Minha Estante #60 – Luiz Gonçalves

Olá, amigos do PN!
Depois de um longo hiato, voltamos com nossa coluna favorita, a Minha Estante.
E, claro, retomamos mantendo o nível das outras coleções mostradas aqui. Cabe dizer que quem cuidará dessa coluna a partir de agora será o Alexandre Morgado, grande colecionador e conhecedor de quadrinhos.

Hoje o papo é com o grande colecionador Luiz Gonçalves, que mora em Minas Gerais.
Luiz que é formado em Desing, mestre em comunicação, professor universitário e empresário. Fundador e diretor há 25 anos da agência de propaganda e marketing Aliás Comunicação e Branding.
Nessa entrevista, ele vai nos mostrar a sua grande coleção, com foco em seu belíssimo acervo europeu, além do seu “kit de sobrevivência” que serve para reparar, higienizar e restaurar suas HQs.

Minha estante_Luiz Gonçalves_01

Olá, Luiz! Muito obrigado por participar desta entrevista.

Eu é que agradeço. É muito bom poder compartilhar com apreciadores e amantes de bons quadrinhos esta coleção, motivo de muita alegria e bons momentos na minha vida.

Como começou a sua fascinação por quadrinhos?

Cedo, cedíssimo, aliás, fui alfabetizado com quadrinhos, aos cinco anos estava soletrando Pato Donald… Bem, a coisa evoluiu para uma primeira estante lotada de tudo da Disney e olha só, já contava com os meus queridos europeus: Asterix, do Uderzo e Goscinny, Smurfs, do Peyo e Mortadelo e Salaminho, do Francisco Ibañez. Infelizmente a coleção (salvo alguns itens) não resistiu ao tempo. Após a adolescência e quando saí da casa dos meus pais no interior para estudar em Belo Horizonte, foi tudo doado. Mas é bacana saber que deve ter sido muito bom para a criançada que dividiu o bolo!

Na universidade, recuperei a coisa com outro olhar. Em uma época meio mágica dos anos 80, levei a porrada da Revista Animal, que realmente me aplicou na temática que gosto até hoje, esta coisa meio transgressora e irreverente, com este filtro bacana de quadrinho de autor.

Após me formar, em uma viagem a Espanha, que na época estava bombando na cena de HQ underground, comecei a pesar a barra, aí voltei de lá com mala cheia de Tebeos (como os comics são chamados na Espanha) e um gosto legal de ler em outras línguas e ir apurando nas temáticas e nos grandes artistas das BDs (Banda Desenhada), no estilo franco-belga e linha clara, capitaneado por Hergé, criador do Tintim, que caracteriza grande parte dos autores que gosto.

A fascinação continua até hoje! Ganho a vida com imagem (Design) e narrativa (Marketing e Propaganda). De certa forma, as HQs me retribuem muito, pois ampliam minha visão e sensibilidade.

Quantos quadrinhos você tem?

Minha biblioteca tem cerca de 4.500 volumes, dos quais uns 3.000 são álbuns e revistas em quadrinhos e no iPad deve ter mais uns 1.000 digitalizados…

Minha estante_Luiz Gonçalves_02 Minha estante_Luiz Gonçalves_03

Qual é o foco da sua coleção?

Meu recorte é Quadrinho Europeu, principalmente das décadas de 80 e 90. Também tenho uns americanos que considero fora da curva, como Will Eisner, Richard Corben, Charles Burns… e alguns brasileiros bacanas e com temática mais adulta e/ou de humor. Mas o foco é BD Europeia, continental, já que tirando Watchmen, do Alan Moore, não tenho praticamente nada da Inglaterra.

Minha estante_Luiz Gonçalves_28 Minha estante_Luiz Gonçalves_29

A sua coleção é bem organizada. Qual é a sua técnica de organização?

Olha só, classifico principalmente por autor, pois geralmente eles têm um estilo e temática que favorece este tipo de ordem. Como a maioria dos meus quadrinhos não são seriados e sim álbuns com histórias fechadas, a melhor forma é agrupar desta forma.

Você tem muitas HQs, que nunca foram publicados no Brasil. Em sua opinião, por que alguns desses materiais nunca foram lançador por aqui?

Acho que é uma questão de viabilidade econômica mesmo, tem que ter público! Afinal, editar quadrinhos, pagar royalties, imprimir e distribuir, é um processo que fica caro, não tem jeito. Se não tiver uma fatia disposta a comprar, a conta não fecha.
Tem também a questão da concorrência de gêneros, principalmente nas novas gerações. Franquias Marvel, DC Comics, Mangás… Páreo duro para os Europeus, que na década de 80 e 90, tiveram muita coisa sensacional publicada
aqui por editoras como L&PM, Martins Fontes e VHD Diffusion. Aí em 2000 teve um hiato muito grande, mas esse nicho começou a ser recuperado recentemente pela Editora Nemo, que vem fazendo um trabalho fantástico.

Minha estante_Luiz Gonçalves_31Minha estante_Luiz Gonçalves_32Minha estante_Luiz Gonçalves_11Minha estante_Luiz Gonçalves_12Minha estante_Luiz Gonçalves_13Minha estante_Luiz Gonçalves_19Minha estante_Luiz Gonçalves_20Minha estante_Luiz Gonçalves_21

Qual HQ você gostaria que fosse publicada por aqui?

Pois é… tem tanta coisa, né? Mas seria muito bom ter sagas completas como as do Ken Parker, do Milazzo, Jeremiah, do Hermann e XIII, do Vance…

Onde você costuma comprar esses materiais europeus?

Garimpar em sebos é muito bom e faço isso há muitos anos. Aqui em BH temos uns bem legais no centro da cidade, mas o meu grande canal mesmo é uma rede de amigos e vendedores de confiança em Portugal, Espanha, França e Argentina.
Faço minhas compras com calma e com boas negociações no Ebay da França e da Itália e em sites tipo leilão na Espanha e Portugal, pago por meio do Paypal. O custo de frete para enviar um livro para o Brasil facilmente chega ao dobro do valor da edição, assim, diluo a despesa concentrando as encomendas em um único endereço, casa de algum destes amigos que mora do país de origem da compra. Quando, literalmente, o saco enche (saco multi-postal com 5 quilos e frete econômico em modalidade aérea ou marítima) eles enviam para mim e eu reembolso.
(Esta é a melhor forma, pois o serviço postal é muito caro para o Brasil. Assim consigo viabilizar e tenho regular e literalmente a visita de um Papai Noel carregando o saco de quadrinhos na figura do carteiro)

Minha estante_Luiz Gonçalves_14 Minha estante_Luiz Gonçalves_15 Minha estante_Luiz Gonçalves_16 Minha estante_Luiz Gonçalves_17 Minha estante_Luiz Gonçalves_18Minha estante_Luiz Gonçalves_22Minha estante_Luiz Gonçalves_23Minha estante_Luiz Gonçalves_24Minha estante_Luiz Gonçalves_25Minha estante_Luiz Gonçalves_26

Quais são os quadrinhos e os artistas que você mais gosta?

Bem, por gênero: Adulto/Erótico, Fantástico, Sci-fi, Underground, Noir/Policial, Bélico e Histórico.

Por Autores: Hugo Pratt, Tanino Liberatore, Bourgeon, Milo Manara, Crepax, Enki Bilal, Moebius, Max Cabannes, Yves Chaland, Floch, Alain Grand, Giraud, Boucq, Vuillemin, Edgard P. Jacobs, Jacques Martin, Seravis, Hermann, Segrelles, Gibtrat, Vance, Schuiten e Peeters, Serpieri, Magnus, Schultheiss, Hergé, Miguelanxo Prado, Daniel Torres, Cañalez e Garrido, Will Eisner, Richard Corben, Dino Bataglia, Sergio Toppi, Guido Crepax e Jordi Bernet.

Minha estante_Luiz Gonçalves_05Minha estante_Luiz Gonçalves_06Minha estante_Luiz Gonçalves_07Minha estante_Luiz Gonçalves_08Minha estante_Luiz Gonçalves_09Minha estante_Luiz Gonçalves_10

 

Percebi que você não tem quadrinhos de super-heróis. Você não gosta desse tipo de histórias?

Na minha opinião, o problema do superpoder é que ele mascara ou anula a fraqueza humana que é fonte de todo drama… Viajo na leitura de HQ como fosse um filme, a imagem mental com as cores mais reais, admitindo a fragilidade, mesmo quando é sci-fi ou fantástico, me agrada muito mais. Nada contra os homens de capa e as mulheres de chicote, mas prefiro mesmo carne crua.

Minha estante_Luiz Gonçalves_27 Minha estante_Luiz Gonçalves_30 Minha estante_Luiz Gonçalves_33 Minha estante_Luiz Gonçalves_34Minha estante_Luiz Gonçalves_35Minha estante_Luiz Gonçalves_36

Você acha que o estilo de quadrinhos publicados no Brasil é parecido com os publicados na Europa?

A produção de quadrinhos no Brasil conta com autores bacanas. Obviamente, seguir um determinado estilo é escolha do autor. Pela fase em que se encontra ou por sua formação e repertório, diria que atualmente tem gente produzindo muita coisa boa em um caminho mais genuíno e com DNA próprio do Brasil, sem necessariamente seguir escola europeia, americana ou japonesa, o que é muito bom!

Falando sobre quadrinhos nacionais, tem algum que você goste?

Sim! Vários, para citar alguns: Flávio Colin, Eugênio Colonesse, André Toral, Marcatti, Lourenço Mutarelli, Eduardo Schloesser, Cynthia e Ofeliano, Danilo Beyruth, Marcelo Quintanilha, André Toral, Fábio Moon, Gabriel Bá, entre outros!

Minha estante_Luiz Gonçalves_41_BRMinha estante_Luiz Gonçalves_38_BRMinha estante_Luiz Gonçalves_39_BR

Qual o item mais raro da sua coleção?

Minha coleção é de um período relativamente recente, coisa de 35 anos, sendo assim, antiguidade não vale, o que conta são edições com tiragem mais limitadas ou esgotadas. Tenho muita coisa com cotação acima de 100 Euros por edição, como volumes das Obras Completas do Corben e várias edições do Tanino Liberatore.
Do Brasil, tem um Manara, a Arte da Palmada, que é “inconseguível” assim como a antiga edição de Olhos do Gato, de Moebius, publicada pela Martins Fontes nos anos 80, única em português até surgir o lançamento este ano pela Editora Nemo. Essa Olhos de Gato cheguei a vender lá fora por 200 Euros, pois tinha duas!

Tem algum item que ainda lhe falta, que você quer muito ter, mas está praticamente impossível de encontrar?

Então, é inesgotável a vontade de ter tudo, né? Mas não dá. Até que meu ciclo de europeus está bem completo. Dos nacionais, gostaria de duas obras antigas do Lourenço Mutarelli: A Confluência da Forquilha e Eu te amo Lucimar. Fica o aviso aos navegantes!

Minha estante_Luiz Gonçalves_37_BR

O que tem lido ultimamente que mais gostou?

Achei muito bom os dois últimos livros do Marcelo Quintanilha: Talco de Vidro e Tungstênio. Também li recentemente um álbum muito esclarecedor abordando o problema de depressão e bipolaridade: Parafusos, de Ellen Forney.

Minha estante_Luiz Gonçalves_40_BR

Você possui um “kit de sobrevivência” para HQs. Nos conte mais detalhes sobre ele?

Possuo muitas HQs de segunda mão, compradas em sebos ou web, assim, na hora de colocar um álbum na estante junto com seus irmãozinhos, é muito importante fazer um trabalho de verificação, eventuais reparos e higienização, afinal é com mãos e olhos que a gente absorve a leitura, né? Então, o primeiro passo após desembalar a obra é abrir a caixa do kit abaixo e por mãos à obra.

Minha estante_Luiz Gonçalves_32

Geralmente faço assim:

1) Limpeza: pano seco (flanela limpa) e borracha branca para remover poeira e sujidade.

2) Banho solar: Duas horas. Coloco com a contracapa para cima em luz direta, na varanda. Isto ajuda a matar eventuais bactérias e fungos, além de eliminar umidade que dá aquele cheiro de papel velho. A propósito, se realmente estiver cheirando mal, deve-se colocar em uma caixa bem fechada (tipo caixa de camisa) com umas duas colheres de Bicarbonato de Sódio (aquele saquinho branco) por dois dias, isto sequestra a umidade e elimina qualquer cheiro.

3) Recuperação: limpeza das laterais (áreas de corte das folhas) para eliminar sujidade, poeira ou ferrugem. Dobro uma lixa d’água fina (tá lá na caixa, encontrada em lojas de materiais de construção) e, pacientemente, com movimentos suaves vou lixando as laterais sujas, segurando o corpo da folhas sem a capa e contracapa. Para isto aconselho a colocar uma máscara tipo cirúrgica baratinha para não aspirar partículas nocivas, ok?

4) Verificação: Checar rasgos e folhas soltas no caso de encadernados, para isso lá na caixa: Fita Mágica 3M (reforço ou remendo), cola Pritt (cantos), cola branca (Lombada interna), tesoura e estilete (eliminação de rebarbas).

5) Higienização: Pasta Branca Pérola, que contém citronela (Antiácaro e traças). Esta pasta é utilizada para conservação de couro natural e sintético, não mancha, tem cheiro agradável e consistência muito firme. Passo pouquinho e espalhando com espuma macia na capa, lombada e contracapa.

6) Odorização: nada melhor que uma HQ com cheiro bom! Borrifo nas laterais (geralmente faço uma pilha com os álbuns) uma mistura aromatizadora que eu mesmo faço. Para 100 ml do produto uso: 90% de álcool de cereais ou álcool absoluto 99% (Veículo), 10% de Propilenoglicol (produto estabilizante que preserva a essência por meses) e 15 gotas de Óleo Essencial de Cedro, misturo tudo em um vidro com borrifador, agito por 5 minutos para ter o melhor perfume que o dinheiro não pode comprar. O Cedro é um antibactericida natural, mata traça e cupim, afasta inseto e tem um cheiro amadeirado que impregna no papel. Show de bola. Os itens você compra nesses links: Império das Essências e Natue. 

7) Acondicionamento: se for uma edição cartonada ou grampeada em papel poroso, coloca em sacos de Polipropileno Cristal já adesivados do tipo abre e fecha, superprático e dá um ótimo acabamento. Os meus compro na web, tem diversos tamanhos: 20×30, 23×35, 35×50… Vai um link para comprar baratinho: Rapidão Embalagens.

Minha estante_Luiz Gonçalves_04

Além de quadrinhos você coleciona outras coisas?

Sim, reitero a linha de colecionadores de HQs que curtem miniaturas, mas no meu caso, como não sou chegado a super-heróis, não tenho Action e Toys Figures. Tenho uma coleção muito abrangente (100 miniaturas) de cadeiras clássicas do Design.

Além disto, coleciono outras coisas, como miniaturas de instrumentos musicais, selos, cactus e suculentas, DVDs, CDs e outras tralhas legais… Não vou mostrar aqui por que não tem a ver com quadrinhos, desvirtua. Mas quem quiser pode conferir no meu Pinterest. 

O que vale mais: Uma HQ bonita de capa dura ou uma boa história?

Óbvio que é a boa história! Este é o benefício do produto, o papel é apenas um dos veículos, assim como um e-reader ou tela de computador.

Mas tem o seguinte: na minha opinião, ler uma boa HQ, com uma história envolvente que geralmente levou meses de dedicação de um artista, deve contemplar uma experiência mais ampla, de preferência de natureza estética. Assim, o acabamento de um livro, o bom cheiro, a textura do papel e a capa valorizam as horas envolvidas com aquele mundo em suas mãos.

No meu caso, o paraíso na terra é estar à tarde na varanda, luz do dia, jazz baixinho (de preferência um instrumental do Chet Baker) abafando o burburinho da família presente na casa (mulher, filho, sogra, papagaio e cachorro), tomando um soberbo Gin Tônica e lendo uma boa e bem cuidada HQ!

É isso aí! Muito obrigado por participar, Luiz!

Minha estante_Luiz Gonçalves_42_BR

 

Minha Estante é um espaço pra você, colecionador de HQs, mostrar sua coleção, falar sobre prazeres e vicissitudes desse hobby, conhecer outros fãs e proporcionar aquela inveja boa.

Convidamos a todos que possuem belas coleções de quadrinhos a mostrarem elas aqui!

É só mandar um e-mail para [email protected] dizendo alguns detalhes (números de revistas, itens raros e particularidades) que em seguida combinamos a entrevista.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    • Verdade!
      Uma coleção com mais de 4 mil itens sem nada de Marvel, Vertigo, e DC…
      É a primeira vez que vejo, e isso só mostra o quanto o mundo das HQs é grande e tem opção

      • Olá João Carlos e SRMelao! então, realmente o foco é HQ Européia (2/3) e muito material nacional mais adulto e Graphic Novel, mas tem exceção! homenageio autores que gosto como uma DC com Tanino Liberatore que publicou história em “Batman em Preto e Branco” e uma Marvel com “X-MEN Garotas em Fuga” do Milo Manara! abs

    • Olá Pedro, pode borrifar também em Capa Dura, observe o seguinte: quanto mais poroso o papel (apergaminhado ou couché fosco) melhor o resultado, pois a impregnação funciona melhor que em papel couché liso ou brilhante. A espessura do álbum também conta, mais grosso, mais área de contato do odorizante com a face do miolo. Lembro que tem que ser usado no preparo o álcool absoluto ou de cereais, pois estes tem volume de 99% (só 1% de água) desta forma o papel não deforma, o agente tem que ser óleo essencial (que é concentrado, sem água, não essência) Bons e cheirosos quadrinhos!

  1. Olá Andrecio, obrigado, a pasta tenho há muito tempo, dura muito pois se passa pouquinho, esta que eu uso é a base de gel com citronela, realmente difícil de achar, mas vou procurar on-line, antes usava a LIMPLEX Limpa Computador em pasta, comprada na Kalunga, substitui, mas a VinylClean Pérola é mehor.

  2. Fantástica, parabéns pela coleção e obrigado ao Luiz e ao Pipoca por dividir conosco essa magavilha!

  3. Aplausos para essa coleção impecável e para o bom gosto infinito do amigo. Parabéns!

    Difícil comentar apenas um ou outro autor no meio de tanto material bom, mas dois que eu também conheci pela Animal e curto bastante são o Vuillemin e Pazienza. Ambos excelentes e de estilo inconfundível, mas com chances quase nulas de serem publicados atualmente no Brasil.

  4. Ola’, parabens pela coleção.

    Esses boxes são muito legais. Comprou em algum lugar, você mesmo fez ou encomendou com alguem?

    • Olá Hermes, sou designer, assim eu mesmo coloquei a mão na massa, desenvolvi uma faca ( gabarito de corte) para o aproveitamento de 4 Boxes em uma folha de Papelão Paraná, que mede 80×100 cm, a gramatura (firmeza) é de 781g. Vocé encontra na web, a menos de R$ 15,00 a folha!
      http://www.buscape.com.br/procura?id=3555&kw=parana+br

      Este Box acondiciona Comics com até 22×31 cm ( a maioria dos Grampeados)

      No mais um bom estilete largo, régua de metal, alicate para e com ilhoses e elástico reforçado, não leva nenhuma cola.

      A personalização da lombada fiz em vinil adesivo em uma gráfica rápida.

      Depois, com tempo, vou digitalizar a faca e disponibilizar o passo-a-passo!

    • Olá Hermes, obrigado, os Boxes eu mesmo fiz, sou designer e gosto destas coisas customizadas, no caso utilizei Papelão Paraná 781g, baratinho, menos de R$15,00 http://www.buscape.com.br/procura?id=3555&kw=parana+br a folha mede 80×100 cm, desenvolvi uma faca (gabarito de corte) com aproveitamento de 4 unidades por folha para acondicionar revistas de até 22×30 cm, no mais régua de aço, um bom estilete largo, alicate para e com ilhoses e elástico reforçado com tecido. A impressão na lombada é com vinil adesivo plotado em gráfica rápida. Depois com tempo, disponibilizo a faca digitalizada e um passo-a-passo 🙂

  5. Luiz, meu xará.

    Primeiro, muito legal a sua coleção. Lembrei muito da minha coleção da Piratas do Tietê e da Revista Circo (um vizinho fez algumas capas para a revista).

    Em segundo lugar, acho que todos gostaram das dicas de conservação. Seria muito pedir para você mostrar no YouTube como você faz isso tudo? Como todo colecionador acho que falamos muito de quadrinhos e pouco sobre a conservação. Como a sua “lição” foi a mais completa que eu já vi em tempos recentes, acho que todos gostariam de ver em vídeo. Que tal?

    abs,

    Luís Fernando

  6. poxa, babei aqui! to impressionado! eu achava q era zeloso pq removia as digitais das capas das minhas HQs kkkkk!
    espetacular!!!!

    olha, se vc colocar essa dicas de limpeza, demonstrando na pratica como vc conserva suas HQs vai dar muitos acessos! coloque por favor =) pq por mais q vc fale, explique, vendo vc fazer fica mais claro.
    abraça!

  7. Sim, é uma belíssima coleção! Mas, como sua esposa, deixo aqui meu protesto: Você passa mais tempo com ela do que comigo!

  8. A coleçao é muito boa! disse que tem a bibliografia do Hugo Pratt completa, tem coisa publicada na argentina?

  9. Olá Max, o Hugo Pratt viveu uma década em Buenos Aires, (50/60)trabalhava na Editora Abril Portenha, do irmão do Roberto Civita da Abril aqui do Brasil (detalhe: eles eram italo-americanos Judeus e viviam em Nova Iorque antes de virem para a América Latina) lá tinha uma publicação “Hora Cero” que Pratt contribuía com histórias bélicas, destas eu tenho algumas em uma coleção republicada pela Panini da Espanha “Diário de Guerra” com materiais da Fleetway Publications.

  10. Olá Luiz,
    Excelente Bom Gosto… Uma Colecção bem Conservada como muitos Colecionadores possuem… Não basta adquirir os Livros e colocá-los nos móveis, é necessário ler, re-ler, voltar a ler e tratar com Carinho o que é Notório na sua Colecção.
    Pode dizer que a sua Colecção não é muita antiga, mas no estado de Conservação que está… irá prevalecer durante décadas… Eu e o meu Pai temos Orgulho de ter contribuído para Colecionadores exigentes como o Luiz, Parabéns.
    Um Grande e Forte Abraço,

    P.S. – Jeremiah – Foram publicados 3 ou 4 Edições em Capa Dura pela Vitamina BD. Blake e Mortimer lançou mais 3 Edições Inéditas.
    P.S. 2 – Pesquise por Águias de Roma, Murena, Bouncer e Escorpião… Novas BD do poderoso Mundo Fanco / Belga.

    • Saudações a você Bruno e ao seu pai João Anjo, espero que esteja tudo a correr bem aqui e em Portugal.
      Obrigado pelas gentis palavras e pelas dicas. Melhores cumprimentos! Luiz

  11. Parabéns pela coleção! Arquitetura e Quadrinhos são grandes paixões minhas, vi em sua galeria os quadrinhos de Schuiten e Peeters que tem uma pegada bacana nesta área, será que encontro estes autores aqui? tem outras referências? Obrigada!!!

  12. Olá Felícia, obrigado! olha só estes caras François Schuiten e Benoît Peeters tem um trabalho maravilhoso, se gosta de arquitetura tem que conferir, nenhum destes livros consegui no Brasil, mas eventualmente aparece algo no Estante Virtual ou Mercado Livre…

    Bem, outros livros que tenho e que são bem legai neste tema são “A Arquiteura na História em Quadrinhos” Edição cartonada da década de 90 publicada pela Martins Fontes, que mais livro do que HQ e a Revista “Cairo Especial Arquitectura” de 1992 daNorma Editorial, esta sim, grandes mestres como Daniel Torres, Tardi e outros com histórias tematizadas, abs

    • Oi Luiz, achei “A Torre” Schuiten e Peeters no site de um sebo: RS Raridades! vou comprar, obrigada!!

  13. Não acha que entre os americanos “fora da curva” tinha que citar o Frank Miller? pelo tipo de HQ que gosta encaixava…

    • Oi Filipe, está coberto de razão! o espaço da entrevista acaba sendo curto, a gente não dá conta de citar todo mundo que gosta…

      Frank Miller é genial, o cara fez carreira brilhante na DC, ficou milionário com cinema e mesmo assim não acomodou, desenvolveu uma linguagem super bacana com um desenho claro/escuro matador em “Sin City” (tenho todos é claro!) além da parceria com o Alan Moore em “Ronin”…

      Outros feras dos EUA que não citei e que muito me agradam é o fantástico Bill Sienkiewicz em “Elektra” e o Bélico “Sargento Rock” do Joe Kubert! abs e obrigado pela lembrança 🙂

  14. Muito boa sua coleção, bem completa no gênero que escolheu! Dos italianos senti falta do Tex… não gosta de western em quadrinhos?

    • Oi Mario! pois é… o Tex é um personagem que tem uma bibliografia imensa, mais de 150 títulos, fumettti dos mais populares da itália, acho que se começasse não ia parar:)

      Bem, tenho alguns, prestigiando autores que mais gosto, entre eles “O Homem de Atlanta” ilustrado por Bernet e “O Vale do Terror” que foi o último trabalho do Magnus, antes que falecesse…

      De Western Europeu tenho também bastante coisa… “Ken Parker” do Milazo e “Tenente Blueberry” do Jean Giraud que é o nome real de nosso querido e já ido Moebius!

  15. me lembro como se fosse hoje o dia em que um amigo comum me apresentou a uma pessoa que colecionava quadrinhos naquela época eu tinha por volta de 16 anos e este colecionador era bem mais velho ,havia começado a pouco tempo a ler quadrinhos só conhecia marvel e dc por conta dos formatinhos da abril
    quando entrei na sala onde ele guardava suas coleções fiquei maluco na hora bicho era só material europeu e classicos e undergrounds americanos
    travei contato pela primeira vez com os mundos de moebius,enki bilal,horacio altuna ,vincente segrelles ,richard corben ,juam gimenez,carlos trillo,breccia pai breccia filho,druillet, e uma miriarde de grandes autores
    aquilo virou meus miolos de ponta cabeça joguei meus super herois pela janela e fui atras de tudo quanto é material do velho continente
    pouco mais de 2 anos ja tinha juntado centenas e centenas de albuns e revistas de tudo quanto era parte
    tinha de tudo el vibora,pilote el eternauta da italia ,fierro,toten,zona 84,cimoc,suivre,l echo des savanes ,cairo comix international,metal hurlant,mosquito ,seleções bd e muitas outras que não me lembro mais , com o passar dos anos fui acoplando material nacional como chiclete com banana,animal e outras de grandes autores
    hoje tenho uma loja de quadrinhos e sinto muita falta deste material em minha prateleira
    nossas editoras parece não enxergar o grande potencial deste tipo de quadrinhos é uma pena
    só tenho a dizer
    luiz muito obrigado por compartilhar esta maravilhosa coleção conosco é com orgulho que digo que ja li mais da metade deste material mostrado por voce
    é uma pena que não as tenho mais
    grande abraço
    aloisio

  16. Grande Aloisio!
    Muito obrigado pelos comentários, vi que conhece e gosta mesmo dos feras:)
    Você é dono do Sebo Pop Art em Diadema correto? sucesso!

  17. grande luiz
    eu é que agradeço ,a visão de sua coleção me trouxe velhas e ótimas lembranças
    achei muito legal esta matéria no pipoca e nanquim pela razão de mostrar para esta galera que não conhece a imensa variedade de quadrinhos que se publica na europa, mercado este que é tão grande e poderoso quanto o americano e o japones
    e mais importante é saber que esta produção de gemas brutas foi responsavel pela renovação do cinema de ficção cientifica e fantasia em filmes como blade runner ,aliens de ridlley scott que teve em suas fileiras moebius,chris foss ,giger
    estou me alongando
    sim sou dono da pop arts de diadema e fiz alguns artigos sobre material europeu em sites de quadrinhos
    digita no google aloisio costa de jesus artigos
    sera um grande prazer saber que voce leu estes artigos
    grande abraço
    aloisio

  18. Oi Luiz, achei na internet uma “Massa para Polir Pérola” e outro produto “Perola Cera automotiva” é isso que utiliza para conservar passar na capa dos quadrinhos?

  19. Olá Filipe, não é não! esta Pasta Pérola que eu uso é utilizada na hidratação de couro, é a base de gel (sem água) e citronela, estas que citou podem prejudicar suas HQs, pois tem elementos abrasivos! veja na foto que publiquei como é a “cara” da pasta, estou tentando encontrar na web a referência de compra on-line mas não estou conseguindo, parece que deixou de ser produzida 🙁 é pena, um produto muito bom e durável, a minha tenho há três anos.

  20. Nossa! Esse foi o MELHOR minha estante na minha opinião. Parabéns pela coleção Luiz! Eu estou cada vez mais saturado de Marvel e DC. Hoje HQ’s europeias são as que mais me agradam. Infelizmente pouco material desse tipo é publicado no Brasil. Agora eu fiquei curioso com relação aos idiomas. Você fala bem Espanhol, Italiano e Francês? Qual desses 3 idiomas compensa mais aprender para quem quer ler boas HQ’s? Além do Português eu só domino o Inglês, então acabo ficando na espera das editoras brasileiras visto que tem pouca coisa traduzida em Inglês desses materiais europeus.

    • Olá Cléber, obrigado por compartilhar sua opinião e interesse por BD europeu! olha só, aprofunde no espanhol, pois a grande maioria dos autores bacanas são traduzidos pelas editoras ibéricas, além disso vai poder comprar acervos na Argentina a bom preço.

      Meu dominio na lingua espanhola é fluente com velocidade de leitura igual ao português, o que deixa o ler confortável.

      Francês e Italiano com compreensão boa, quando agarro, recorro ao livro do lado, que é um dicionário bilingue, indico os da Editora W Martins Fontes “Dicionário Escolar WMF” , são baratos e tem guia de conjugação verbal, bons para narrativas;)

  21. Opa Luiz tudo bem? Parabéns pela coleção achei impressionante, e principalmente pela limpeza e organização. Fiz o spray a base de cedro que ensinou e ficou muito bom, o cheiro realmente eh muito agradável. Estava pensando em substituir o Vinylclean (não consegui acha-lo) e se usar uma mistura de óleo de citronela com um limpador de couro? Hoje passei num sebo grande perto de casa e perguntei como eles fazem para limpeza, ele usam Alcool com um pouquinho de Lisoform o que acha?

  22. Olá Michel! que bom ter gostado da coleção, bom também ter testado e aprovado a receita do spray a base de Cedro, além de ser muito bom, combina com papel né?
    Quanto a pasta, realmente deixou de ser fabricada 🙁
    Acho que sua experiência de misturar uma pasta convencional de limpador de vinil/couro com o óleo pode ter um problema: como estas pastas costumam ser firmes, ao misturar (bem) com as gotas do óleo de Citronela a mistura pode se liquefazer… aí fica ruim de passar, mas só testando mesmo, se fizer me conta o resultado, abs

  23. Olá, Luiz. Muito bacana a sua entrevista. Também tenho a minha aqui no site. Você já conseguiu a ‘Eu te amo, Lucimar’? Abraço.

  24. Oi Sandro tudo bem? já comentei a sua coleção, eclética e de primeira linha, muito bem cuidada, mais uma vez parabéns! Bem, consegui no início do ano os dois volumes que me faltavam do Mutarelli: A Confluência da Forquilha e Eu te amo Lucimar, muito bom ter agora a obra completa deste autor que muito me agrada! abraço:)

  25. Fascinante! Depois de ver o Mutarelli no HBO fiquei obstinado a ler qualquer coisa dele, principalmente das antigas. Corri atrás e consegui apenas o Diomedes e o da revista Front Nº11. Estou negociação para adquirir o Transubstanciação.
    Ao ler a entrevista já instiguei em nomes como Flávio Colin e Marcelo Quintanilha, além do Fabio Mon e Gabriel Ba que infelizmente só conheço pela fama.
    Outra boa coleção que tenho muita vontade de readquirir alguns exemplares é da Heavy Metal.

    De qualquer maneira é uma ótima entrevista que mostra alguns quadrinhos adultos de ótimo estilo. Parabéns!

    • Oi João, que bom seu interesse por estes autores! para aquisição mais em conta sugiro a busca na estantevirtual e no mercadolivre, faça gentilmente contraoferta elogiando o produto mas colocando o valor disponível incluindo o frete, costuma dar certo para economizar 20% ou mais:)

    • Olá Pedro, então, o produto que eu uso saiu de linha, mas use pasta ou gel de limpeza de couro/gabinete de computador que tenha característica de limpeza a “seco” pois aquosos enrrugam papel, observe também se não é muito abrasivo (teste na contracapa) em movimentos mais suaves para ver se não arranha o papel, abs Luiz