Namor: As Profundezas – De Príncipe Submarino a Monstro dos Mares – Coleção Marvel Knights

Colaborador: Cleverson Braga (@cleverson)

Em Namor – As Profundezas o leitor é confrontado com algumas situações não muito usuais em quadrinhos lançados por aqui mas, com certeza, o que mais vai lhe chamar a atenção e – de certa forma chocar – é o desenho e a pintura.

Desenho e cores parecem disputar o espaço na revista, fazendo com que a arte sequencial fique entre o perfeccionismo em detalhes dos objetos e a semelhança com pintura em guache e telas. Em outros momentos os quadros parecem saídos de uma película cinematográfica da década de 70, com cores saturadas e granulação. É perturbadoramente bom.

A história começa de forma confusa. O autor usa muito a narrativa em primeira pessoa, firmado no tempo do protagonista (que não é o Namor), começa antecipando alguns fatos que serão reapresentados posteriormente e de súbito traz a história para seu tempo presente. Leva algumas páginas até o leitor se situar, principalmente porque as duas tramas apresentadas no início podem confundir.

A revista gira em torno de uma expedição submarina desaparecida e a busca pela mítica cidade de Atlântida. Peter Milligan, o autor, faz uso de diversas referências verídicas para dar volume ao roteiro e usa o medo do desconhecido para tornar os personagens mais reais.

São 125 páginas de imersão, oceano adentro, sem ação nenhuma. Tudo que o autor entrega são diálogos e discussões sobre misticismo e ciência.

O mérito maior da HQ é, sem duvida, o próprio Namor, porém seu uso na obra é de uma forma caracteristica de vilões e monstros  – não que Namor seja um desses dois, necessariamente – de filmes dos anos 70 e 80. Ele é o vilão oculto.

A trama é desenvolvida para deixar o leitor cada vez mais tenso, esperando que algo seja visto, descoberto, que algo aconteça e… nada! Tememos por algo que simplesmente não vemos e isso é excelente. Namor – como “entidade” oculta – é tão presente nas páginas e na trama de cada personagem como se estivesse, de fato, em todos os quadros.

Namor – As Profundezas é um título para fãs de um bom roteiro de suspense – independente da ação. Altamente indicado para quem nunca ouviu falar de Namor OU acredita que o único defensor dos mares fosse o Aquaman.

Em ultima instância, indicado principalmente para aqueles que ainda possam ter algum preconceito com quadrinhos. Prepare-se para receber um chacoalhão da arte sequencial.

Leia também resenhas de outros títulos da Coleção Marvel Knights:
Homem-Aranha: Com Grandes Poderes…

Editora: Panini Comics

Autores: Peter Milligan (roteiro) e Esad Ribic (arte)

Preço: R$ 22,90

Número de páginas: 120

Lançamento: Junho de 2010

Compre aqui!

__________________________________________________________________________________________

Cleverson Braga é designer gráfico por formação, publicitário por ocupação e colecionador por obsessão. Fã de carteirinha da Marvel e de zumbis, além de cinéfilo relapso. Sobrevive em Joinville/SC e é editor de conteúdo do blog Baú Pirata, bem como de seus podcasts.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Rapaz. Pra mim é uma das melhores hqs que já li. Parece muito com um filme de suspense/terror (meio alien, sei lá?). A história, apesar da pouca ação comentada pelo colega, deixa a gente ansioso o tempo todo, pois a cada página a trama envolve mais o leitor.

  2. Achei bem interessante, sempre soube pouco do Namor espero que a HQ me ajude a entender melhor o personagem e seu mundo.

    A Arte pelas fotos está de babar mesmo.

  3. Obra sensacional mesmo, merece lugar de destaque na coleção de encadernados. É um prazer apreciar leituras como essa, de qualidade impecável.

    Muito legal seu texto, Cleverson. É ótimo saber mais algumas “facetas” da HQ que, porventura, eu não tinha percebido até então.

  4. Quando começou lança a coleção de encardenados pela banca, eu fui compra!! Eu peguei o Homen aranha, o capitão américa, e agora é essa história do Namor!!
    Ouvi dizer q é muito boom mesmo, e além de ser barato , vem um poster super egal q um vai completando o outro , bom mesmo!

  5. O Bruno já tinha me falado muito bem de Namor, na época em que eu comprei o encadernado do ‘Magneto – Testamento’, que por sinal, é ótimo.

    E você acaba de confirmar tudo, vou procurar comprar o mais rapido possível Namor.

    Valeu!

  6. pessoal, alguem sabe em quais os encadernados saem os posters que o Eduardo rafael comentou? e quantos sao? valeu

  7. Eai Idezio, os pôsters comentados pelo Eduardo vêm nos seguintes encardenados: “Homem-Aranha – Com Grandes Poderes…”, “Capitão América – A Escolha”, “Magneto – Testamento”, “Namor – As Profundezas” e “Mitos Marvel”, cada revista vem com um pôster, somando 5 no totala e formando um megaspôster.

  8. Ah, valeu Tadeu por ter respondido pro Idezio! =)
    Olha essa coleção eh muito boa mesma, além das histórias fantásticas, depois q junta todos os posters, Dá /- uma parede inteira!!

  9. Excelente hq, embora em alguns momentos o debate ciência/misticismo possa soar como clichê; para compensar o final é de surpreender. A Panini deveria lançar os trabalhos ainda inéditos no Brasil do Esad Ribic.

  10. Esse album é realmente ASSUSTADOR, a melhor versão do Namos de todos os tempos.
    Recomendadíssimo.

  11. Esse album é realmente ASSUSTADOR, a melhor versão do Namos de todos os tempos.
    Recomendadíssimo.