Podcast 19 – Coringa

Como em todas as segundas chegou o momento de conferir mais um podcast do Pipoca e Nanquim!

Após Stan Lee, Wolverine e Universo Ultimate, finalmente um tema exclusivo da DC!!! Hoje falamos do palhaço, do Coringa, do palhaço, do Joker, do palhaço, do Coringaaaaa!! Hahahahaha HAhauHAhauahahuahuahUAHuahuahahahuahuHAUha!!

Simplesmente o vilão mais legal dos quadrinhos! SIM!! Não vem, não, ele é o vilão mais legal SIM, quer você goste disso ou não! Hehe!

Sua personalidade anarquista, caótica e maluca tomou conta de todos nós e apresentamos o podcast mais “zoneado” de todos até agora! O Bruno levou bronca, o Alexandre perdeu a paciência, o Daniel ficou engraçadinho, todo mundo doidão!

Mesmo assim conseguimos tirar proveito disso, você vai saber muito sobre o Coringa, relembrar suas melhores histórias, seus melhores desenhistas e roteiristas, ouvir comparações entre Jack Nicholson e Heath Ledger, a série dos anos 60, e até mesmo teorias sobre a possível homossexualidade do vilão!

Dá logo play maluco, mas antes, confere o menu!

Bloco 01

• Unânime: Coringa – O maior e melhor vilão das histórias em quadrinhos;
• Características que o fazem o maior vilão de todos;
• Primeira Aparição: Batman #1 (1940);
• Criadores: Bill Finger, Bob Kane e Jerry Robinson;
• Assim como o Batman, o Coringa foi muito infantilizado no período da famosa série de TV;

Músicas:
Search and DestroyThe Stooges
Why Does It Hurt When I Pee?Frank Zappa

Bloco 02

• Para ler as primeiras histórias do Batman e do Coringa leia: Batman Crônicas, Ed. Panini;
• O visual do Coringa foi baseado no ator Conrad Veidt no filme O Homem que Ri;
• Anos 50 e 60: Coringa aparece em diversas histórias, muitas de qualidade duvidosa;
•Início dos anos 70, retomada do Batman e Coringa mais adultos e violentos pelas mãos de Denny O´ Neil, Neal Adams, Bob Haney e Frank Robbins;
• Divagando: Batman com ou sem Robin?? (O que você prefere?);

Músicas:
Cry BabyJanis Joplin
Born to be WildOzzy Osbourne

Bloco 03

• Um adendo: Cesar Romero interpretando o Coringa é inesquecível e contribuiu muito para sua popularização;
• O Coringa do Cavaleiro das Trevas;
• Coringa e suas interpretações homossexuais: Cavaleiro das Trevas, Piada Mortal, Asilo Arkham e Cacofonia;
• Polêmica: Alguém ai gostou da história Cacofonia de Kevin Smith?;
• O Palhaço do Crime ganha sua revista própria em 1975 – The Joker;
• Outra grande fase do Coringa: Steve Englehart (roteiro) e Marshall Rogers (arte);

Músicas:
Good Times, Bad TimesLed Zeppelin
The PassengerIggy Pop

Bloco 04

• Anos 80; Grandes histórias e os filmes dirigidos por Tim Burton;
• Coringa magistralmente interpretado por Jack Nicholson;
Batman – O Filme: Mostra uma possível origem do Coringa
• Falando em origem… o Capuz Vermelho;
Morte em Família: Jason Todd, o segundo Robin, cruelmente assassinado;
The Dark Knight: Heath Ledger encarna o Coringa perfeito.

Músicas:
My GenerationThe Who
What I Like About YouThe Romantics


  • iTUNES
    Você também pode assinar o podcast em seu iTunes. Sabe como?

Se você gostar do que ouvir, ajude o podcast a se espalhar e clique no botão de RETWEET ou então no CURTIR do Facebook. Indique para os amigos, coloque no seu blog, segue a gente no Twitter, comente ou mande um email pra gente. Mais tarde a versão sem os blocos musicais!

Tchau! HAHAHahHAhahHahAHhAHhAHhahaHAHHAHAHAH…

Reproduzir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Pessoal, agora não dá pra ouvir o pod mas desde já deixo consignado meu protesto contra esta assertiva:

    "Heath Ledger encarna o Coringa perfeito"

    NUNCA!

    Volto depois que ouvir o post com argumentos irrfutáveis em contrário.

    Abraço!

  2. Na minha opinião o Coringa do Ledger é o melhor já interpretado. Não acho que seja perfeeeeeito, mas o melhor até agora, sem dúvidas!

    Eu queria ver um coringa mais com a cara do palhaço do inferno que o Morrison colocou logo antes de R.I.P. em Batman. Aquilo é medonho!

  3. Não tenho nada contra o coringa do Jack Nicholson. Mas acho que um velho com roupas coloridas com gestos espalhafatosos e sob influência de psicotrópicos não é o coringa – é o Jack Nicholson 😀

    Abraços e obrigado pelo Podcast! Vocês são demais.

  4. Vamo então.

    Porque o Coringa do Ledger não é perfeito.

    No meu modo de ver o Coringa é composto de dois elementos básicos:

    1- Assassino, psicopata, impiedoso e

    2- Príncipe palhaço do crime.

    O Coringa não é só um criminoso psicótico, ele é um criminoso psicótico com um puta estilo e auto imagem nas alturas. Ele se acha o máximo, tanto como asssssino quanto como comediante.

    O que o Coringa do Ledger? Basicamente a coisa da qual os americanos mais tem medo: Um terrorista.

    O q

  5. Minha menininha de 5 anos adora o batman (mais que o pai que é fã do Super) e eu gravei alguns episódios da série dos anos 60 pra ela, mas nunca deixaria ela assistir o coringa do Ledger.
    Outro coringa fudidão é aquele do desenho batman contra o Capuz Vermelho.
    Já o do Nicholson sim. Então pode-se comparar o do nicholson com o do Romero, mas nunca nenhum dos dois com o do Ledger, do qual só não gostei dos trejeitos, tipo tiques.
    Grande Podcast.
    Continuem assim!!!

  6. O coringa do Jack é a versão escandalosa do coringa, muito boa, do Ledger é a versão do palhaço macabro, também muito bom.

    O que não dá para aceitar é que o coringa é o maior vilão, derrepente da DC pode até ser, to esperando pra ver o que Krona vai fazer, to gostando muito dele.

  7. Desculpem a falha, continuando:

    O que falta ao Coringa do Ledger: Ele não tem graça.

    Fiquei abismado de vcs gostarem do "humor" do Coringa/Ledger. Que humor? Nunca vi um Coringa tão macambuzo e sorumbático. No filme do Burton, quando o Coringa aparece na TV ( e isto se repete em Batman animated series) é uma comédia, engraçado pacas. No filme do Nolan não tem graça.

    A pergunta que notabilizou o coringa Ledger retorna a ele? Why so serious?

    Tirando a cena do lápis, a única passagem mais ou menos engraçada é quando ele se veste de enfermeira e mesmo assim a graça está mais na roupa que no personagem em si, que solta uma fala clichezona: "Eu sou um agente do caos".

    Eu até entendo que a versão Ledger tenha arrebanhado muitos fãs pela seu enfoque e interpretação contundente, mas dizer que é "perfeito" e "engraçado", vou morrer negando.

    Assistam a sequencia do museu no Batman do Burton, como o Coringa destruindo obras de arte dançando insano, ao som de Prince, e finalizando com a frase "estou derretendo, estou derretendo….BUUU". ESSE é o coringa. Perigoso, insano e hilário.

    Na minha modesta opinião o melhor Coringa de todos é o da Animated Series, com episódios como "Um favor para o Coringa" ou "O homem que matou o Batman".

    E já que comecei, deixa eu puxar mais as orelhas de vcs.

    Caras, não se refiram a fase dos Batman anos 50/60 como "coisa ruim", "lixo", "não presta"…isso não é legal.

    Esse período é marcado por histórias bobinhas e infantis? Sim, mas tb é preciosissimo! Se não por outro motivo, o seria pelo trabalho espetacular de Dick Sprang, mas há mais valores ali!

    Vejam que em Kingdom Come Alex Ross faz o Batman rindo ao entrar na batalha decisiva. Ele disse que parecia uma coisa proibida na época e até hoje, fazer o Batman sorrindo. Grant Morrison é um grande fã dessa fase, reaproveitou elementos dela com maestria, como o Bat Mirin.

    A série de animação Batman, The Brave and The Bold tem forte inspiração no Batman dos anos 50/60 e é excelente, assistam o ep "The Power of Shazam" ou o primeiro em que aparece o Bat Mirin (não lembro o nome desse).

    É tão patente a importância dessa fase, que vcs despreocupadamente chamam de lixo, que um episódio da quarta temporada de animated series, chamado "legends of the dark knight" mostra duas versoes do Batman: Uma, a versão TDK de frank miler. A outra, a versão anos 50 de dick Sprang. Adoro esse episódio, ele representa como duas versões tao distintas de um mesmo personagem podem coexistir sendo ambas igualmente importantes. Se vcs não curtem digam "não gosto", mas não digam "é ruim". To de olho em vcs!

    Escrevi correndo, desculpem se ta meio confuso, abraço!

  8. Marshall seus argumentos sobre o Coringa do Nolan são ótimos, mas eu dei algumas risadas com o Ledger sim…ele não é um fanfarrão, um palhaço propriamente dito, mas tem humor…deturpado, mas humor. Como disse o Pedro no coment acima…é a melhor interpretação do Croinga até hoje.
    Adoro o Nicholson também…essa cena que vc citou do museu é fabulosa mesmo, bem lembrada! Mas eu sou suspeito eu curto tanto o personagem que até do Cesar Romero eu gosto!
    Agora quanto a fase final anos 50 e anos 60, em minha defesa, não coloquei tudo no mesmo balaio, em nenhum momento fiz a afirmação de que tudo que saiu nessa época é "um lixo"…disse sim, que com a popularização trazida por conta da série, saíram muitas histórias questionáveis do Palhaço, inegável que várias são porcarias…
    O Dick Sprang foi uma comida de bola violenta minha…eu queria falar dele! Ia dar destaque para a história "Os maiores inimigos de Super-homem e Batman!", na qual Coringa se une ao Lex Luthor, memorável…aqui podemos encontra-la no ótimo album "Batman Vs Coringa – Através das Décadas" da Opera Graphica.
    Enfim…nunca devemos fazer generalizações, mas que a década de 60 infantilizou muitas histórias do Batman, isso é inegável…com o tempo isso se tornou até um certo charme..tanto é que rende homenagens como as citadas por você.

    Batman, The Brave and The Bold é um dos melhores desenhos de super-heróis já produzidos.

    Abração rapeize!

  9. Daniel, olha bem para a imagem que vcs mesmos escolheram para a chamada do podcast. Por Odin, é uma puta imagem melancólica. E é "a cara" do Coringa/Ledger em todos os sentidos. Senti muita falta das gargalhadas do Coringa…por isso gosto muito do Coringa da Animated Series, na voz do Mark Hammil (essa sim foi uma furada feia). Para mim aquele é o Coringa Perfeito.

    E um outro detalhe. A estética do Ledger. Porra, o Coringa tem que se destacar contra o cenário de Gothan, contrastar com a atmosfera gótica/lúgubre do local e não se misturar nela. O Figurino do Ledger era sóbrio demais, fechado. Encaixou perfeitamente com o restante do filme…e isso não é um elogio.

  10. Podcast excelente! Muito bom! Sonzeira fantástica. Vem cá de onde é essa gravação do Ozzy cantando Born to be wild? é bootleg? e digam pro Alexandre que o coringa mandou uma pergunta: "Why so serious?!"hahahaha…abraço!

  11. Coringa um vilão excepcional… Adoro esse vilão! Sua fase infantil até que é legal, mas não passa disso!

    Falando na série do Batman (pancinha)… hoje em dia fico pensando como podia ficar colado na TV assistindo ela. Apesar das tosqueiras da série eram muito bons os episódios que tinha o coringa…o que odiava era o Robin – eu não gosto do personagem talvez por que ficou marcando na mente as únicas coisa que o personagem falava –Santa Batatinha e tudo que tipo de santa.

    Batman com ou sem o Robin? – Eu prefiro sem o Robin, apesar com o garoto prodígio o Batman demonstra um sentimento mais paterno em algumas histórias.

    O filme do Cavaleiro das Trevas – Destaque total foi pro Coringa, o morcego ficou parecendo figurante de tão bem feito o roteiro, além do ator que interpretou o palhaço com perfeição.

  12. Acredito que toda a discussão deste podcast girará em torno da paixão que o personagem gera em tantos fãs do personagem. Mas acho que não convém botar em foco a questão de quão "engraçado" é o personagem, se tratando ele de um assassino psicótico (pelo menos essa é a imgaem principal que o vilão Coringa tende e tem que passar aos meus olhos). Acho a caracterização de Nolan e Ledger extremamente contundente para o Palhaço, lembrando que se trata de um filme que tende a agregar um público muito maior. A imagem que The Dark Knight passa para o público do Coringa, é extremamente significativa na essência do personagem e de seus propósitos. Sem me alongar demais, parabéns pelo trabalho.

  13. Marshall, vou refutar tudo que você falou “contra” o coringa de Nolan interpretado pelo Heath Ledger.

    O Coringa ele é um cara engraçado, sim, mas seu humor serve única e exclusivamente para ele próprio se divertir! Ele não quer fazer graça pros outros, suas piadas visam irratar os demais, perturbar a cabeça, enquanto quem se diverte é ele próprio. No caso do Coringa do Burton, por exemplo, ele derruba as coisas no museu lá, usa brinquedinhos e balões, revolver com bandeira de blam, etc, mas para os demais, aquilo não soa irritante ou ameaçador, as pessoas simplesmente pensam: “olha só que cara retardado, temos que dar um jeito nele”. Pro Coringa tem graça, é obvio, ele curte aquela insanidade, mas pros demais é apenas uma babaquice sem sentido. O Nicholson nos entregou um cara louco que é retardado, com um humor incompreendido. Até mesmo na mesa de reuniões os caras perguntam pra ele: “qual é a desse seu sorriso idiota?”, tipo, ninguém entende.

    Agora, o Coringa do Ledger é o oposto. Seu humor segue a máxima “eu me divirto, mas os outros se irritam e se assustam”. Sua graça não é espalhafatosa como a do Nicholson ou os antigos Coringas dos quadrinhos, mas seu humor está lá, ele tira onda de todos o tempo inteiro e curte muito com isso. Na cadeia, por exemplo, quando os guardas pensam que ele está sob controle, o que ele faz? Bate palmas, dá risada. Os policiais, vendo esse comportamento, ficam irritados, já que eles queriam que o vilão estivesse acuado, mas vão percebendo que nada abala o cara. Na cena do interrogatório do Batman, ele tira onda com os métodos do morcego, que já chega dando porrada na cabeça, ele diz assim: “não comece batendo na cabeça, isso afeta meu cérebro, adormece meus sentidos e eu não vou sentir mais dor depois”, aí quando o Batman ataca de novo, ele responde: “Viu só?”, mostrando que aquele golpe não doeu nada, por pura incompetência dele. O Coringa tira onda do Batman; o herói e todos que assistem a cena acham que agora o vilão irá tremer, mas ele mostra que não se entrega fácil, e prova isso irritando os outros, com “piadas” sensatas, que evidencia o quanto ele é inteligente e perigoso, que expõe a impotência dos demais, incluindo o próprio Batman. Ele ri enquanto apanha, apenas pra irritar o inimigo. É aquele tipo de cara que nunca leva febre, o que incomoda os agressores, pois evidencia certa incapacidade por parte deles, no que diz respeito à intimidação e controle.

    O Ledger se diverte a todo momento as custas do medo e da raiva alheia. Ele põe a cabeça pra fora do carro de policia roubado, ele chuta o Batman como um lunático depois que quase é atropelado, ele deixa a galera da festa com medo apenas contando historinhas, ele curte enquanto está pendurado de ponta cabeça. Seu humor não é escrachadão, o objetivo não é a brincadeira pela brincadeira, mas sim o humor que apavora, que intimida. Quem olha pro Jack Nicholson vê um maluco que precisa ser preso e esquecido, quem olha pro Ledger vê alguém perigoso que precisa ser preso e constantemente monitorado.

    E o Nolan acertou ao associar sua figura a de um terrorista. Hoje em dia palhaço não mete medo em ninguém, a onda agora são os terroristas, eles sim são uma ameaça real. Uma adaptação totalmente acertada e necessária. Então, afirmo sim, que para os dias de hoje, o Ledger interpretou um Coringa perfeito. Não em comparação aos demais, Nicholson foi perfeito pra sua época, assim como o Ledger está impecável na atualidade. Esse é o charme do Coringa: ele se adapta ao mundo, para potencializar seu medo e suas piadas.

    Aliás, acredito que a roupa de enfermeira tenha sido um disfarce, ou to enganado?

    Agora uma coisa tenho que concordar com você Marshal: realmente, usar “lixo” como adjetivo é muito feio, uma lição que tenho na minha cabeça, é claro, mas as vezes a gente joga ela de escanteio e seu puxão de orelha voltou ela pra campo, muito bem dito. Expor a opinião é uma coisa, escrachar é outra. Valeu pelo comentário cara, e pela chance desse gostoso bate-papo sobre o vilão, precisamos urgente arrumar um jeito de você gravar conosco alguns podcasts! Abraços!

  14. Eu entendo e respeito a sua opinião sobre o Coringa Ledger Bruno, mas não concordo. Pra mim é um banco de três pernas, ou seja, faltou alguma coisa. Aquele risada medonha ecoando, a atitude "ria e o mundo rirá com vc", o jeitão de bufão…eu não consigo imaginar o Coringa sem pensar nisso. Por isso continuo com meu predileto, o Coringa de Batman Animated Series, que por sua vez está mais próximo da versão Nicholson. É como eu digo, olha bem pra esse cara tristonho na foto do post e me fala se esse é Coringa.

  15. Haha, de fato a foto não demonstra o Coringa (sabe, tiraram sem avisar pra ele posar XD). EU não desmereço Coringa do Nicholson não, mas como dito no podcast: ainda bem que o Nolan não optou por entregar o vilão seguindo o mesmo esquema do Burton, a comparação seria imediata.

    Não assisti esse desenho do Batman, mas como você está falando bastante dele, não tenho dúvidas de que deve ser excelente, ainda mais sendo do Bruce Timm.

  16. Se uma foto de divulgação não demonstra o personagem…um dos dois está errado, ou a foto ou o personagem. Entrementes, para mim a foto representa bem o que é o Coringa/Ledger, mas enfim.

    Porra Bruno, ce deve estar se confundindo, não tem com vc não ter assistido batman animated series, passou demais na tv aberta. Vc deve tá confundindo com outra coisa.

  17. É aquele da TV né? Assistia um episódio ou outro e olhe lá, nunca acompanhei e não me lembro de episódios que peguei do começo, só depois que já tinha começado.

    Hoje em dia sou mais nerd do que na época que podia ficar de bobeira em casa e assistir os desenhos de manhã XD… pena que esse tempo não volta.

  18. Vou colocar brevemente minhas opiniões sobre a (boa) discussão que está aqui. Em primeiro lugar, sobre as histórias de Batman e CIA nas décadas de 50/60. Essas histórias representam um retrocesso de 20 anos na produção de HQs norte-americana. É possível que sem ela, o mercado hoje fosse no nível do japonês ou do europeu, então sinto muito, com todo respeito ao Sprang e outros caras como Infantino, para mim é lixo, quer Grant Morrison admire essa fase ou não.

    Sobre o Coringa ser um cara engraçado, na boa, não sei de onde vocês tiraram isso. Pergunta: alguém já deu alguma gargalhada lendo uma história do Coringa? Eu nunca dei uma risada, sinto muito. Eu já ri lendo histórias do Groo, da LJA de Giffen (aquele gardner é engraçado), mas nunca lendo uma história do Coringa. Continuo achando a representação de Ledger contundente e um divisor de águas! Vai ser duro superar, mesmo ela não tendo o humor pastelão de Jack Nicholson.

  19. A questão não é o Coringa ser engraçado para o público, mas a atitude dele para consigo. O coringa SE ACHA engraçado e acha graça em todas as atrocidades que comete. Eu não vi essa atitude no Coringa Ledger. Parece que estavam com vergonha de mostrar o Coringa gargalhando pqp!

    Não que a interpretação seja ruim, ao contrário, é muito boa.

  20. AHHHHHHHHHHHH! Velho, Coringa é o meu personagem favorito!
    Vou baixar esse podcast e colocar no meu celular, quando terminar de ouvir dou o meu veredito aqui =D

  21. O coringa de Ledger foi perfeito sim! insano, engraçado em algumas cenas, macabro, dava medo.Na cena da enfermeira, quando ele sai do hospital e explode tudo foi muito aterrorizador e ao mesmo tempo engraçado.Quando ele diz:-"hi" ao Dent no hospital eu "rachei o bico de rir".Realmente o Heath Ledger personificou o melhor coringa.

  22. Olá ! Depois de ouvir o podcast, eu comprei no mercado livre Batman Cacofonia e Batman:O homem que ri.

    Gostaria de saber se a identidade do vilão Onomatopeia ja foi revelada em algum lugar.

    Abraço