O Pequeno Livro do Beatles

Olha só que notícia boa!

No dia 21 e 22 de novembro (daqui a poucos dias!!) Paul McCartney estará se apresentando no Morumbi, e eu ainda nem acredito que consegui comprar ingresso para assistir essa lenda, sabendo que o velho Macca viria pra cá estou no clima totalmente Beatles esse mês, ouvindo todos os LPs deles e do Paul em ordem cronológica, revendo alguns filmes e tal, eis que hoje pinta essa notícia que irá fechar meu mês com chave de ouro.

O pequeno livro do Rock / Hervé Bourhis / Conrad / 224 páginas / R$ 44,90

A editora Conrad, muito sábia, aproveitando a passagem do Paul em nossa terrinha e todo falatório que isso está gerando, irá lançar no final desse mês o “Pequeno Livro dos Beatles”, do francês Hervé Bourhis, o mesmo autor de O Pequeno Livro do Rock.

O Pequeno Livro do Beatles irá narrar a biografia do quarteto entre 1940 e 2009 (ou seja, desde o nascimento dos integrantes até os dias de hoje!), com toda certeza a narrativa será nos mesmos moldes do livro anterior do autor, no qual ele ilustra diversos acontecimentos (famosos e obscuros) do rock desde seu primórdio e revê ano a ano a trajetória desse estilo musical.

Já comentei essa obra no nosso videocast especial sobre o tema, Rock n´ Roll Parte 1, e realmente gostei muito, pois Hervé Bourhis tem um traço bastante particular e usa diversas técnicas de desenho durante a obra, na qual recria várias capas de álbuns clássicos e homenageia seus ídolos. Mas nem só os artistas são mencionados, o autor também registra movimentos de arte, moda e políticos, e a criação das gravadoras e instrumentos que fizeram parte dessa história, como a guitarra Fender e o sintetizador Moog.

Fãs de Rock em geral irão se deleitar e ativar a nostalgia com algumas passagens, apreciadores ocasionais do estilo poderão aprender algumas coisas novas e despertar a curiosidade sobre desconhecidos artistas, Fãs xiitas vão reclamar que faltou alguma banda em especial, fato esse justificado pelo autor em um posfácio muito bacana, mas enfim, é item obrigatório entre a estante de quadrinhos e a de discos.

O lançamento do Pequeno Livro dos Beatles acontece no dia 27 de novembro na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo. Existe a possibilidade de que Bourhis esteja presente no evento.

Então é isso moçada, O Pequeno Livro do Beatles está para ser lançado, enquanto ele não chega vá ouvindo seu disco favorito do Fab Four e aguardem o show do Paul passando vontade ao ver esse vídeo dele tocando em Porto Alegre (vídeo com baixa qualidade mas é fresquinho! rs).

Scott Pilgrim Contra o Mundo – O Filme mais divertido do ano

Em praticamente todos os sites/blogs de entretenimento que se preze estão surgindo críticas (sempre positivas!) a respeito desse filme, por isso o que vou falar aqui não é nenhuma novidade, mas não podia deixar passar o momento e quem sabe lhes instigar ainda mais a assistir o filme MAIS divertido do ano!

Antes de o filme em si começar já temos uma referencia ao mundo dos videogames, quando o símbolo da Universal surge em gráficos e música remetendo aos clássicos videogames 8 bits (Nintendinho e MasterSystem lembram?).

A história é a mesma que vemos nos quadrinhos de Bryan Lee O´Malley, Scott Pilgrim (Michael Cera) é um adolescente que gosta de quadrinhos e jogar videogame, é baixista de uma banda de indie-rock, ainda pensa no último namoro fracassado e mora em Toronto, Canadá. No começo da história ele se envolve com Knives Chau, uma garota colegial mais nova que ele e ainda muito inexperiente, mas esse namorico só dura até Scott encontrar a garota dos seus sonhos, literalmente, Ramona Flowers (Mary Elizabeth Winstead), mas para poder namorar a garota de cabelos coloridos, Scott Pilgrim terá que derrotar os sete super ex-namorados, em batalhas que lembram aqueles deliciosos jogos de luta, Street Fighter, Mortal Kombat e tal, e cada um desses “chefões” enfrentados representa uma fase vencida no console da vida do protagonista, que assim como o Mario, recebe moedas como bônus por superá-las e continuar na luta por sua Peach.

O filme dirigido por Edgar Wright (é meus amigos, o mesmo diretor de Todo Mundo Quase Morto – o melhor filme de comédia sobre zumbis – e Chumbo Grosso – Excelente!) é muito fiel aos quadrinhos, a escolha dos atores foi extremamente acertada, eles são muito parecidos e interpretam com o mesmo temperamento de seus respectivos desenhados a nanquim, Wright utiliza uma edição extremamente ágil, cortes temporais drásticos, onomatopéias pra tudo quanto é lado, a fotografia é excepcional e contribui para o climão de uma história em quadrinhos, quando as cenas externas remetem ao preto e branco nas ruas nevadas e extremamente coloridas nos ambientes internos e roupa dos personagens. Além de todos esses aspectos técnicos primorosos é muito bacana conferir a trilha sonora da película, onde as letras das músicas da HQ foram executadas pela banda Metric e transformadas em canções empolgantes e tomam vida ao vermos os acordes literalmente reverberando dos altos falantes e a notas pulandos dos instrumentos. (Ah ainda rola T. Rex e Rolling Stones!)

Assim como um dos maiores prazeres na leitura dessa HQ são as referencias à cultura pop em geral, o filme também não deixa isso para trás e explora muitas delas de maneira fabulosa, desde camisetas usadas pelo protagonista e diálogos sobre videogame até homenagens ao cinema Bollywood, o contra-baixo extremamente característico de Seinfeld e sua seqüência ao melhor estilo sitcom, sem contar as participações de alguns atores já conhecidos por filmes de super-heróis, Chris Evans (Tocha Humana e Capitão América) e Brandon Routh (Superman), esse faz o papel de um ex-namorado que possui superpoderes devido sua dieta vegan – engraçadíssima essa batalha.

Enfim, Scott Pilgrim (quadrinho e filme) é uma baita homenagem e fruto da cultura pop, que mostra conflitos adolescentes de uma maneira extremamente original e contagiante, que agrada quem gosta de quadrinhos, games, cinema e música, e é com um imenso prazer que escrevo esse meu primeiro post aqui no site do Pipoca e Nanquim, pois Scott Pilgrim celebra tudo o que abordaremos por aqui.

Em tempo: Infelizmente o filme foi lançado somente nos cinemas de São Paulo e em poucas salas, a decisão foi da Paramount Pictures devido ao fraco desempenho do filme nas bilheterias americanas, uma pena.

Em tempo (2): A Cia das Letras, editora que está publicando os quadrinhos aqui no Brasil, podia ter terminado a saga antes do filme estrear, ainda falta mais um número da série, que englobará as partes 5 e 6 da história original. Mas só dela estar trazendo a obra para nossas terras já merece uma salva de palmas, pois as edições estão bacanas e com ótima tradução de Érico Assis.

Videocast 42 – Rock’n’Roll: Parte 2

42- Rock'n'Roll Parte 2

Atendendo pedidos, trouxemos a segunda parte do programa sobre Rock’n’Roll! Claro que aqueles que ainda não assistiram a primeira parte podem ver essa numa boa, mas aproveite para assistir os dois logo de uma vez!

Só que antes de qualquer coisa, atentem para nossa novidade. Ao final desse post você vai encontrar um link que irá levá-lo até um download. Isso mesmo, um download. Trata-se do informativo do programa Pipoca e Nanquim. Chega daquele negócio de assistir o videocast com o bloco de notas anotando todas as dicas que passamos, pois agora nós fazemos isto por você! Criamos um PDF com cada uma das indicações passadas pelo programa. A publicação de hoje reúne tudo que foi comentado no tema da semana passada, “Baseado em Fatos Reais” (se ainda não, clique aqui). Será sempre assim: o PDF sai uma semana depois do programa, ok?

O tema de hoje é pra balançar os esqueletos (essa frase ficou ridícula, mas beleza). Nessa segunda parte do tema, não nos esquecemos de falar de The Wonders, Velvet Goldmine, Quanto Mais Idiota Melhor, Escola de Rock, Alta Fidelidade e mais uma porrada de filmes. Em quadrinhos, alguns lançamentos recentes, como Mondo Urbano e Xampu, e também coisa antiga, com o brazuca Golden Guitar!

Assistam aí, baixem o PDF, sigam o programa no twitter, adicionem no facebook, e divirtam-se!

BAIXAR O PDF – PROGRAMA 41 – BIOGRAFIAS