Morbius, o “vampiro” da Marvel, ganha série mensal

Escrito por Doctor Doctor do SOC TUM POW!

Apesar de nunca ter sido um dos personagens mais notáveis da Marvel, o vampiro Morbius está prestes a ganhar sua própria série mensal. Planejada para estrear em janeiro de 2013, ela mostrará o dilema do personagem obrigado a matar para sobreviver.

“Ele não é um vilão, não é um herói e constantemente tenta fazer o que é certo, mas as coisas sempre dão errado e descarrilam rapidamente”, explicou o roteirista Joe Keatinge em coletiva à imprensa. “Suas intenções sempre são nobres e sem malícia. Na verdade, ele está nessa situação devido a sua necessidade por sangue, contra a qual ele está tentando lutar.”

Aliás, é essa necessidade por sangue que será explorada na série. “Em geral, os vilões clássicos decidem fazer algo de ruim, mas o comportamento de Morbius surge dessa falha intrínseca à sua natureza”, explicou o editor Sana Amanat. “É isso que estamos explorando. O monstro e o humano interiores, e qual deles vencerá.” Keatinge completa: “Quem é esse cara, agora? O que ele quer? E, dadas as circunstâncias de que está tentando resistir a beber sangue o tempo todo, onde ele se encaixa?”

A temática de vampiros obrigados a agir como monstros para sobreviver já está bem desgastada – afinal, é muito comum na literatura e até no RPG Vampiro: A Máscara – mas, a equipe criativa deMorbius, The Living Vampire (ou Morbius, o Vampiro Vivo em português) afirmaram que tentam encontrar uma maneira diferente de abordar as histórias desses sugadores de sangue. “Estamos tentando mostrar alguém sobrenatural em um mundo muito hostil”, disse Amanat. “Por mais que eu saiba que as histórias de vampiro sejam contadas várias e várias vezes, tentamos contar essa de um ângulo diferente.”

Na nova série, Morbius terá seu visual renovado, com o uniforme de super-herói dando espaço para trajes mais realistas. Além disso, suas aventuras acontecerão principalmente em Nova York e que contarão com muitos personagens inéditos. “Apresentaremos um punhado de novos personagens, mas o foco é Morbius”, explicou Keatinge. Dessa forma, os monstros da Marvel como a Múmia Viva, Lobisomem e até mesmo outros vampiros não serão vistos na série, ao menos no início.

Morbius, The Living Vampire #01 chega às comic shops estadunidenses em janeiro de 2013, mas a história terá início em dezembro de 2012, nas páginas de Amazing Spider-Man #699. Na edição, será apresentada uma HQ escrita pelo próprio Keatinge e na qual Morbius será visto após fugir da Balsa, uma prisão exclusiva para criminosos superpoderosos.

Não posso dizer que entendi a estratégia da Marvel, afinal, além de estar longe de ser um de seus personagens mais interessantes, Morbius não é um super-herói, não é um vilão e muito menos um vampiro (afinal, até onde sei, é apenas um homem com uma doença de sangue). Em outras palavras, ele é um pato: não nada direito, não canta direito e não voa direito. Além disso, o próprio Keatinge deixou claro que a série mostrará o mesmo lenga-lenga de sempre sobre uma criatura que sente-se amaldiçoada por ter que matar pessoas para sobreviver. Minha vontade de ler isso? Zero absoluto.

 

  

Ir para o artigo original.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. eu particularmente acho a serie muito fraca, porque em vez de ficar tentando apresentar aos que não são aficionados por Hqs um universo tão cheio de açao e aventuras e varios roteiros de alta qualidade, não seria mais justo trazer a tona os classicos?
    justiça jovem não passa de uma forma de trazer as telas os novos titãs.
    na minha opnião qualquer adaptação de um classico como a saga contra o irmão sangue ou os embates contra a colmeia seria mais justo do que os fracos episodios de justiça jovem.
    jovens e adultos seriam brindados com uma grande historia, muita ação e a presença de personagens que nao poderiam ficar fora como ravena, estelar e ravena.
    sinto muito quem gosta mas justiça jovem é uma grande injustiça.

  2. Não acho Morbius um personagem ruim. Ele é apenas mal aproveitado. Nas mãos certas poderia render uma história bacana.