Bored to Death – A Genial Comédia Noir da HBO

Alguém ai já assistiu Bored to Death?!

O loco, só uma pessoa daqui viu!? Pelo menos alguém né…

Mas tudo bem, pois a série ainda é pouco conhecida aqui no Brasil, a primeira temporada já foi exibida na HBO e a segunda começa dia 15 de Julho.

Para quem não sabe do que se trata, o negócio é seguinte, Bored to Death é uma das séries mais engraçadas e geniais dos últimos tempos.

O protagonista é Jonathan Ames (Jason Schwartzman) um jovem escritor que está em crise e solitário, pois perdeu a namorada devido ao fato de passar os dias se embebedando de vinho branco e fumando maconha, também está com “bloqueio criativo” e não consegue desenvolver seu segundo romance. Pensando em esquecer seus problemas e tornar a vida mais interessante decide virar detetive particular não-licenciado nas horas vagas (que alias, tem de sobra), coloca um anúncio na internet e logo em seguida é chamado para sua primeira missão.

Em todo episódio ele conta com ajuda de dois grandes amigos, seu editor e bon-vivant George Christopher (Ted Danson) e o autor de história em quadrinhos independentes Ray Hueston (Zack Galifianakis), estes o apóiam como todo bom companheiro deveria fazer, dando conselhos, bebendo, fumando ou mesmo partindo pra ação em alguns estranhos casos.

A série foi criada pelo escritor norte-americano Jonathan Ames que além dos roteiros cuida também da produção executiva e se você não reparou, empresta seu nome ao protagonista, mas isso não significa que a série é autobiográfica, o autor pega alguns traços de sua personalidade e situações que realmente viveu para criar um Jonathan Ames ficcional inspirado nele próprio. Estranho? Isso por que ainda não te contei que na segunda temporada ele aparece em dois episódios interpretando um personagem chamado Irwin.

Jonathan Ames é um grande roteirista (inclusive de quadrinhos, The Alcoholic foi lançada pelo selo Vertigo), sabe cativar e prender a atenção do espectador com tramas relativamente simples, mas repleta de sacadas e sutilezas que dão um charme raro de se encontrar em outras produções atuais. Misturando comédia e romance policial noir, em todo episódio assistimos as peripécias do pseudo-detetive em casos aparentemente simples, porém intrigantes. Mesmo sabendo que muitas vezes corre perigo de vida, Jonathan não recusa nenhum caso e os trata com a maior seriedade possível.

Além da trama envolvente, Bored to Death é repleta de piadas inteligentes, referências literárias e conflitos psicológicos que aprofundam cada personagem a ponto deles parecem reais, este é um grande mérito da série, propiciado pelo excelente elenco. Jason Schwartzman (Scott PilgrimContra o Mundo) empresta uma atuação brilhante ao detetive romântico, transmitindo toda a carga cômica e dramática necessária ao personagem, não consigo pensar um ator melhor para fazer esse papel, pois imaginá-lo como um romântico de coração partido sofrendo um bloqueio criativo é fácil, mas ao mesmo tempo, ser um detetive pronto pra solucionar qualquer caso sem pestanejar e se tornar um herói, é muito diferente, e ele faz isso com uma naturalidade tremenda.

Zack Galifianakis (Se Beber, Não Case) e Ted Danson (da série dos anos 80, Cheers) formam um perfeito time de apoio, graças a eles temos as situações mais engraçadas da série, quando um deles aparece em cena pode se preparar para ótimos diálogos, já quando os três se encontram pode ter certeza que será uma cena engraçadíssima, ainda mais quando estão chapados, pois um dos principais motivos de união desses personagens é sem dúvida o gosto em comum pela erva.

Sem contar as participações de Oliver Platt (X-Men: First Class), Heather Burns (Miss Simpatia) e convidados especias, como Kevin Bacon (X-Men: First Class) e Jim Jarmusch (diretor excepcional de filmes como Dead Man,  Flores Partidas Sobre Café e Cigarros), que só engrandecem a obra.

Cabe dizer que se você é fã de quadrinhos, irá adorar algumas sacadas envolvendo o personagem de Zack Galifianakis, Ray é um autor de quadrinhos que acredita na força da sua criação e está em busca do sucesso, mas ainda é um fracassado que depende da mesada da namorada pra comprar os DVDs que gosta. É constante as alusões ao mundo das HQs, destaque para o último episódio da segunda temporada ‘Super Ray Is Mortal!’ no qual o ápice da trama acontece em uma Comic Con. Hilário!

Se você assistir o episódio piloto e não se empolgar, calma, ele realmente não convence de primeira, apesar de algumas sutilezas e sacadas já estarem presentes ali, mas confie em mim e assista o segundo, a partir daí você entrará no espírito da série e não irá querer parar de assistir.

Fique com a ótima abertura que já mostra bem o clima da série. Uma curiosidade, a música tema foi escrita por Ames e Schwartzman e tocada pela banda deste, a Coconut Records.