Face Oculta – Política e aventura na melhor tradição fumetti

Face Oculta (Volto Nascosto, no original) trata-se de uma série dividida em 14 volumes criada por Gianfranco Manfredi (autor de O Mágico Vento) lançada em outubro de 2007 na Itália pela Sergio Bonelli Editore.

O protagonista da história é Ugo Pastore, filho de um bem sucedido comerciante italiano que vai até a Etiópia fazer negócios com a corte regente. Lá, o garoto começa a se indignar com as péssimas condições sociais da colônia, comportamento esse que acaba chamando a atenção do líder dos rebeldes locais, Face Oculta. Manfredi aproveita esse contexto para lançar uma ácida visão crítica sobre o sistema colonial italiano, de forma que não se poupa de retratar as mazelas que cercaram a ocupação. O próprio Manfredi na introdução da edição explica que o contexto histórico é verídico e a ficção se apoiou bastante nesse contexto histórico.

De fato, o contexto geopolítico por trás da ocupação italiana à Etiópia é muito importante para a trama. Fatos como o expansionismo italiano durante o século XIX e o Tratado de Wuchale (que lançou as bases para a cooperação comercial entre os dois países) são essenciais para a construção da história.

face-oculta-pags (2)

A opção da Panini de lançar a série agora no Brasil é ótimo para o mercado de bancas, posto que ele carece de material de qualidade fora do eixo EUA-Brasil. Além disso, trata-se de uma história singular, que envolve política e ação, coisa muito pouco abordada nos quadrinhos. O cenário também não deixa de ser interessante: a Etiópia. É um barato ver a retratação da corte italiana, dos desertos e das cidades coloniais, formando um conjunto de elementos que enriquecem ainda mais a história e os personagens.

face-oculta-pags (1)A trama é repleta de diálogos interessantes, especialmente um em que Ugo explica para Face Oculta a história da origem de Roma (aquela mesma do Rômulo e Remo). Além de toda a tensão que envolvia a passagem, impressiona a forma como essa história vai se relacionar com o transcorrer da cena. Nos diálogos ainda é possível extrair aspectos da cultura de repressão e descaso das autoridades italianas para com os nativos. Durante tais passagens, praticamente assumimos o ponto de vista de Ugo, e junto com ele o leitor se horroriza com todo o cenário existente. Ao contrário do que poderia se esperar, Manfredi se manteve afastado de uma abordagem maniqueísta do conflito, de modo que o colonizador seria o mau e os nativos bons. Nada disso. Os rebeldes, por exemplo, usam de métodos bastante questionáveis como forma de resistência. Enfim, a reflexão nesse ponto pode partir para as mais diversas abordagens.

O resultado foi uma história ágil, interessante e com uma arte bem feita de Goran Parlov (Nação Fora-da-Lei, de Jamie Delano). A edição feita pela Panini é muito boa, ao passo que se valeu de um formato diferenciado (16 x 21 cm), capa cartão, miolo papel off-set (diferentemente do papel jornal geralmente usado nos fumetti), bem como de uma introdução escrita pelo próprio Giancarlo Manfredi que serve como uma espécie de carta de intenções para a série.

A única reserva no momento é a indefinição da Panini quanto a periodicidade do título, cuja segunda edição já foi lançada, mas os demais continuam incertos. Fica então a torcida para que o título tenha sucesso e o ritmo de publicação se mantenha, pois Face Oculta se revelou uma das melhores revistas periódicas lançadas atualmente pela editora, junto com o mangá Monster e o mix Vertigo.

face_ocultaFace Oculta #01 – Os Saqueadores do Deserto (Volto Nascosto #01 – Eu predoni del deserto)

Nota I 8,5

Sergio Bonelli Editore | outubro de 2007

Panini Comics | novembro de 2012

Roteiro: Gianfranco Manfredi

Arte: Goran Parlov

Capa: Massimo Rotundo

Compre aqui!

 

Encontre mais artigos como esse no site Dimensão Nona Arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Comprei, botei na prateleira porque estava lendo outra cosia… E esqueci completamente… Com certeza será minha próxima leitura.

  2. Simplesmente fantástica essa HQ/fumetti.

    Eu nunca havia lido nada da Bonelli, mas depois de ler “Face Oculta” tratei de correr atrás de Mágico Vento, Tex, Dylan Dog… TUDO!

    Pra mim umas das melhores de 2012 fácil!

    • Recomendo pra você Ken Parler do Giancarlo Berardi e Ivo Milazzo, e Julia que é do Berardi tbm.. os melhores fumettis na minha opinião!

  3. Vi a HQ na banca, mas não chegou a despertar a minha atenção. Essa dica me fez rever minha opinião.