O incrível resultado de BEASTS OF BURDEN, nossa quarta HQ | Vlog do PN #221

Bem-vindo a Burden Hill, uma pacata cidadezinha como qualquer outra, com cercas brancas e gramados aparados… lar de uma inusitada equipe de investigadores paranormais.

Sob seu ensolarado exterior, Burden Hill esconde segredos sinistros, e cabe a uma heroica equipe de cães… e um gato… proteger o lugar das forças do mal.

Esses são os animais defensores: Campeão, Jack, Branquelo, Puguinho (a seu contragosto), Ruivo e Órfão, cujas experiências iniciais com o mundo paranormal (incluindo uma casinha de cachorro mal-assombrada, um ritual de bruxaria e um ataque de cães-zumbis) lhes conferiram a oportunidade de entrar para a Sociedade dos Cães Sábios, os corajosos agentes que juraram proteger o mundo de entidades perigosas.

Mas essa não é uma tarefa fácil, muito pelo contrário. Logo eles se deparam com sapos demoníacos canibais, espíritos torturados, uma sociedade secreta de ratos e uma bizarra e mortal ressurreição no cemitério da cidade. Eventos que apavoram os heróis peludos enquanto notam que o mal não para de surgir e ruma a uma situação calamitosa.

Nossos guerreiros de estimação conseguirão derrotar as ameaças sobrenaturais? O mal pode ser exorcizado por uma equipe na qual nenhum integrante tem mãos? E, mais importante, será que o Pugs vai calar a boca em algum momento?

Terror, aventura, mistério e humor povoam cada página de Beasts of Burden, que promete ganhar o coração de todos os leitores e assombrar seus sonhos.

Série ganhadora de 8 prêmios Eisner, incluindo Melhor Artista,
Melhor História Curta e Melhor Publicação para Jovens.

FICHA TÉCNICA DE BEASTS OF BURDEN
– Editora Pipoca & Nanquim
– Formato 19,5 x 28,0 cm
– 188 páginas coloridas
– Capa dura com miolo em papel couché fosco 115g/m
– Acabamento especial com meia-casaca imitando couro
– Tradução do inglês por Marília Toledo
– 1ª edição – Setembro/2017
– ISBN: 978-85-93695-03-2
– Preço sugerido: R$ 69,90

 LINK DE COMPRA: http://amzn.to/2xQtnhz

– CUPOM DE DESCONTO: Beasts of Burden está na lista dos 10 melhores lançamentos de 2017 na AMAZON! Na compra de 2 títulos dessa lista com cupom LANC10 você ganha R$ 10,00 de desconto. http://amzn.to/2wOb7k5

QUADRINHOS DA PIPOCA & NANQUIM EDITORA:

– Beasts of Burden (de R$ 69,90 por R$ 55,90) – http://amzn.to/2xQtnhz

– Cannon: http://amzn.to/2gqedYO

– Espadas e Bruxas: http://amzn.to/2vs6VKW

– Moby Dick: http://amzn.to/2wLQgBW

– Loja oficial do canal e da editora: http://www.lojadopn.com.br


Curta nossa FANPAGE no Facebook
http://www.facebook.com/Pipocaenanquim
—————————————-­­—————————————­-­—————–­-­—–
Siga o Pipoca e Nanquim no TWITTER
http://twitter.com/PIPOCAENANQUIM
—————————————-­­—————————————­-­—————–­-­—–
Se inscreva em nosso CANAL NO YOUTUBE
http://www.youtube.com/pipocaenanquim
—————————————-­­—————————————­-­—————–­-­—–
INSTAGRAM do Pipoca e Nanquim
http://instagram.com/pipocaenanquim (por Bruno Zago)
http://instagram.com/danielgillopes
—————————————-­­—————————————­-­—————–­-­—–
E-mail para SUGESTÕES, CRÍTICAS, ELOGIOS E DÚVIDAS
[email protected]

CHEGOU MOBY DICK!! Nossa terceira HQ!!! | Vlog do PN #219

 

E eis que chegou a hora de falar um pouco mais a fundo sobre o terceiro lançamento da editora Pipoca & Nanquim, MOBY DICK, do incrível artista francês Chabouté.

Baseada na obra-prima homônima do escritor norte-americano Herman Melville, considerada um dos ápices da literatura mundial, a HQ apresenta uma das narrativas gráficas mais espetaculares dos últimos anos.

Ainda estupefatos com o livro em mãos, damos um panorama mais abrangente sobre a obra, destacando os aspectos que a tornam leitura obrigatória para os fãs da Nona Arte e contando nossas decisões editoriais ao longo do processo de produção.

– Moby Dick (HQ)
http://amzn.to/2wLQgBW

– Moby Dick (livro)
http://amzn.to/2gsqlc3

– NOSSO VÍDEO EXPLICANDO POR QUE MOBY DICK É UM CLÁSSICO DA LITERATURA: http://youtu.be/cELuc09SY44

LINK DE COMPRA DE MOBY DICK: http://amzn.to/2wLQgBW
ATENÇÃO: Ainda tá rolando o COMPRE 4 PAGUE 3: http://amzn.to/2x93A3d

– Beasts of Burden: http://amzn.to/2vLTtP1
– Cannon: http://amzn.to/2gqedYO
– Espadas e Bruxas: http://amzn.to/2vs6VKW

APOIO:
Efetiva Marcas e Patentes: https://goo.gl/d3Pn5L
Facebook da Efetiva: https://goo.gl/d3q1tk
Blog: https://goo.gl/PT1uvd
Instagram: @efetivamarcas

 


Curta nossa FANPAGE no Facebook
http://www.facebook.com/Pipocaenanquim
—————————————-­­—————————————­-­—————–­-­—–
Siga o Pipoca e Nanquim no TWITTER
http://twitter.com/PIPOCAENANQUIM
—————————————-­­—————————————­-­—————–­-­—–
Se inscreva em nosso CANAL NO YOUTUBE
http://www.youtube.com/pipocaenanquim
—————————————-­­—————————————­-­—————–­-­—–
INSTAGRAM do Pipoca e Nanquim
http://instagram.com/pipocaenanquim (por Bruno Zago)
http://instagram.com/danielgillopes
—————————————-­­—————————————­-­—————–­-­—–
E-mail para SUGESTÕES, CRÍTICAS, ELOGIOS E DÚVIDAS
[email protected]

MOBY DICK, de Herman Melville e Christophe Chabouté

“DEIXAI QUE O MAIS DISTRAÍDO DOS HOMENS MERGULHE NO MAIS PROFUNDO DEVANEIO, ERGUEI-O SOBRE SUAS PERNAS, PONDE SEUS PÉS EM MOVIMENTO E ELES INFALIVELMENTE LEVÁ-LO-ÃO ATÉ A ÁGUA.”

– Chamai-me Ismael!

A emblemática primeira linha do romance Moby Dick é uma das mais famosas aberturas da literatura mundial. Sua simplicidade, com um grau de mistério e tensão, dá o tom do que virá a ser o conjunto dessa espetacular narrativa, em que a obsessão de um homem leva todo um grupo de pessoas à ruína.

Escrito por Herman Melville (um ex-marujo da marinha mercante norte-americana) em 1851, o romance foi recebido com pouco entusiasmo por público e crítica em seu lançamento. Hoje, mais de um século depois, o texto alcançou status de obra-prima e entrou para o restrito rol de publicações que figuram na lista dos Grandes Romances Americanos, ao lado de criações de outros luminares, como Mark Twain e Nathaniel Hawthorne.

Ao longo dos anos, o livro foi adaptado para o cinema, rádio, televisão e peças de teatro, inspirou a criação de um famoso desenho animado da empresa Hanna-Barbera, e também ganhou versões em quadrinhos pelas mãos de artistas como Will Eisner, Bill Sienkiewicz e Roy Thomas. No esteio dessas lendas, oriunda da França, surgiu uma nova adaptação de um mestre moderno.

Moby Dick é a primeira publicação de Christophe Chabouté no Brasil, mas ele já conta com uma carreira sólida de mais de duas décadas de produção, tendo sido bastante premiado na Europa, inclusive no consagrado Festival de Angoulême, por seu álbum Quelques jours d’été (Alguns Dias de Verão, em tradução livre). Entre outros de seus quadrinhos de destaque, podemos citar a aclamada trilogia Purgatoire, a biografia do criminoso Henri Désiré Laundru e Construire un Feu, baseado na obra de Jack London.

Mas o maior desafio da carreira do quadrinista veio em 2014, quando ele se propôs a adaptar para os quadrinhos o cultuado romance Moby Dick, conservando o texto original e irretocável de Herman Melville. O resultado é uma graphic novel magnífica e de tirar o fôlego, de visual singular, estruturação perfeita, dinâmica, cativante e extremamente fiel ao livro original. A reconstrução de época, o ritmo narrativo, a caracterização física e psicológica de todos os personagens… cada quadro desta obra foi cuidadosamente pensado para ser um componente de um todo tão belo quanto insondável, mas também para funcionar como uma pequena maravilha por si só.

A Editora Pipoca & Nanquim tem o orgulho de apresentar ao público brasileiro um lançamento de valor inestimável que está, sem a menor sombra de dúvida, entre as maiores adaptações já feitas deste clássico em todas as mídias.

FICHA TÉCNICA
Moby Dick, de Herman Melville e Chabouté
Editora Pipoca & Nanquim
Formato 20.8 x 27.8 cm
256 páginas em preto e branco
Capa dura
Miolo em papel offset 120g/m2
1ª edição – 2017
Tradução de Pedro Bouça
ISBN 978-85-93695-02-5
Preço sugerido: R$ 120,00
Compre aqui: http://amzn.to/2tUjcWx 

Moby Dick – Revisitando um Clássico

“Chamai-me Ishmael!”

A emblemática primeira linha do romance Moby Dick é uma das mais famosas aberturas da literatura mundial de todos os tempos. Sua simplicidade absurda, temperada com um grau de mistério e tensão, dá o tom do que virá a ser o conjunto desta espetacular narrativa.

Escrita por Herman Melville (um ex-marujo da marinha mercante norte-americana) em 1851, o romance Moby Dick foi recebido com muito pouco entusiasmo por público e crítica quando do momento de seu lançamento. Hoje, mais de um século depois, a obra é comumente chamada de “A Grande Novela Americana” e, tendo rompido com as fronteiras de seu país, é considerada quase unanimemente um dos principais representantes da literatura mundial. A despeito da critica especializada e dos leitores da segunda metade do século 19 (ainda impregnados com as formas estabelecidas pelo Período Romântico) não terem captado a complexidade e a beleza do texto, hoje o livro conseguiu um feito impressionante: não é apenas um referencial dentro do meio acadêmico, como também se tornou um vultoso representante da cultura pop, uma vez que é difícil encontrar alguém que não tenha ao menos escutado falar da famosa cachalote branca.

A história da busca pela baleia envolve o leitor em uma aura de mistério e sedução e, instigados por ela, pelo desconhecido representado na figura do oceano – aquele tapete azul que parece infinito – queremos saber mais e mais. Saber, por exemplo, que por mais improvável que pareça, a obra prima de Herman Melville foi baseada em uma história real cujos sórdidos detalhes são capazes de fazer gelar a alma do mais corajoso dos homens. Essa história é relatada em detalhes no arrepiante No Coração do Mar, de Nathaniel Philbrick, e nos lembra da bravura do ser humano mediante uma situação extraordinária em contrapartida à sua impotência em face de uma força da natureza amplamente superior à sua. Um relato de terror que impressiona pela acurácia com que é contado e principalmente pelo seu teor, que encontra a expressão máxima nas decisões que os personagens precisam tomar para continuarem vivos. Em uma palavra: canibalismo!

É sempre interessante perceber como um texto consagrado mundialmente se relaciona com outras linguagens. Adaptações costumam ser uma forma de expressão artística que agrada o público em geral e, em verdade, são em grande parte responsáveis pela popularização de muitas grandes obras. Ao longo dos anos, o romance foi adaptado para o cinema, rádio, teatro e televisão. Motivou o maior quadrinhista da história, Will Eisner, a recriá-lo em quadrinhos e essa foi apenas uma das várias adaptações que a obra teve nesse meio. No mundo da música, diversos artistas dedicaram-se a escrever canções baseadas nessa envolvente narrativa. Orson Wells encenou no teatro uma versão de Moby Dick em 1955 que, apesar de ter sido filmada, é considerada hoje uma obra perdida. Gregory Peck elevou a atuação a outro nível em sua época, ao desempenhar o papel do Capitão Ahab em um filme do diretor John Huston, de 1956. Bandas de rock como Demons and Wizards basearam canções de seus álbuns no texto original e a famosa empresa Hanna-Barbera produziu um desenho de sucesso em 1967, que foi exibido nos EUA pela rede CBS. O artista de música eletrônica Richard Melville Hall, que goza de um parentesco com o autor do livro, adotou o nome artístico “Moby”, tanto pela referência, quanto pela homenagem.

Moby Dick não é uma obra de aventura, mas sim uma jornada complexa que aborda temas de natureza distinta, como metafísica e psicologia. É uma obra realista que descreve em detalhes a dura vida do homem do mar, as embarcações, a pesca e as relações que os embrutecidos marujos travavam entre si. É o registro do comportamento de uma época de valores tão distantes dos nossos, mas é também algo que vai além disso tudo. Os símbolos e metáforas do texto contrastam com sua linguagem estilizada, o que envolve o leitor numa espiral que ora ascende, ora decai, tal qual à obsessão do próprio Capitão Ahab.

Ah, o capitão… Como não se emocionar com o momento em que o imponente capitão aparece pela primeira vez no convés? Não deve o público moderno ter a oportunidade de travar contato com tão impressionante descrição? Esta magnífica narrativa precisa ser apresentada para todos aqueles que a ela ainda não tiveram acesso à força selvagem que o texto original de Moby Dick traz em si, convidando o público a se aventurar no mundo singular do navio Pequod, sendo guiado pelo jovem marujo Ishmael em sua jornada de descobrimento e amadurecimento. O livro, por ocasião de quem o lê, provoca e instiga, faz pensar e informa, sensibiliza e inquieta. Enfim, proporciona as mais contrastantes sensações e é leitura obrigatória a qualquer pessoa que se considere fã de boa literatura.

“Chamai-me Ishmael. Há alguns anos – quantos precisamente não vêm ao caso – tendo eu pouco ou nenhum dinheiro na carteira e sem nenhum interesse em terra, ocorreu-me navegar por algum tempo e ver a parte aquosa do mundo. É a minha maneira de regular a circulação do sangue”.

Compre Moby Dick em quadrinhos aqui.
Assista o videocast em que indicamos a leitura de Moby Dick.


Videocast 86 – Oceano

Olá, camaradas!

Como todos vocês devem saber, sexta-feira é dia de…ir pro bar! E também do videocast Pipoca e Nanquim, claro!

O negócio é seguinte, desde tempos imemoriais os oceanos despertam a curiosidade e imaginação de todos os povos, isso sempre gerou histórias fabulosas, seja tratando de mitos submarinos, criaturas apavorantes até competições subaquáticas e piratas aventureiros.

Esse novo programa traz exatamente isso a vocês, dicas de obras sensacionais na literatura, cinema e quadrinhos que tem o reino de Poseidon e lar de Iemanjá como principal foco.

Embarque com a gente nessa aventura e mandem noticiais!

Câmbio, desligo.

QUADRINHOS INDICADOS

Namor: As Profundezas (Panini)
DC Especial #07 – Aquaman: a Reconquista da Atlântida (Abril)
Corto Maltese – 5 Volumes (Pixel)
Corto Maltese: A Juventude (Nemo)
Isaac: o Pirata (Conrad)
Classics Illustrated #01 – Moby Dick (Abril)
Abe Sapien: Os Afogados (Mythos)
Café Espacial (Independente)
John Constantine, Hellblazer: Origens – Vol.01 (Panini)
Lex Luthor: Homem de Aço (Panini)
Batman/Deathblow (Panini)

FILMES INDICADOS

Imensidão Azul (Le grand bleu, 1988)
Esfera (Sphere – 1998)
O Segredo do Abismo (The Abyss, 1989)
A Vida Marinha com Steve Zissou (The Life Aquatic with Steve Zissou, 2004)
Perigo em Alto Mar (The Reef, 2010)
Waterworld – O Segredo das Águas (Waterworld, 1995)
Tubarão (Jaws, 1975)
Medo Profundo (Black Water, 2007)

LIVROS INDICADOS

O Velho e o Mar (Bertrand Brasil)
Vinte Mil Léguas Submarinas (Martin Claret)
Moby Dick (Cosac Naify)

OUÇA O PODCAST EM QUE INDICAMOS MAIS QUADRINHOS E FILMES DO GÊNERO: PODCAST 28 – PIRATAS.

86 – Oceano – Pipoca e Nanquim por pipocaenanquim no Videolog.tv.

__________________________________________________________________________________________