Filmes tranqueiras, mas que eu gosto!

Quem gosta desse, tem vergonha de admitir...

Quem gosta desse, tem vergonha de admitir… Mas eu não!

Eu passei por uma fase na minha vida, entre 17 e 19 anos de idade, em que abominava todo tipo de filme que não fosse “intelectualóide”. Eu só assistia Woody Allen, Gus Van Sant, Lars Von Trier, Pedro Almodovar e caras assim. Nada contra eles hoje em dia, pelo contrário, respeito muito e continuo assistindo. O problema é que, saindo dessa esfera, eu considerava todas as demais produções como lixo e material para burro assistir (mal sabia que o tapado era eu). Desrespeitava completamente filmes excelentes como Predador, Alien, Rambo 1, Duro de Matar 1 e outros desse gênero, que a primeira vista parecem ser meras películas de ação idiota, mas que na verdade merecem todo o respeito de qualquer cinéfilo. Até mesmo filmes como Matrix, westerns de Sergio Leone, épicos de guerra e outros clássicos eu descartava. Depois que passei dos 20, mudei completamente minha visão (antes tarde do que nunca), e não tenho mais esses preconceitos bobos. Não podemos colocar as produções mencionadas no mesmo saco das verdadeiras tranqueiras, como as sequências de vários deles e outros que nem vale à pena lembrar.

Isso me dá o gancho para esse post! O que acabo de dizer não significa que atualmente eu engulo todo tipo de filme sem nenhum senso crítico, claro que não. Existe um filtro de qualidade, a diferença é que expandi para todos os gêneros. Mas vamos ser francos, qualquer cinéfilo conhece a sensação de curtir alguns filmes verdadeiramente ruins, não é mesmo? Filmes que sabemos serem grandes porcarias, mas que mesmo assim não conseguimos desgostar. Algumas pessoas ficam até receosas de admitir isso, dependendo do grau de tosquice do título em questão.

Uma tremenda besteira ficar com vergonha de assumir uma coisa dessas, gosto é gosto e cada um tem o seu. Se você curtiu Van Helsing, não fique com medo de admitir, tenha personalidade para defender sua posição (mas putz, será que alguém gostou mesmo de Van Helsing? Meu exemplo foi de lascar). Ninguém pode crucificar um sujeito só porque ele achou legal um filme que a maioria dos críticos tachou como “uma merda”, isso não necessariamente significa que o cara não entende de cinema. Alguma coisa em sua experiência individual a fez aprovar o que assistiu. Pode ser um ator ou atriz, alguma cena específica, a trilha sonora, figurinos, o estilo, o argumento básico, qualquer coisa.

Por exemplo, o Alexandre Callari acha legal aquela adaptação do game BloodRayne. Eu e o público geral consideramos esse filme uma tranqueira de doer o cérebro, mas ele gostou por causa da atriz Kristanna Loken, da qual é super fã. O Daniel Lopes A-DO-RA a franquia Crepúsculo, ele alega que tem algo ali que o atrai (talvez o vampiro Edward, eu sei lá). Mas vou julgar o cara por isso? Longe de mim (hahahahahhahahahaha)!

Claro, têm aqueles que só curtem paródias imbecis de super-heróis e vampiros, comédias românticas de última categoria, Vovó-Zona 3, Vin Diesel e The Rock vestidos de babá, Desbravadores, Transformers 2, Besouro Verde, The Spirit, Dragon Ball Evolution e outras pérolas, mas não é dessa gente que estou falando. Fechei o cerco apenas aos cinéfilos, o tipo de gente que acompanha o Pipoca e Nanquim, que no geral tem bom gosto, mas que conseguem se divertir com uma besteira ou outra de vez em quando.

Exemplos de filmes que considero REALMENTE ruins!

Exemplos de filmes que considero REALMENTE ruins!

Bom, depois de erguer essa questão delicada, não poderia deixar de destacar alguns filmes ruins que eu, particularmente, acho bem legais! Tenho plena noção de que são todos terríveis, mas mesmo assim me divirto com eles e os mantenho na minha humilde coleção. Segue a lista.

CONTAMINAÇÃO (The Thaw, 2009)

Filme B com atuação de um Val Kilmer muito acima do peso. É sobre uma equipe de pesquisadores que está no Ártico Canadense estudando os efeitos do aquecimento global nos ursos polares, quando descobrem uma espécie de inseto pré-histórico que voltou a zanzar por aí graças ao degelo. Na verdade, a praga é um tipo de vertebrado parasita, eles picam qualquer outro ser vivo para depositar ovos, que rapidamente eclodem originando muitos outros bichinhos nojentos. Como se não bastasse, a picada também causa uma terrível doença, com feridas horríveis. Se um deles conseguir entrar em você (proeza que executam com muita facilidade), vai espalhar ovinhos por todo seu corpinho e você vai ficar com aparência medonha. O filme é uma sucessão de clichês do gênero de sobrevivência, com pessoas morrendo uma atrás da outra e aquelas questões psicossociais que sempre vêm à tona em situações assim: “não podemos sair daqui porque corremos o risco de levar a praga junto e espalhar na cidade”, “preciso cortar meu braço que foi picado”, “como vou saber se você está ou não contaminado?”, nada de inovador. Mesmo assim, eu acho o filme muito maneiro! Adoro histórias de sobrevivência, não é a toa que amo zumbis. Embora não tenha zumbis, esses insetos formam uma baita ameaça. Fiquei o tempo todo com a sensação de que tinha um subindo pela minha perna. É uma merda, mas eu recomendo!

PANDORUM (Pandorum, 2009)

Sou fã incondicional do ator Dennis Quaid. Esse cara só faz filmes de segunda, mas coincidentemente gosto de (quase) tudo que conta com o nome dele. Pandorum começa muito, mas muito bem mesmo, uma ótima ficção cientifica com um belo clima de suspense. Sinopse básica: o planeta Terra já era! Simplesmente nossos recursos se esgotaram e a humanidade que restou embarcou em uma nave rumo a um novo planeta habitável, porém muito distante. A viagem até lá leva tanto tempo, que cinco equipes se revezam na manutenção e pilotagem da nave – enquanto uma está ativa, as demais hibernam durante oito anos. O filme começa com um sujeito acordando de um período de sono prolongado. Ele se depara com a nave praticamente abandonada – destruição pra todo lado, curtos circuitos e câmaras de hibernação vazias. O único outro adormecido ali é o capitão de sua equipe, o personagem de Quaid, que também é despertado. Logo, os dois descobrem que uma raça estranha dominou todos os cantos da gigantesca nave Elysium; criaturas difíceis de matar, mesmo com as armas bacanudas que eles carregam. A tensão no início é geral, o tipo de ficção cientifica do qual sou super fã. O que acabou com o filme foram as fracas tramas paralelas e personagens desnecessários inseridos ao longo da história. Nada de novo é acrescentado ao gênero, mas ainda assim dá pra se divertir bastante assistindo, e achei o desfecho super criativo.

SOLOMON KANE – O CAÇADOR DE DEMÔNIOS (Solomon Kane, 2009)

Personagem de Robert E. Howard (também criador do Conan), que quando finalmente estreia nas telas do cinema, o faz em uma produção meia boca. Mas não importa, sempre achei o personagem bacana, estiloso pra caramba, e isso contribuiu para que o filme me cativasse. O cara é tipo um Van Helsing, com sobretudo, chapéu, cabelo comprido, pistola e espada, mas ao contrário da malfadada adaptação do caçador de monstros, esse personagem não foi descaracterizado. Infelizmente, muitos vão achar que Solomon Kane é uma cópia do Van Helsing de 2004, sem saber que na verdade é o contrário. O filme não tem nenhum propósito além de divertir, e nisso logra êxito. A direção até que é boa, as cenas de ação são legais, os cenários, maquiagem e figurino estão bem feitos e até os efeitos especiais convencem, o problema é o roteiro manjado e algumas partes forçadas. Tem uma cena em que os vilões pregam o protagonista numa cruz. Pelamordedeus! O objetivo disso era emocionar o público, mas o filme não devia tentar isso. Pra evitar spoiler, não vou dizer como ele escapa da crucificação (óbvio que ele ia sair dessa), mas é de um modo risível. Outra coisa: pra deixar a batalha final mais tensa, Kane recebe um tiro certeiro no braço e luta com uma mão só, empregando o membro ferido no embate vez ou outra sem qualquer problema. Não sei pra que isso! Porque forçar a barra em situações que ninguém mais engole? Mas puxa vida, ainda assim, fiz vista grossa pros problemas e aceitei o filme numa boa, pois Solomon Kane é o cara.

A ERA DA ESCURIDÃO – MUTANT CHRONICLES (Mutant Chronicles, 2008)

Podem me chamar do que quiserem, mas eu adoro esse filme! É uma ficção cientifica de futuro apocalíptico repleta de elementos steampunk, algo que curto muito. Três de meus atores preferidos estão no elenco, Thomas Jane (de O Nevoeiro), John Malkovich (breve participação) e Ron Perlman (Hellboy), muito a vontade em seus papéis. O que eu mais gosto na história, é que ela lembra uma típica aventura de RPG, com guerras entre reinos, perigosas criaturas mutantes e um grupo de personagens em uma épica jornada: salvar o mundo! Liderados pelo Hellboy, um pastor fiel dedicado a Deus, os oito guerreiros devem descer às profundezas da Terra combatendo vários inimigos, munidos de armamento pesado de fogo, granadas e uma espada sagrada para cada um, até chegarem à máquina causadora de todo mal que aflige a humanidade. É clichê pra caramba, com direito a um salvador escolhido e tudo mais, mas aí eu te digo meu amigo: certos clichês são sempre legais, hehe! Eu mestrava aventuras de RPG assim na adolescência, conferir o filme é uma baita nostalgia, ainda mais com essa mescla medieval/futurista.

OUTLANDER – GUERREIRO VS. PREDADOR (Outlander, 2008)

Esse filme já começa toscamente. Um soldado de armadura chega do espaço em uma pequena nave, descobrindo pelo computador de bordo que caiu no planeta Terra, no período da Era de Ferro. Haha, caramba, naquela época ninguém tinha noção de que vivia na Era de Ferro, mas uma máquina alienígena já tinha definido isso! Uma falha e tanto que deixa claro o que vem pela frente: diversão descompromissada. O guerreiro tem aparência de um homem normal e é capturado por uma tribo viking que habita as redondezas. Por se tratar de um completo desconhecido em indumentária estranha, todos são levados a crer que se trata de um dos responsáveis pelo ataque que massacrou uma vila próxima, cujo paradeiro do bando malfeitor é desconhecido. Então o protagonista revela ao primitivo povo que a destruição foi causada por uma fera gigante e invencível que pegou “carona” em sua nave até a Terra, e não por um grupo de bandoleiros. Daí pra frente vocês já sabem: ninguém acredita no cara a princípio, até que o dragão (que brilha) aparece e ferra todo mundo, aí todos se unem para enfrentá-lo, mas só o mocinho é capaz de vencê-lo devido a seus conhecimentos extraterrestres. Típico filme fraco que não se pode esperar muito, mas, como você já sabe, eu gostei! O dragão é muito bem feito, a edição é boa, a imagem é bonita, as batalhas são do caralho e em determinado momento ocorre uma reviravolta que me surpreendeu. A história me ganhou justamente por ser simples e despretensiosa (já viram que tenho uma queda por ficção cientifica de elementos medievais, né?). A propósito, vocês verão estampado na capa “dos mesmos produtores de Senhor dos Anéis”. Que audácia.

PÂNICO NA NEVE (Frozen, 2010)

Eis um filme que não acrescenta nada pra sua vida. Mostra a incrível situação em que um casal de namorados e seu amigo retardado se meteram. Uma série de mal entendidos culminou com o grupo sendo esquecido na cadeira do teleférico de uma montanha de esqui, já que eles eram os últimos da fila e iniciaram a travessia após o horário permitido, permanecendo lá por três longos dias. Com isso, testemunhamos o sofrimento deles noite adentro, com o frio intenso, nevasca na cara, medo de altura e a ausência de qualquer chance de resgate nos próximos dias, sem contar com os lobos famintos que aparecem e ficam à espreita esperando eles descerem ou caírem. Eu gostei porque, como disse lá em cima, curto histórias de sobrevivência, mesmo que restritas a um único cenário (no caso, a trama toda se desenrola na cadeira do teleférico e nos arredores). Tem duas cenas que realmente conseguiram me impressionar. Eu estava assistindo comendo Cheetos, e nessas duas partes, as quais nem vou mencionar para evitar spoilers, fiquei paralisado sem vontade de colocar outro salgadinho na boca. Que besta eu sou, não?

PRESOS NO GELO (Fritt Vilt/Cold Prey, 2006)

Eu gosto de filmes de assassinos, como Halloween e Sexta-Feira 13. Também gosto de filmes que se desenrolam em cenário com neve – 30 Dias de Noite, Dead Snow, Face Norte e os supracitados Contaminação e Pânico na Neve. Adoro histórias de sobrevivência, como também já mencionei. Logo, é óbvio que uma produção que reúna todos esses elementos irá me agradar, só sendo muito porcaria mesmo pra não conseguir. Presos no Gelo é ruim, mas não tanto assim. Um grupinho de adolescentes vai se aventurar e praticar snowboarding em uma montanha no meio do nada (está na cara que isso ia dar merda). Um deles quebra a perna e se torna um atraso para os demais, que não conseguem voltar pra casa antes de escurecer. Então, eles acatam à brilhante decisão de pernoitar em um hotel abandonado sinistro que encontram no caminho. Meu, fala sério, ninguém NUNCA passaria a noite em um casarão abandonado numa área afastada, nem a pau! Mas enfim, eles são jovens, querem se divertir e trepar até não poderem mais. E eis que surge alguém disposto a acabar com a alegria do pessoal, um assassino mascarado que não precisa correr pra alcançar a vítima e matar. Um simples filme de serial killer, nada mais do que isso, só que é divertido pra dedéu! Eu e a minha namorada levamos um susto aqui e acolá; chovia na noite em que alugamos e a ambientação da história dava impressão de estar mais frio do que realmente estava; ficamos juntinhos debaixo dos cobertores servidos de chocolate quente e do costumeiro Cheetos; uma beleza! Entretenimento garantido, mesmo sendo uma droga.

LEGIÃO (Legion, 2010)

Já afirmei durante um dos nossos videocasts que esse filme me apetece, e no ato fui ovacionado por meus companheiros de estúdio. Pois bem, meus caros, sem medo de repetir: eu achei Legião muito legal! Pronto! Está registrado! Entrei na chuva pra me molhar! De todos os filmes mencionados nessa lista, certamente esse é o pior, sei muito bem disso. O que eu não sei é porque diabos eu me diverti assistindo essa tosquice toda. Não sei se foi porque eu torci muito pro filme devido aos trailers empolgantes, ou se é porque tem o Dennis Quaid, mas alguma coisa me cativou no filme! Na história, Deus decide acabar com a Terra e envia seu exército de anjos para deflagrar o Apocalipse. Mas não pense que você vai ver o céu infestado de guerreiros com asas e espadas, não senhor! Os anjos se manifestam possuindo as pessoas comuns, que passam a agir de modo sobrenatural. Elas ficam como se fossem zumbis, basicamente. Nesse rolo todo, o arcanjo Miguel ainda possui fé na humanidade e permanece do nosso lado, ao contrário de Gabriel, que acaba como um dos principais inimigos. A única esperança da Terra é um bebê prestes a nascer como segunda reencarnação de cristo. Todos os esforços de Miguel estão em manter a mãe em segurança até o nascimento da criança, algo que vai acontecer em uma lanchonete de beira de estrada, onde se passa a maior parte da trama (que trama?). Um dos piores filmes de todos os tempos, sem dúvida, mas até você é capaz de admitir que algumas cenas são legais! O arcanjo do bem arrancando as asas para negligenciar a Deus e, na sequência, se carregando com um monte de armas de fogo; o grupo em defesa da lanchonete atirando em todo mundo do alto da sacada; a velhinha encarnando um anjo fodão; a luta final com Gabriel usando as asas para dar porrada! Excelente para uma tarde tediosa de domingo!

NINJA ASSASSINO (Ninja Assassin, 2009)

“Ah não!”, você deve estar pensando, “além do Legião ele também curtiu essa porcaria?”. É leitor, meu cérebro às vezes me espanta. Acontece que todo mundo me falou muito mal de Ninja Assassino, muito mesmo. Disseram-me que era forçado, com efeitos visuais amadores, sem história nenhuma e blábláblá. Isso me manteve afastado do filme por um tempo. Quando finalmente criei coragem de conferir, rolou aquele lance de expectativa: eu esperava a maior tranqueira, uma verdadeira agressão ao intelecto, só que no fim das contas não achei tão mal quanto me falaram. É ruim pra caramba, sem dúvida, mas diverte. As lutas são boas (não tanto quanto filmes de Tony Jaa e Jackie Chan), ficava voltando algumas vezes para decifrar os movimentos do protagonista. Não considero os efeitos ruins, mesmo o sangue digital convence, as retaliações de membros ficaram bem feitas e adorei o modo como as estrelinhas ninja voavam, formando um rastro branco atrás. Os roteiristas até se preocuparam em manter dois núcleos de “tramas” pra servir de pretexto para a pancadaria. Não vou explicar a história, eu assisti sem saber de nada e isso garantiu minha diversão, só tinha conhecimento de que era ruim.

Enquanto escrevia essa lista reparei que todos os títulos possuem um denominador comum: são simples e despretensiosos. Até mesmo Pandorum e Mutant Chronicles, que tinham elementos suficientes para originar uma história mais complexa, optaram por manter a simplicidade e trabalhar apenas parte do todo. Esse é o segredo, se é pra ser ruim, pelo menos não se leve a sério e não prometa que irá revolucionar o cinema. Apenas entretenha o público, às vezes só isso já basta.

E você? O que acha dos filmes da minha lista? Qual deles você também gosta? Tem vergonha de confessar que curtiu toda a série Crepúsculo? Qual o filme mais merda que só você gosta? Deixe nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. "Daniel Lopes A-DO-RA a franquia Crepúsculo, ele alega que tem algo ali que o atrai (talvez o vampiro Edward, eu sei lá). Mas vou julgar o cara por isso? Longe de mim (hahahahahhahahahaha)!"

    PORRA, EU VOU JULGAR! ESTÁ CONDENADO E SEM DIREITO A APELAÇÃO!

  2. Putz to até hoje tentando arrumar coragem para assistir o Legion rsrsrs.
    Mas Ninja assassino é legal. Especialmente se o espectador está familiarizado com a cultura japonesa, tanto cinema e quadrinhos, como as proprias lendas. A ideia do filme, era realmente passar o clima apelão dos animes, onde o cara perde o braço e a perna, além de ter um rasgo no estomago, e mesmo assim, continuam lutando. (Gantz que o diga).

  3. Filho da P$%#*!!!!!

    Tinha que contar pra todo mundo que eu curto a saga Crepúsculo??

    Sacangem hein Bruno!

    PS: A vingança é um prato que se come frio! rs

  4. Tem um filme que todo mundo falou mal na época (e que passou recentemente na TV aberta) que eu me amarro.

    Jumper.

    Pensei até que haveria continuação, mas parece que nem cogitaram isso (pelo menos depois dos resultados nas bilheterias).

    Já filme tranqueira que eu nunca irei perder tempo assistindo é a sequencia de Transformers. Muita explosão e pouco cérebro.
    Assisti o 1° e me arrependi. (Deu sono)

  5. Cara sempre vou defender algum filme tranqueira. Eu me amarro muito nos filmes Legião, Ninja Assassino (por que parece mais um anime), Outlander e até um grande classico trash da sessão da tarde
    Os Aventureiros do Bairro Proibido.
    O que esses filmes tem de legal pra mim é bem o que se falo Bruno o fato de serem totalmente descompromissados e super divertidos. As pessoas esquecem que o cinema não vive só de filmes "inteleculóides", mas muitas vezes só de uma boa diversão.
    Agora Bruno ter gostado de Salomon Kane ai mata cara.
    Se bem que o Daniel vence essa disputa desparado com Crepusculo.
    Mas a verdade é que cada um tem seu gosto pra filme e não somos nós meros mortais que temos o direito de julgar o gosto de cada um.

  6. “Daniel Lopes A-DO-RA a franquia Crepúsculo, ele alega que tem algo ali que o atrai (talvez o vampiro Edward, eu sei lá). Mas vou julgar o cara por isso? Longe de mim (hahahahahhahahahaha)!”

    Eu ri alto! hahahahahahhaa

    Caramba, eu não assisti nenhum filme dessa lista, Bruno. Mas alguns me pareceram interessantes, como o 'Contaminação (The Thaw/2009)'!

    Deixa eu pensar em um tranqueira….eu gosto do Doom.

    Ah, tem o da 'A Lagoa Azul'! hahahaha

  7. Só acrescentando mais uma coisa.

    Agora que eu fui entender o porquê do Bruno se achar durão quanto ao seu gosto por filmes. Se comparado ao Daniel (que ama Crepúsculo) é claro que o Bruno é durão! hahahahaha

  8. Porra Bruno, GI Joe mt é massa. Ele não entra na lista de tranqueiras pra mim, hehehe

    O filme tranqueira que eu gosto e ainda boto no meu top 10 é Mortal Kombat, o primeirão, com christopher lambert (assim que se escreve?). Pandorum é bom, gostei. Mutant chronicles realmente não desceu, mesmo sendo RPGista há decadas, nao rolou, hehehehe.

    Não sabia que o filme do Solomon Kane já tinha saído, vi o trailler há um tempo atrás apenas. Os quadrinhos são mttt legais.

    Enfim Daniel, crepúsculo ferra, hehehehe

  9. Cara eu adoro filme de ação do Tony Jaa e afins se bem que hoje assisto muito mais desenhos do que filme (culpa dos meus filhos, claro) mas assisti e gostei da maioria dos filme que o Bruno postou inclusive Ninja Assassino e A Era da Escuridão agora o filme da Mulher Gato não recomendo nem pro meu pior inimigo, agora sobre o Daniel adorar a saga Crepusculo eu confirmo.bwahahahahh

  10. Ufa, ainda bem que todo mundo aqui tem um filme merda que gosta, achei que seria crucificado por esse post.

    E me surpreendeu saber que mais pessoas além de mim gostaram de Legião e Ninja Assassino!

    Valeu pessoal!

  11. Bah Bruno,pior que todo mundo tem um filme tranqueirão que gosta! Desses que você falou, só não engulo de jeito nenhum, nem com reza braba, A Era da Escuridão. Putaquepariu! Acho que é o pior filme que eu já vi na vida, ao lado de um filme antigo, pelo menos parecia antigo, chamado Ping! que passou de tarde esses tempos na tv aberta. Era sobre um cachorro falante, que fazia armadilhas pra bandidos no melhor estilo Esqueceram de Mim. Por aí você já vê a panela em que eu coloco Mutant Chronicles! hauhauahuahauhauahuah

    Dois particularmente eu gosto muito aí dessa lista: Pandorum e Outlander. Nija Assassino dá pra ver de boa, assim como Legião, embora sejam horríveis. Solomon Kane eu vou assistir em breve. Eu achava que ia ser legal, mas com todo mundo dizendo que é uma merda, talvez a questão da expectativa ajude.
      E cara, alguém pode me explicar o que o filme Amigos Amigos, Mulheres a Parte tem de tão ruim? Gosto pra caramba desse filme! Me mato de rir toda vez que assisto (sim, eu já assisti muitas vezes)

    Quanto a isso:
    Daniel Lopes A-DO-RA a franquia Crepúsculo, ele alega que tem algo ali que o atrai (talvez o vampiro Edward, eu sei lá). Mas vou julgar o cara por isso? Longe de mim (hahahahahhahahahaha)!
    Chorei de tanto rir!!!

  12. ”aquela época ninguém tinha noção de que vivia na Era de Ferro”,como assim???Logico que nos sabemos o que tinha na Idade do Ferro,se nos sabemos o que tinha Idade do Bronze que foi muito antes como n saberiamos o que tinha na do ferro??Vai estudar historia antes de escrever besteira.
    Se tem preguiça de ler livros olha ai http://pt.wikipedia.org/wiki/Idade_dos_Metais

    • Ai cara, deixa de ser burro, com o perdão da palavra. Não escrevi isso me referindo à época em que foi feito o filme, mas NA época DO filme!! As pessoas que viviam DURANTE a Era do Ferro, sabiam que estavam vivendo NA Era do Ferro? Claro que não!! Esses termos são cunhados anos mais tarde por historiadores, não pelas pessoas que no período viveram. Chato pra caralho você hein? Vem corrigir os outros com essa banca toda, chamando de preguiçoso e o cacete, com links de wikipedia, mas sem entender nada do que foi escrito…tsctsc. 

  13. De todas as tranqueiras mencionadas, foram poucas que eu não assisti. Concordo com sua observação de que, no fundo, tem umas coisas bem legais nelas. Aquelas mencionadas que eu não assisti, ficam como dica para próximas locações.
    Valeu Bruno!

  14. Eu simplesmente gosto desses filmes que você citou, são bons. E, droga, eu adoro Van Helsing kkk
    Claro, que desses filmes existem exceções, como: OUTLANDER – GUERREIRO VS. PREDADOR (Outlander/2008), NINJA ASSASSINO (Ninja Assassin/2009) e CONTAMINAÇÃO (The Thaw/2009)

    Os que mais gosto são: Panico na Neve, Legião e Solomon Kane. :D:D

  15. Acho OUTLANDER do cacete hauhauahuahauha Tenho consciência da sua ruindade, mas não consigo desgostar.

    Outro filme ruim que eu adoro é aquele Caça as Bruxas com o Nicholas Cage e Ron Perlamn, ambos de peruca. É uma aventura de RPG muito maneira!

  16. Eu gostei de, pelo menos, mais da metade dos citados acima. Não gosto dos filmes da saga Crepúsculo, mas (me preguem na Cruz!) AMEI os livros, li os quatro (e os tenho!), talvez por isso não tenha gostado da versão de cinema…
    E admito que A-DO-RO Van Helsing, já assisti pelo menos umas dez vezes… =D