Minha Estante #41 – Tobias Orlandini

Mais uma belíssima coleção de quadrinhos aqui no Pipoca e Nanquim, provando que a coluna Minha Estante realmente voltou com tudo (veja a coleção da semana passada).

Dessa vez fomos prestigiados com um papo super legal com o gaúcho Tobias Orlandini, dono de uma linda estante com todo tipo de quadrinhos, inclusive um monte de importados que nos deixou (e também vai deixar você) morrendo de inveja (aquela inveja boa, sabe?).

Uma coleção desse nível merece seu comentário, merece a twittada, vale o like no Facebook, enfim, vamos incentivar a continuidade dessa coluna que permite que a nossa grande paixão pela nona-arte seja compartilhada da maneira mais legal de todas: mostrando para todos o orgulho de nossas coleções! Pois, se tem uma coisa que todo colecionador e leitor de HQs gosta, é conhecer as estantes de quadrinhos de outros com o mesmo hobby.

E fiquem com mais uma excelente entrevista! Leiam para fazer parte da conversa e apreciem as fotos.

Olá, Tobias! Muito obrigado por topar participar dessa entrevista.

Para começar, nos conte um pouco sobre você, onde nasceu, onde mora, o que faz na vida profissional?

Meu nome é Tobias Orlandini, nasci e moro na cidade de Encantado, no Rio Grande do Sul, e sou médico dermatologista.

 

Lembra-se de quando você começou a se interessar por quadrinhos?

Sim, aconteceu aos seis anos de idade, quando estava de cama com febre e minha mãe me deu uma revista da Ebal, um álbum colorido do Homem-Aranha. Depois disso eu sempre dava um jeito de ir com a mãe ou o pai na banca da cidade e voltar com uma revista em quadrinhos, normalmente os formatinhos da Abril, em especial O Incrível Hulk ou Superaventuras Marvel (com os X-men).

Quando aconteceu a mudança de leitor ocasional para colecionador inveterado?

Foi na época da faculdade, em Porto Alegre, conheci vários colecionadores e lojas especializadas em quadrinhos e admirei o trabalho deles. Em Encantado, eu tinha um armário cheio de revistas espalhadas de qualquer maneira, algumas até danificadas, e quando voltei de férias eu coloquei tudo em ordem, nesse momento virou uma coleção. O tempo que moreiem Porto Alegreme possibilitou adquirir muitas revistas raras e frequentar espaços para colecionadores, foi ótimo.

 

Quantas HQs você tem? 

Não conto mais faz tempo, mas calculo entre 3000 e 3500 revistas.

 

Descreva um pouco a sua coleção: os principais itens, séries e minisséries completas, encadernados de luxo, edições raras, conteúdo em geral, etc.

Minha coleção tem uma quantidade igual de material nacional e importado. Desde que as compras pela internet ficaram acessíveis passei a importar muitas obras, pois muita coisa que me interessava só tinha lá fora, e em edições luxuosas que só nos últimos anos foram lançadas no Brasil. Gosto muito dos Hardcovers americanos, dos Essential em preto e branco, dos álbuns europeus em capa dura e das minisséries de luxo encadernadas. Títulos europeus eu tenho Manara, Moebius, Bourgeon e Enki Bilal, pra mim são os gênios que admiro. No geral tenho mais quadrinhos Marvel, depois DC, mas tenho uma prateleira de Disney, uma de Mangás, Ken Parker, Martin Mystere e até Smurfs! Tenho excelentes edições nacionais do Conan (Espada Selvagem da Abril, Conan, o Bárbaro da Mythos, especiais da Abril), coleções completas de super-heróis e de terror da RGE e da Bloch. Como curiosidade, só tenho os Almanaques Gigantes e Edições Extras da Ebal e nada mais antigo que isso, provavelmente porque comecei a ler quadrinhos após o auge desta editora, e sempre gostei mais das edições especiais que eram lançadas.

Como edições raras posso citar O Túmulo do Conde Drácula da Editora Saber, os Almanaques Gigantes da Ebal (todos), os Archives da Legião dos Super-Heróis, dois volumes Limited do Batman em capa de couro (um do Frank Miller e outro sobre o Coringa), as três edições Marvel Limited em capa e sobrecapa de couro dos X-men, a coleção completa Marvel Illustrated de fantasia, a coleção completa de Miracleman e os quatro encadernados Miracleman da nacional Eclipse. Também tenho a coleção completa de Kripta e os especiais, a coleção completa e as minisséries do Ken Parker da editora Tendência/Tapejara. Além disso, coleciono livros do Tolkien, e a maior raridade é a coleção completa The History of Middle Earth em 12 volumes belíssimos, e livros do Stephen King, sendo o mais raro a edição nacional de Os Livros de Bachman.

Qual o item mais raro de todos?

Acho que é a coleção completa do Miracleman, englobando todas as edições lançadas no Brasil e nos EUA e os quatro encadernados, que são muito difíceis de encontrar. Os Marvel Limited dos X-men também são dificílimos.

 

Quais são seus personagens e séries preferidas, os que você sempre que possível compra e mais gosta de ler?

Meus personagens preferidos são os X-men, e pra mim os melhores quadrinhos já produzidos foram os X-men na fase Claremont/Byrne. Também gosto muito do Conan clássico de John Buscema, e dos Vingadores e Novos Titãs do George Perez, Quarteto Fantástico do Byrne e Legião dos Super-Heróis. Tenho até coisas repetidas em formatos diferentes destes materiais, porque são os que mais gosto.

Como você costuma comprar suas HQs? Pela internet, em bancas e livrarias, em sebos? 

Agora 90% das coisas eu compro pela internet, nos grupos de colecionadores, no Mercado Livre, no Ebay, Mycomicshop e Amazon. O resto eventualmente em bancas e livrarias.

 

E qual foi a maior raridade que já comprou pelo menor preço?

Puxa, raridades por preço baixo em bom estado nunca encontrei, mas já me surpreendi com preços justos, uma vez que a regra é sempre um pouco acima do preço justo nos sites. Lembro-me de uma coleção de Conan, o Bárbaro da Mythos por preço justo, a coleção da Kripta mais seus especiais por um preço também muito justo, uma edição de A Espada Selvagem de Conan – As Melhores Histórias (que é rara pois só venderam por encomenda) por um valor legal também.

Como você guarda sua coleção de HQs? E qual técnica usa para conservá-los?

Guardo na minha estante, quase todas as coleções dentro de plásticos, as portas são abertas todo o dia para evitar umidade, e deixo as velhas bolinhas de naftalina, uma em cada prateleira, para as traças, embora minha esposa deteste o cheiro quando passa por lá!

Você empresta seus quadrinhos numa boa, ou prefere mantê-los sempre próximos para ninguém dar regaço?

Só empresto edições repetidas ou aquelas que já pretendo vender. Outras, só lendo lá em casa sob supervisão!

 

Todo colecionador tem manias, seja um ritual para leitura, uma bela cheirada na revista nova ou nunca se desfazer de nada, qual é a sua?

Acho que a minha mania é mexer na coleção todo o tempo que estou em casa sem fazer nada. Troco os títulos de prateleiras, passo do fundo pra frente alguma coleção, junto tudo o que eu tenho de um personagem em uma prateleira só… Fuço bastante.

Tem algum item que você quer muito ter, mas que está praticamente impossível de encontrar? 

Os itens que eu mais desejava na época da universidade eu consegui depois de muita procura, mas uma coleção que eu ainda adicionaria sem pensar duas vezes seria a coleção completa de Spektro, da editora Vecchi, mas essa é praticamente impossível encontrar mesmo!

 

Qual foi sua última leitura e qual está sendo a atual?

Atualmente estou lendo muito Conan, repassando a coleção da Mythos em ordem cronológica, a Espada Selvagem de Conan e os livros Conan – The Ultimate Guide e os contos originais escritos pelo criador Robert E Howard.

Você lê quadrinhos mensais ou atualmente fica apenas nos encadernados? 

Praticamente só encadernados no momento, prefiro as coletâneas americanas de um personagem do que os mixes nacionais. Mas estou colecionando os encadernados da Panini lançados aqui também, são muito caprichados.

 

Você mencionou que tem alguns títulos europeus. Quais são as obras européias mais sensacionais que já leu e acha um tremendo vacilo das editoras brasileiras não publicarem por aqui?

Olha, eu li sobre a coleção de outra pessoa publicada aqui mesmo na coluna Minha Estante, não me lembro exatamente quem, que elogiou muito as obras de Bourgeon, e foi o primeiro contato que eu tive com esse escritor e desenhista. Eu me empolguei e decidi procurar as edições da editora portuguesa Meribérica, e hoje tenho todas. Posso afirmar que se trata do melhor desenhista de HQs que eu já vi, o mais realista e detalhista, recomendo a todos. Além disso, a pesquisa histórica dele para as séries Companheiros do Crepúsculo e Passageiros do Vento é impecável! É um pecado ninguém publicar essas edições aqui no Brasil.

Sempre gostei de Moebius e de Milo Manara, são mestres também, e estes já tem uma produção representativa por aqui. Também Enki Bilal é ótimo, especialmente com a Trilogia Nikopol e a tetralogia O Sono do Monstro, e a trilogia saiu completa por aqui recentemente, fiquei muito feliz. Destes quatro autores europeus eu tento comprar tudo o que encontro que ainda não tenha na minha coleção.

Além de HQs, você mantém mais alguma coleção? Se sim, descreva brevemente sua segunda coleção, os principais itens, quantidade, etc.

As coleções de livros – principalmente do Stephen King (todos os livros dele, parte nacional e parte importada) e do J.R.R. Tolkien (tudo sobre a Terra Média que ele publicou, porque sempre fui fã). Também tenho os livros do Conan que eu já citei, e que recomendo a todos os fãs do cimério.

Obrigado pelo papo, Tobias! Para finalizar, deixe um recado para os leitores do Pipoca e Nanquim e colecionadores do Brasil.

Obrigado pela oportunidade de mostrar um pouco da minha coleção, já que toda a coleção é um trabalho árduo e custoso, e todos nós sentimos orgulho de mostrar os frutos deste trabalho. Meu recado é para que os amigos colecionadores sigam com suas coleções, não desistam de encontrar aquelas edições que sonham em adicionar, e não desanimem com as críticas de quem não coleciona, porque só quem faz a sua coleção sabe como é prazeroso. Claro que é uma atividade que muitas vezes a gente não divide com família ou amigos diretamente (quando eles não curtem quadrinhos, é claro; quando curtem é perfeito), mas que nos deixa felizes para curtir mais todos os outros momentos com as pessoas de quem gostamos. Abraço a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Muito bom esse post!!

    Como fã de Tolkien, fiquei maluco com os livros que ele tem. Quem sabe um dia eu consigo todos também, hehehehehehe.

  2. Ótima entrevista. Sobre ela, destaco o seguinte:

    Tobias disse: “e em edições luxuosas que só nos últimos anos foram lançadas no Brasil.”

    — Sobre isso, também dou graças à Panini, pois, com ela, foi dado um expressivo impulso na publicação de encadernados editados com esmero, a preços justos (mais baratos do que muita brochura publicada no brasil, apenas com texto, em especial livros acadêmicos). E ainda há gente que tenta forçar a barrar e elogiar o trabalho passado da Ed. Abril, que ganhou rios de dinheiros dos leitores, pondo nas bancas gibis “porqueiras” e caros.

    Sobre Bourgeon, também me pergunto o que está havendo com as editoras nacionais que não publicam seu trabalho. Que vacilo! Será algum problema sobre direito autoral, lá fora?

    Sobre as revistas Spektro, realmente, são vendidas, em péssimo estado, por valores exorbitantes, nem um pouco justos.

    E, claro, não posso deixar de elogiar a coleção Kripta do entrevistado! Que bacana!

    E, em geral, tudo bastante organizado.

  3. Alguém teria algum link com grupo de colecionadores pra postar, onde os caras troquem ou vendam revistas? Os preços no Mercado Livre são cada vez mais abusivos e fica complicado comprar por lá. Na Comix eu também compro, mas estou falando de algumas coisas antigas…se alguem tiver link de bons lugares pra comprar quadrinhos com um preço justo, ficaria agredico. abs!

  4. Ei Tobias!!
    Parabéns pela linda colecao!
    Muito organizada e ótimas edicoes!
    Gostei também da entrevista!!

    Abraco pra voce e pra galera do Pipoca e Nanquim =)

  5. Que legal, um conterrâneo de Encantado com uma coleção incrível dessas! Parabéns, Tobias!!!