendo ao Mauricio de Souza pelas hqs ao Sidney por ter levado vcs la e a vcs por essa materia incrivel e fotos da MSP obrigado pipoca e nanquim

  6. que FODA!, eu aprendi a ler como os quadrinhos deste cara. Me lembro até hoje que quando comecei a balbuciar algumas palavras, foi com uma do Chico Bento da promoção da Coca – Cola quando tinha 07 anos, na hora eu corri e li em voz alta para o meu pai e recebi um abraço dele. 🙂
    Uau!, a tirinha origina da Mônica, que do caralho foi isso heim!

    • Caramba! A primeira vez que a Mônica apareceu! Foi demais! Espero poder conhecê-los no FIQ e conversar melhor sobre essa experiência. Parabens ao P&N!