Nosso primeiro Alan Moore: UM PEQUENO ASSASSINATO | Vlog do PN #231

É ALAN MOORE na editora Pipoca & Nanquim!!!

Vocês devem saber que lançamos uma obra-prima dos quadrinhos chamada UM PEQUENO ASSASSINATO, também devem ter visto o vídeo do dia que recebemos o livro da gráfica, mas agora é hora de falar da obra em sim.

Neste episódio, comentamos as sacadas narrativas do Moore, a arte maravilhosa de Oscar Zárate e contextualizamos a história, pois Um Pequeno Assassinato é MUITO mais do que aparenta. Tanto é que recebeu o prêmio Eisner de Melhor Graphic Novel e milhares de elogios de público e crítica por todo o mundo.

COMPRE AQUI:

– Um Pequeno Assassinato (de R$ 54,90 por 39,90 por – 27%): http://amzn.to/2zplTU1

– Conan, o Bárbaro Livro 1 (de R$ 59,90 por R$ 49,90 – 17%): http://amzn.to/2zZn8bo

– LINK GERAL DA BLACK FRIDAY AMAZON: http://amzn.to/2hNS0kR

SINOPSE DA OBRA:

De Alan Moore, o criador de Watchmen, V de vingança e Liga Extraordinária, e o artista expressionista Oscar Zárate, nasce a história de Timothy Hole, um publicitário bem-sucedido que acaba de aceitar o trabalho de sua vida. Contudo, as coisas começam a sair dos trilhos quando ele passa a ser perseguido por uma estranha criança, que o faz se questionar quem realmente é e, principalmente, como afeta as pessoas ao seu redor. Uma história sobre os pequenos homicídios que todos têm de cometer para seguir em frente. Um rastro de mortes de coisas aparentemente insignificantes. Afinal, quanto dano pode causar um pequeno assassinato?

Escrita na mesma época que Do inferno e lançada originalmente em 1991, essa é uma das grandes obras-primas de Moore, tendo permanecida, de forma inexplicável, inédita no Brasil até o momento. Com arte pintada do argentino Oscar Zárate, trata-se de uma profunda análise do mundo no final dos anos 1980.

Um pequeno assassinato é uma história de cunho altamente psicológico, recheada de alegorias, simbolismo e metáforas; uma exploração da culpa de um indivíduo e da forma como a mente deturpa e adapta as lembranças de um ocorrido, para disfarçar os traumas e o sentimento de fracasso que, vez ou outra, acomete todos nós. É a mente de Alan Moore em seu auge criativo e sem nenhuma rédea, provando mais uma vez por que ele é considerado um dos maiores roteiristas de quadrinhos de todos os tempos.

Vencedora do Prêmio Eisner de melhor graphic novel em 1994.

A edição nacional chega como a mais completa e luxuosa já publicada no mundo, incluindo a entrevista com os autores sobre o processo de produção e o texto introdutório do quadrinista Carlos Sampayo.

FICHA TÉCNICA
– Formato 21 x 28 cm
– capa dura
– 116 páginas coloridas
– papel couché fosco 150g/m
– acabamento especial com textura na capa
– R$ 54,90.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Já é o segundo título de vocês que eu compro na versão digital e me sinto lesado! Tanto este do Moore quanto Beasts Of Burden, são impossíveis de serem lidas no tablet, pelo app da Amazon, sem que se tenham as duas páginas abertas na tela !Se é para lançar em formato e-book de qualquer forma, então não o façam, porque é muita sacanagem gastar dinheiro com algo que foi mal feito!