Para Jogar: Section 8 – Prejudice

Section 8: Prejudice é um daqueles jogos que passam despercebidos no radar de todo mundo. Durante uma época em que o homem já alcançou as estrelas e esta colonizando o universo conhecido, S8 trás tudo que amamos relacionado ao gênero Sci-Fi. Acompanhado de uma dinâmica de combate única em que cada customização faz diferença (literalmente) no campo de batalha, S8: Prejudice é um FPS que não da para deixar passar batido.

Prejudice acontece algumas décadas após os eventos do primeiro Section 8, os Hybrid Super Soldiers, criados para assegurar a propagação e vontade da Terra pelo universo a fora foram caçados, separados e finalmente destruídos. A USIF e suas forças armadas, uma nova potência militar, tem como missão manter a paz, mas acabam por entrar em um conflito com rebeldes “errôneos” que são financiados por uma facção ainda desconhecida. Você é Alex Corde, descendente direto do protagonista do jogo original que se encontra, junto com seu time USIF (denominados Section 8), em uma perseguição dedicada à captura de um general de alto escalão fugitivo das forças inimigas. Durante a missão, você também está encarregado de descobrir a fonte do financiamento.

O online multiplayer desse jogo é simplesmente sensacional! Seja na campanha em modo co-op ou no sempre divertido “cada um por si”, S8 consegue aproveitar o que há de melhor em batalhas FPS online. Defender um ponto estratégico do jogo com seus amigos enquanto milhares de bots tentam lhe destruir é muito divertido, principalmente quando você tem a opção de encher o mapa com inúmeros bots variados, aprimorar suas armas, tempo de spawn e até um pacote para customização de cenários.

Diferente de muitos jogos, a IA (inteligência artificial) é fantástica. Existem vários níveis de dificuldade, mas até no mais fácil o inimigo é inteligente o suficiente para se esconder das suas rajadas de laser, curar uns aos outros e até dar uma de camper e ficar escondido em um canto, mandando bala até você identificar o desgraçado. Eu reclamo muito das IA fracas na maioria dos jogos, mas em S8 eu fiquei frustrado tamanho o nível de sagacidade dos bots. Em certo momento do jogo, eu mesmo tive que me passar por camper para ver se agüentava todo o ataque.

Um diferencial viciante são os jetpacks: Flutuar por cima de um inimigo em fuga e jogar foguetes nucleares sobre o maldito deveria ser obrigatório em todos os jogos! Em S8 utilizar os saltos gigantescos impulsionados pelos jetpacks é praticamente indispensável quando você tem de lidar com uma IA tão maliciosa. Outra dinâmica interessante é o Overdrive, que permite que você corra pelo cenário em uma velocidade absurda. Overdrive também se torna indispensável quando o objetivo é fugir do ataque incansável dos bots. Preciso falar o que acontece quando você combina os Jetpacks com o Overdrive?

Quanto aos gráficos a TimeGate caprichou. Fazer uso do Unreal Engine foi uma escolha feliz: as animações do game, assim como os movimentos dos personagens, são complexas e belíssimas de se apreciar. Todo o cenário, design dos menus e das roupas e armaduras garantem uma sensação de “futurismo inevitável”. Lembra muito a ambientação do Halo, mas com elementos de Dawn Of War 2.

Poderiam ter cobrado 50 dólares por esse jogo: ele vale tudo isso. Mas a TimeGate o colocou à venda por 15 dólares na Steam, sem falar que já prometeu várias expansões.

Para não dizer que o jogo é perfeição do começo ao fim, ele peca na história. Não no enredo em si, mas forma como é executado deixa a desejar. Ao invés de desenvolver os personagens e analisar a psique de cada um, você fica se sentindo como um mensageiro, um pombo correio do mau. Quando uma missão lhe é entregue, você fica com a impressão de estar por fora dos detalhes e fica no “não pergunte, faça”. Mesmo assim não é algo que atrapalha na experiência geral desse jogo em que fica claro o tanto que a TimeGate se esforçou para nos agraciar com tamanha diversão.

Mesmo em um mercado que despeja jogos FPS sobre os gamers com mais freqüência do que respiramos, alguns desses jogos valem muito a pena ter na sua estante. É por causa de games como esse que vale a pena examinar todos os FPS lançados por que, quando você menos espera, você se deparar com pequenas jóias como Section 8: Prejudice. Excelente jogo!

_______________________________________________________________________________________

Leonardo Chacel é formado em Publicidade. Depois de cinco anos como livreiro, chutou o pau da barraca e virou tatuador e gamer porque jogar e desenhar é o que faz de melhor. Além de escrever sobre games para o P&N escreve sobre música (só as boas) em seu blog Overdose Contínua.