Usagi Yojimbo – Se não leu, leia!

Sempre achei esse coelho aí do lado “estiloso”. Muito tempo antes de ler os quadrinhos de Usagi Yojimbo eu já tive contato com o título através de reportagens das revistas Herói (lembra dessa?) e Comix. Eu olhava pro desenho e aquilo me agradava: um coelho samurai, com roupas largas, chinelo de madeira e uma faixa amarrando suas orelhas.

A primeira vez que o personagem apareceu no Brasil foi pela editora Via Lettera, nos anos de 1999 e 2000, em três volumes – Samurai, Ronin e Bushido. Infelizmente, não tive acesso a esses álbuns ainda, portanto vou me concentrar nas publicações mais recentes, da editora Devir, que lançou dois encadernados em 2007 – Sombras da Morte e Daisho. A Devir publicou nesses volumes as histórias que saíram pela Dark Horse nos EUA, e é com base nelas que posso dizer a vocês: Usagi Yojimbo é uma HQ muito, mas muito legal!

As histórias são divertidas, capazes de agradar todos os tipos de leitores. Se você leu Lobo Solitário e gostou (se leu e não gostou vá bater sua cabeça contra uma pedra!), mas agora quer um quadrinho de samurai menos denso, que até mesmo seu filho possa acompanhar, esse é o título certo. São típicas aventuras de samurais, com conspirações entre senhores feudais, lendas antigas, traições, personagens que vêm e vão, clãs ninjas, filosofia, interesses românticos, espadas sagradas, elementos de cultura japonesa, etc.

Todas as aventuras são muito bem narradas, com desfechos que fogem do previsível e tramas que se desenvolvem com vários núcleos de personagens, cada um com suas próprias ambições e objetivos. O autor nos impressiona com vários quadros de ângulos inusitados – no início de uma das histórias, testemunhamos as coisas se desenrolarem a partir da perspectiva de um totem – e magistrais sequências de luta, cenas de ação limpas, com movimentos bonitos e fáceis de compreender.

Miyamoto Usagi (nome do coelho, referência ao lendário Musagi, de vagabond), outrora foi um samurai que lutava por seu mestre e senhor, mas decidiu se tornar um ronin quando este foi morto em combate, e passou a vagar pelo Japão para combater todo tipo de injustiças, sobrevivendo da comida obtida nas florestas e de gentilezas oferecidas pelas pessoas que ajuda. É o Japão feudal como o conhecemos na vida real, só que invés de humanos, os personagens são antropomórficos. O companheiro de Usagi em algumas aventuras é um rinoceronte, seu mestre é um leão, vários aldeões são raposas, cães, gatos, porcos, e pra completar a presença de animais que lutam artes-marciais, as tartarugas ninjas aparecem em uma história, invocadas de nossa Terra por um feiticeiro. O mais interessante, é que o autor usa as tartarugas para mostrar ao leitor que ele tem consciência de que o cenário que criou é “anormal”.  Donatello e companhia estranham esse mundo, onde alguns animais evoluíram naturalmente até a condição racional e bípede, algo que eles só alcançaram graças a um acidente químico, e questionam o fato de cavalos serem cavalos normais, enquanto coelhos e rinocerontes são humanos e têm o mesmo tamanho. Se as pessoas fossem desenhadas como pessoas não seria a mesma coisa, esse é o toque especial da HQ, o que lhe confere seu dinamismo e exclusividade.

Não é necessário um conhecimento prévio do título, as histórias podem ser conferidas individualmente numa boa, tanto que eu li primeiro o volume dois da Devir. Os álbuns da editora trazem somente aventuras fechadas, algumas curtas, outras divididas em duas partes, que são as mais legais – por serem mais longas permitem que sejam desenvolvidas com mais complexidade.

O criador, Stan Sakai, japonês que vive na Califórnia, desenha e escreve as histórias desde 1984. Seu personagem atingiu o sucesso e já foi publicado em vários países, apareceu na televisão (no desenho das Tartarugas Ninjas) e se transformou em diversos produtos. Acaba de sair nos EUA uma caixa especial com dois encadernados de capa dura que reúnem os sete primeiros volumes das aventuras do personagem, um total de 1160 páginas, com prefácio de Stan Lee. Edições como essas provavelmente jamais veremos por aqui, infelizmente.

Antes de encerrar, permitam-me contar um fato curioso que acontece comigo. Eu li Usagi Yojimbo pela primeira vez no fim de 2009, em um sítio onde passei o ano novo. Em 2010, repeti o feito e li o outro álbum no mesmo sítio, na mesma época. Agora, é inevitável relacionar a HQ ao lugar, sempre que leio imediatamente me recordo da boa sensação de férias no campo. Como acabei de ler os da Devir, vou tentar comprar um da Via Lettera para continuar a tradição por mais esse ano.

É isso aí, se não leu, leia: Usagi Yojimbo, da Devir. Quando o fizer, ou se já leu, deixe sua opinião nos comentários, beleza?

Usagi Yojimbo – Sombras da Morte (2007)
Editora Devir – R$32,00

Usagi Yojimbo – Daisho (2007)
Editora Devir – R$28,00


Deixe uma resposta

  1. Grande Bruno!

    Comigo acontece o inverso, eu tenho os três primeiros álbuns que saíeram pela Via Lettera e ainda não li os que saíram pela Devir.

    Os primeiros álbuns são muito legais. O leitor descobre um pouco da infância de Usagi e de seu amigo Kenichi, bemo como o treinamento de Usaji (engraçado e sério ao mesmo tempo embora isso pareça um absurdo). Imperdíveis também seus primeiros encontro com Tomoe Ame, guerreira, guarda costas e interesse romântico, Gen, o caça recompensas sem vergonha e os dois duelos com Zato Ino, o porco espadachim cego, inspirado em Zatoichi, um dos mais famosos guerreiros semi lendários do Japão, que já conheceu diversas adaptações para cinema e TV, a mais recente dirigida e interpretada por Takeshi Kitano (só não gosto muito do final desse filme, quem já viu deve saber porque).

    Este site aqui é bem completo (inglês).
    http://www.usagiyojimbo.com

    Abraço!

  2. Pelo que você escreveu, os albuns da Via Lettera devem ser muito bons também! E se vc gostou desses, acho que vai gostar dos da Devir também.
    Poxa, legal saber que tem referencias ao Zatoichi, muito bacana isso! Falamos de Zatoichi no programa de Samurais, lembra?
    Valeu pelo comentário! Como disse no post, vou ler os da Via Lettera, espero que adquira os da Devir também. Falow!

  3. Comprei ontem e li hoje mesmo achei legal mas pelo jeito que você falou esperava um pouco mais

  4. Pingback: As melhores HQs que vem por aí - com pré-venda na Comix! | Pipoca e Nanquim

  5. Eis um personagem que sempre despertou minha curiosidade mas nunca tive a coragem de investir nele. Pelo visto só eu que andei perdendo. Vou tratar de conhecê-lo o mais rápido possível. Obrigado por essa dica preciosa Bruno Zago! \o