É oficial! DC confirma novas séries de Watchmen!

Depois de muitos boatos e mentiras, o pesadelo da maior parte dos fãs da clássica e irretocável obra do mestre Alan Moore vai se tornar realidade!

A DC Comics acaba de confirmar novas histórias dentro do universo distópico de Watchmen. Batizada de Before Watchmen essa primeira leva de histórias (primeira, pois acredito que isso vai encher os cofres dos magnatas dos quadrinhos e muitas outras virão) mostrará a vida pregressa de alguns personagens e grupos.

As equipes criativas por trás de cada título serão as seguintes:

  • Rorschach (4 edições) – Roteiro de Brian Azzarello, arte de Lee Bermejo;
  • Minutemen (6 edições) – Roteiro/Arte de Darwyn Cooke;
  • Comediante (6 edições) – Roteiro de Brian Azzarello, arte de J.G. Jones;
  • Dr. Manhattan (4 edições) – Roteiro de J. Michael Straczynski, arte de Adam Hughes;
  • Coruja (4 edições) – Roteiro de J. Michael Straczynski, arte de Andy e Joe Kubert;
  • Ozymandias (6 edições) – Roteiro de Len Wein, arte de Jae Lee;
  • Espectral (4 edições) – Roteiro de Darwyn Cooke, arte de Amanda Conner;

Algumas capas inclusive já foram divulgadas!

Apesar de não ter o apoio de Alan Moore, que esculacha qualquer coisa envolvendo sua obra-prima, o projeto conta com a benção do artista original Dave Gibbons. A partir do meio do ano, as revistas serão lançadas semanalmente até o fim de 2012.

Acredito que essa foi a melhor solução possível, pois a DC queria a todo custo continuar lucrando em cima de uma das melhores HQs do mundo e dar sequencia a série seria um erro terrível, pois superar Alan Moore é praticamente impossível e a chance de dar errado era 100%. Agora, chamar um boa equipe de criadores, pois convenhamos, é um  time deveras interessante esse escolhido e optar por contar histórias do passado são outros quinhentos e pode dar certo. Dos males o menor.

Eu mesmo já estou seco pra ler as histórias comandadas por Darwyn Cooke.

E podem caluniar a vontade, pois aposto que quando isso for lançado, todos correrão atrás para conferir e a DC vai continuar sorrindo de orelha a orelha.

Agora é torcer para que sejam histórias ótimas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Bom, acho que teremos boas histórias e más histórias. Rorscharch do Bermejo vai ser do caralho. O principal problema é se fizer sucesso. Aí a exploração vai começar de evz…

  2. Hey DC, Shup and TAKE MY MONEY!

    Melhor do que as revistas, vão ser as entrevistas surtadas do Alan Moore amaldiçoando a DC, hahaha… Não adianta, vou comprar tudo.

    =)

  3. Acho que vai ser muito legal. O universo de watchmen dá pra explorar muito ainda. Se depois transformarem numa revista mensal … aí ferra com tudo

  4. Só vou comprar depois de ter uma boa recomendação e depois de ler a história antes. Comprar “no escuro”? NemFodendo!

  5. Todo mundo vai chorar, criticar… mas no final estará em nossas estantes. Nos resta apenas aguardar para que os escolhidos façam um belo trabalho à altura do original.

  6. bem, na minha opinião, o correto seria não mexer com os personagens, mas como o projeto ja ta ai, torço para que venham grandes historias, principalmente os escritos pelo JMS

  7. Sou totalmente contra o projeto, mas tenho certeza que comprarei … eu me odeio por isso …

  8. Sou totalmente contra o projeto, mas tenho certeza que comprarei … eu me odeio por isso …

  9. Eu não vou ler nenhuma até pelo menos a raiva passar. A equipe é boa, mas eu gostaria muito de ver a DC criar algo novo e tão marcante quanto. Poderia muito bem juntar essa equipe dar carta branca e dizer: Criem algo novo!

    • A filha do Alan Moore deu justamente esse depoimento, a DC poderia pegar a grana que investiu nesse projeto e dar carta branca pra esses caras criarem uma nova obra tão sensacional quanto Watchmen. Eles ficam ressuscitando seus antigos sucessos em busca de grana, provando que são incapazes de dar vida a um novo Watchmen. Fata criatividade e ousadia pra esse pessoal.

      • Por outro lado, acho que foi o Straczynski que disse algo que me fez pensar, afinal o Moore fica reclamando que usaram personagens dele, fallta de criatividade e bla-bla-bla, mas nos últimos anos, foi exatamente isso que ele fez em quase todos seus trabalhos, usando a mulherada no Lost Girls, em Liga Extraordinária e Lovecraft em Neonomicon… Então é meio que o roto falando do rasgado!

        • É muito difícil a DC falar inventem algo novo e correr o risco de tomar um prejuízo homérico. Ela fez o fácil, juntou uma puta equipe em algo que vai vender pra caramba, com ou sem macumba do Alan Moore.

          Alan Moore que aliás, tem passado do ponto nesse personagem turrão anti-sistema dele. No início eu achava divertido, mas hoje tenho tanta aversão à ele quanto eu tenho ao Frank Miller e John Byrne.

          O que ele fez em Lost Girls não chega nem perto do que a DC quer fazer com Wachtmen.

          =)

        • Penso assim. Alan Moore não escreveu utilizando personagens dos outros. Ele elaborou personagens em cima de outros já existentes. Sempre há um acréscimo. E é aí onde está o melhor do velhote. Um personagem, nas mãos dele, adquire vários novos aspectos. O diferencial de um escritor como Moore é esse: todo personagem, em suas mãos, se torna algo bacana, provando que não existe personagem ruim, mas, sim, péssimos autores. Esses novos quadrinhos sobre Watchmen serão realizados sobre o universos construído pela dupla criativa Alan e Gibbons; e não mais sobre os personagens pueris e sem conteúdo da finada Carlton. Em Lost Girls, aquelas mulheres nunca existiram na literatura. Trata-se de um arcabouço de referências sobre referências, partindo de personagens da literatura infantil. Na Liga, idem. Acho que a grande expressão do trabalho de Alan Moore, nesses aspectos, pode ser vista em Miracleman e Supremo: grandes histórias escritas em cima de plágios descarados. E, em Supremo, isso é ainda mais bacana e evidente, pois o barbudão escreve décadas da mitologia do Superman enquanto narra a própria história das HQs de Heróis.

    • Putz, Kleiton, a questão não é essa.Não me entenda a mal, acho que Alan Moore é, possivelmente, o maior roteirista de HQs que já existiu. Mas esse Mi-Mi-Mi dele já encheu o saco. Ele pode ter pego personagens antigos e ter dado personalidade própria, mas isso não muda o fato que Se Lewis Carol, J. M. Barrie e Frank Baum estivessem vivos, eles teriam se sentido muito mais indignados de terem visto suas criações serem metidas em situações que envolve até zoofilia, do que qualquer coisa que os roteiristas da DC possam fazer com os personagens de Moore.

      Me irrita um pouco ele tratar as coisas com dois pesos e duas medidas, quando elas são, na verdade, a mesma coisa. Se ele tivesse esse desprezo tão grande assim pelas duas grandes corporações de HQs, simplesmente as ignoraria, ao invés de, toda semana, dar uma nova declaração à imprensa.

      • No fundo, ele gosta da atenção. É aquela reclusão meio: me deixem em paz, mas não me esqueçam!