Doutor Estranho – Abra sua mente!

Por Jefferson José

Um olhar analítico, mesmo parcial, começa a partir do momento que você aceita a proposta do filme. Você vê comédia para rir, você não espera se alegrar em um terror, a ficção é para filosofar sobre o desconhecido e assim por diante. Há padrões narrativos a seguir, mesmo que subconscientes, querendo ou não nosso cérebro reage de acordo com diretrizes. E, Doutor Estranho, como um filme de super-herói, vai muito além de um blockbuster.

Filmes de heróis já são um gênero, e a fórmula tem funcionado porque ela abre margens para explorar o gênero dentro do gênero, algo inovador. Blade caminha pelo terror, O Cavaleiro das Trevas sustenta em um thriller, Guardiões da Galáxia revitalizou as Óperas Espaciais, O Soldado Invernal adicionou espionagem, Doutor Estranho eleva os super-heróis para o nível de ficções clássicas – ver esse filme e não o comparar com Matrix e Uma Odisseia no Espaço é inevitável. E não há elogio melhor.

O filme não deixa arestas, desenvolve muito bem os personagens e viaja pelo multiverso sem se perder da proposta, que é ser um filme de origem. O filme poderia ter ido muito além e abusar do conceito místico e ir fundo nas dimensões paralelas e realidades alternativas, porém, foram cautelosos em se manterem dentro da proposta e deixar todo o potencial do personagem para uma continuação, prova maior disso é o Strange não se tornar o Mago Supremo nesse filme. Se a Fórmula Marvel continua dando certo é porque sabiamente eles acreditam que o público deva se importar acima de tudo com o herói título, é por esse motivo que os vilões tem tanto pouco espaço, para seu propósito é aceitável. O único artifício que chega a incomodar são as piadas nos momentos errados, sempre para nos lembrar que é um filme de herói e aliviar a tensão, ninguém na Marvel escreve humor melhor que Joss Wedon, que evitava piadas clichês e desenvolvia o humor em situações cômicas.

Doutor Estranho é um deleite sobre metafísica, tudo belamente arquitetado por uma direção de arte impecável, as viagens pela Dimensão Espelhada e Dimensão Negra são de alucinar, ressalto as cenas em Projeção Astral, que assim como o Olho de Agamotto e a Capa da Levitação são os aspectos do personagem que melhor foram explorados. Stan Lee e Steve Ditko foram honrados! A sequência que a Anciã e o Strange em Projeção Astral com o tempo parado filosofam sobre a vida e a morte é a melhor parte do filme para mim, a sensibilidade que a cena foi composta sobre assuntos tão complexos como existencialismo e imortalidade difere o filme de produções convencionais. Um filme assim já é único por si só, sobretudo, vermos um filme de herói levantando essas questões nos leva a refletir sobre tudo – é aqui que aceitamos que Doutor Estranho foi além, que é uma exímia ficção por nos deixar curiosos sobre o que existe além do além.

Spoiler

Mesmo o filme já tendo se provado até esse ponto da história o clímax chega para nos reafirmar que estamos diante de um filme não convencional, que é subversivo, pois depois de toda aquela ação vertiginosa, depois de brincar com o espaço tempo de maneira impressionante ao retroceder o tempo, nós nos deparamos com uma narrativa rara em superproduções, pois o conflito final é resolvido com diálogo. Lindo!

Doutor Estranho cumpre a premissa!

Marvel's DOCTOR STRANGE L to R: The Ancient One (Tilda Swinton) and Doctor Stephen Strange (Benedict Cumberbatch) Photo Credit: Film Frame ©2016 Marvel. All Rights Reserved.

Marvel's DOCTOR STRANGE..Doctor Stephen Strange (Benedict Cumberbatch)..Photo Credit: Film Frame ..©2016 Marvel. All Rights Reserved.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Sou Psicólogo e eterno estudante de Psicanálise. Cinéfilo de paixão e não sou de comentar em sites, mas preciso deixar aqui poucas palavras sobre esse texto: Que crítica fascinante.

    • Olá Lucas;
      Grato pela leitura e pelo comentário positivo, leitores como você que nos motivam. Falando em psicanálise, pelas suas poucas palavras já deixou transparecer que é uma pessoa culta, deveria comentar mais.
      Namastê.

  2. Ótimo texto. Creio que a grande maioria das piadas foi desnecessária. Se pensarmos o filme sem elas, ele seria muito melhor e abriria ainda mais o apetite por uma continuação. Ainda assim, fica a esperança de uma sequência mais séria e profunda. O primeiro passo foi dado com firmeza.

    • Obrigado pela leitura Eliezer.
      Realmente o filme poderia passar sem tantas piadas, e elas ficarão ainda mais gritantes quando formos rever o filme. Mas como você mesmo disse, de toda forma o filme se saiu muito bem, até porque é um universo rico e delicado de se trabalhar no cinema.
      Abraço.

    • Olá Isac;
      Obrigado pela leitura.

      Realmente, na primeira experiência as piadas até que funcionam, mas ao analisar e rever o filme elas soam deslocadas, forçadas. Porém, não chega a ser um problema grande. O 3D é ótimo mesmo, e olha que foi apenas convertido.
      Abraço.

  3. Desculpe, mas não gostei do filme… vale somente pelos ótimos efeitos visuais… Tudo muito raso, magos tendo brigas de rua, saindo sempre no braço, literalmente, até mesmo quando estão em estado fantasminha camarada… eles ficam falando que são a última defesa quando se trata de magia, mas os mestres que a tanto tempo foram treinados pela anciã, morrem em segundos diante de um vilão prá lá de zero a esquerda… enfim… você gostou, tudo bem, gosto não se discute… parabéns pelo site…

    • Olá Claudio, obrigado pela leitura.
      Compreendo e respeito os motivos que não gostou. Mas como eu citei no texto, não podemos nos esquecer que a premissa é ser um filme de super-herói, sendo assim essas coisas que você disse que são defeitos podem apenas ser uma questão de perspectiva, uma licença poética, afinal, fazer um filme hermético por si só não teria fundamento se tratando de um filme da Marvel. Todavia, eu entendo porque eles não se arriscaram tanto, por se tratar de um personagem novo para o grande público eles optaram por introduzi-lo em um filme mais sutil que desenvolvesse bem sua origem, sendo assim podemos esperar uma continuação muito mais surtada. E convenhamos, mesmo para um filme de herói ele foi ousado, observe o final.
      Abraço.

  4. Olá, pessoal do Pipoca. Excelente crítica. Eu curti o filme, mas não tanto. Senti que algumas coisas deixaram a desejar. De qualquer modo, os efeitos especiais estavam excelentes, principalmente nas cenas em que o Stephen Strange viaja pelo multiverso. O filme vale bastante a pena de ser assistido no cinema por isso.

    Eu queria aproveitar também pra fazer uma sugestão. O que acham de mudar o sistema de comentários do site para o formato Disqus? O Disqus é uma plataforma de comentários que vem crescendo bastante ultimamente. Muita gente o utiliza, inclusive eu. É até uma maneira que talvez facilite um pouco a chegada de mais comentaristas aqui pro site. Muitos grandes sites que envolvem o tema o utilizam. Considero o de vocês um dos melhores. Fica aí a minha sugestão.

    Abraços.

    • Olá;
      Obrigado pela leitura. Realmente o filme poderia ser melhor, sem dúvidas. Mas hoje em dia em meio a tantos filmes genéricos temos que exaltar quando um se sobressai.

      Obrigado pela sugestão, o Disqus é ótimo mesmo. Vou comentar com eles.

      Abraço.